Publicidade

Estado de Minas CRISE FINANCEIRA

Pandemia leva mineira Viagens Master a pedir recuperação judicial

Pedido da operadora de turismo foi aprovado pela Justiça em 24 de março


01/04/2021 10:54 - atualizado 01/04/2021 15:08

O presidente da Viagens Master, Fernando Dias, informou, em nota, que a crise aumentou com a chegada da segunda onda do coronavírus no país(foto: Viagens Master/Reprodução)
O presidente da Viagens Master, Fernando Dias, informou, em nota, que a crise aumentou com a chegada da segunda onda do coronavírus no país (foto: Viagens Master/Reprodução)
A tradicional operadora de turismo Viagens Master, com sede em Belo Horizonte, foi mais um dos negócios que não resistiu aos impactos da crise financeira causada pela pandemia do novo coronavírus. Nessa quarta-feira (31/3), a empresa comunicou que entrou em recuperação judicial, em processo já aceito pela Justiça.

Segundo a nota divulgada, o presidente Fernando Dias informou que, com a chegada da segunda onda da COVID-19 e a adoção de lockdowns ainda mais restritivos no Brasil, viu, nos piores momentos da empresa, a receita ser reduzida a quase zero. A Viagens Master está desde 1995 no mercado.

“Durante mais de 12 meses, fizemos o possível para nos manter ativos e honrar todos os compromissos assumidos, cortando custos, alterando rotinas e processos, negociando prazos e contratos, na esperança de ver o mercado e a vida voltarem ao normal. Infelizmente o que se deu foi exatamente o contrário. A crise recrudesceu com a chegada da segunda onda da doença e a adoção de lockdowns ainda mais restritos”, declarou o presidente.

Conforme ressaltado pelo empresário no comunicado, uma recuperação judicial possibilita que uma empresa renegocie dívidas em um período de crise para evitar que sejam levadas à falência. O processo deve apresentar um plano de recuperação que mostre que uma companhia, mesmo diante das dificuldades, tem condições de se reerguer futuramente.

Em entrevista ao Estado de Minas, Fernando Dias afirma que o mais díficil para a tomada da decisão foi relembrar os longos anos de trajetória da companhia até chegado esse momento. "Vem à sua cabeça toda uma história de décadas de trabalho árduo e dedicação. O que você mais deseja é a continuidade do trabalho. Tomamos essa decisão porque queremos continuar de pé, manter as portas abertas, os empregos e continuar proporcionando às pessoas a realização do seu sonho de viagem", declara o empresário.
 
A nota finaliza informando que para dúvidas os clientes, e demais interessados, devem entrar em contato pelo e-mail rj@viagensmaster.com.br.

Setor prejudicado


O mercado do turismo foi um dos mais afetados durante a pandemia. Diante de recomendações extremas de isolamento social para contenção da COVID-19, a atividade que depende, principalmente, da mobilidade e contato entre pessoas, sofre para se manter durante o contexto atual.

Segundo a Organização Mundial do Turismo (OMT), 2020 foi o pior ano da história para o setor. Dados apontaram que no primeiro ano de cenário epidêmico mundial, as viagens internacionais foram 1 bilhão a menos do que em 2019.
 
O presidente da Viagens Master afirma que o turismo foi o setor mais diretamente impactado pela crise causada pelo coronavírus. "Toda a indústria (aviação, hotelaria, agências de viagens, operadoras, meios de transporte etc) está vivendo enormes dificuldades. A economia funciona como uma engrenagem. Se um dente dessa engrenagem é afetado, todos os outros também o são. Portanto, não está sendo fácil para ninguém." 
 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp



Como a COVID-19 é transmitida?


A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?



Como se prevenir?


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê



Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Vídeo explica porque você deve aprender a tossir

Mitos e verdades sobre o vírus


Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade