Publicidade

Estado de Minas MEU ACERTO

Contas do início do ano: como se preparar para não começar 2022 no aperto

Se você não reservou uma quantia para quitar essas despesas, precisa ter atenção para que essas contas não se transformem em dívidas


08/12/2021 06:00 - atualizado 06/12/2021 19:14

Notas de real de vários valores espalhadas sobre uma mesa
(foto: Pixabay/Reprodução)
O fim do ano chega e, com ele, chegam também as preocupações em relação às contas de início de ano. IPVA, IPTU, matrícula e material escolar e por aí vai… É conta que não acaba mais! Não tem como ficar livre das despesas, mas há maneiras de lidar com elas sem que a preocupação tome conta da gente. Quer ver?

Planejamento financeiro é sempre o segredo do sucesso 


Não é por acaso que eu já falei tantas vezes aqui sobre a importância de manter o controle sobre as suas finanças e fazer um planejamento financeiro adequado para sua realidade. Independentemente de qual caminho você opte seguir para manter suas finanças organizadas, o planejamento é o veículo que vai te guiar rumo aos seus objetivos.

O ideal para quitar as despesas de início de ano sem ficar no aperto é, claro, você ter se preparado ao longo de 2021, fazendo uma reserva financeira para esse fim. Mas, aqui não tem espaço para, julgamento, ingenuidade ou hipocrisia. Eu sei que essa é uma prática distante para muitas pessoas, já que a maior parte dos brasileiros vive uma realidade que nos faz acreditar que estamos aqui só para trabalhar e pagar boletos.

Mas, eu já falei bastante por aqui que não é exatamente assim, né? Por mais complicada que a sua situação financeira esteja, há sempre caminhos para ir resolvendo os problemas aos poucos e criando um cenário um pouco mais confortável para o seu bolso e para sua saúde — física, mental e financeira. Uma das alternativas, neste sentido, é aproveitar o 13º salário para quitar dívidas ou pagar contas que estão por vir.

É válido ressaltar, no entanto, que sua missão não termina quando essas contas forem pagas. Para que no fim do próximo ano, essa seja uma preocupação a menos, você pode já se preparar para criar uma reserva financeira ao longo de 2022. Para isso, existem coisas que você pode fazer desde já: criar hábitos financeiros mais saudáveis, anotar todas as suas receitas e despesas, rever gastos que podem estar sendo desnecessários, adotar a prática de guardar uma parte do seu salário antes de começar a gastar com coisas extras (como se a reserva fosse uma conta a ser paga).

Não me planejei. E agora?


Seria simplista e pouco parceiro da minha parte se eu te dissesse que o único jeito de quitar as contas do início do ano sem começar 2022 no aperto é fazer um planejamento financeiro prévio. Se fosse só isso, você poderia achar que já é tarde demais e que não dá mais pra virar esse jogo. Calma que não é nada disso!

Se você não se planejou previamente para quitar essas despesas, o caminho pode ficar mais fácil se você adotar um planejamento financeiro a partir de agora. Colocar no papel — ou na planilha, no aplicativo de gestão financeira ou em outra ferramenta da sua preferência — todas as receitas e despesas mensais previstas para todo o ano de 2022 é fundamental, para que você tenha clareza de como sua vida financeira está prometendo ser.

Esse planejamento vai te ajudar a entender se você terá condições de quitar essas despesas do início do ano ao longo dos primeiros meses ou se será necessário buscar alternativas, que podem incluir o corte de gastos que não são essenciais ou até mesmo a busca por uma fonte de renda extra. E, como já falei muitas vezes por aqui, esse planejamento financeiro não precisa ser complexo e você pode encontrar o formato mais adequado para seu perfil e para sua realidade.

Dicas práticas para lidar com as contas do início do ano


Agora que enfatizei a importância de um planejamento financeiro — não só para esse momento, como para todos os outros da sua vida —, quero te dar algumas orientações práticas do que você deve levar em consideração para quitar as despesas de fim de ano e o que pode ser feito caso você entenda que não tem condições para isso.

É melhor pagar à vista ou parcelado?


Essa é uma dúvida que sempre surge na cabeça dos brasileiros neste momento e ela é extremamente válida. A resposta é a mesma que eu costumo dar para quase todas as questões que envolvem a nossa vida financeira: depende.

A primeira coisa que você precisa avaliar antes de tomar essa decisão são os descontos oferecidos à vista. No caso do IPTU e do IPVA, por exemplo, existe a possibilidade de parcelar o pagamento em alguns meses, mas os órgãos responsáveis (prefeitura e governo do estado, respectivamente) costumam oferecer descontos para quitar as despesas à vista. Se os descontos forem atrativos, vale a pena fazer um esforço.

Um ponto importante nesse contexto, claro, é a sua condição atual. Se você fez uma reserva financeira ou pretende usar seu 13º salário para esse fim e tem condições de quitar as despesas à vista, pode ser um bom caminho ficar livre dessas pendências de uma vez, e liberar o orçamento dos próximos meses. Mas, se você não tem condições, não há porque se preocupar. A opção do parcelamento existe exatamente para te ajudar.

Caso opte pelo parcelamento, você precisa se programar para garantir que terá o dinheiro das parcelas todos os meses. Portanto, lembre-se de incluir isso como despesa no seu planejamento financeiro e verifique se será necessário cortar algum outro gasto para que esses possam entrar na lista de despesas. Lembre-se que se não pagar impostos públicos, que é o caso do IPTU e do IPVA, o seu nome pode ser inserido na dívida ativa e isso pode te dar uma baita dor de cabeça.

Vale a pena pegar um empréstimo para pagar as contas do início do ano?
Mais uma vez, a resposta é depende! Os descontos para pagamento à vista são maiores do que os possíveis juros de um empréstimo? Se esse for o caso, pode ser que contratar um crédito pessoal para quitar essas despesas seja uma alternativa — que precisa ser avaliada com bastante cuidado, vale ressaltar.

O mais importante é você ter em mente que, caso essa seja sua decisão, você estará trocando um crédito por outro. Ao invés de ficar com pendências financeiras com a prefeitura ou com o governo, por exemplo, você ficará em débito com o banco e precisará se planejar, da mesma forma, para quitar as parcelas ao longo dos meses.

Quais são minhas outras alternativas pra não começar 2022 no aperto?


  • Se você não tem condições de pagar as despesas (nem à vista, nem de forma parcelada) e pegar um empréstimo não é uma boa opção pra você, ainda existem alguns caminhos a serem seguidos:
  • Destine o seu 13º para esse fim — Se você não se planejou financeiramente ao longo de 2021 e não conseguiu criar uma reserva para quitar essas despesas, vale a pena pesar menos a mão nas comprinhas de Natal e usar o 13º para pagar essas contas.
  • Busque uma fonte de renda extra — Existem algumas formas de conseguir dinheiro urgente e a melhor notícia é que sua fonte de renda extra pode estar dentro da sua própria casa. Avalie a possibilidade de usar alguma habilidade que você já tem para faturar uma graninha a mais.
  • Negocie as dívidas que você já tem — A minha última dica nesse sentido é você encontrar alternativas para negociar as dívidas que você já tem. Além de poder começar o ano com o nome limpo, ao fechar um acordo para quitar suas pendências — mesmo que ele vá ser pago em muitas vezes — diminui uma preocupação na sua vida financeira e faz com que você construa um planejamento financeiro mais assertivo, já prevendo o pagamento das parcelas da negociação.







*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade