Publicidade

Estado de Minas BRA$IL EM FOCO

Uma revolução começa com a chegada do 5G às capitais até setembro

Com potencial de ser uma ferramenta disruptiva, a nova tecnologia deve gerar investimentos superiores a US$ 25 bilhões no país até 2025


28/07/2022 04:00 - atualizado 28/07/2022 11:05

Apenas em termos de rapidez, o 5G tem velocidade 100 vezes superior à do 4G. Em capacidade de adensamento, chega a mais de 1 milhão de aparelhos conectados numa área de um quilômetro quadrado
Apenas em termos de rapidez, o 5G tem velocidade 100 vezes superior à do 4G. Em capacidade de adensamento, chega a mais de 1 milhão de aparelhos conectados numa área de um quilômetro quadrado (foto: Inatel/Divulgação)

A chegada ainda tímida da quinta geração da tecnologia de telefonia móvel ao Brasil dá largada para uma mudança equivalente ao advento da própria telefonia móvel, com a comercialização do primeiro aparelho telefônico em 1983.

Com potencial de ser uma ferramenta disruptiva, a nova tecnologia deve gerar investimentos superiores a US$ 25 bilhões no país até 2025, quando todas as possibilidades oriundas da maior velocidade, maior densidade e baixa latência estiverem mais disseminadas no mercado brasileiro.
Inteligência artificial, internet das coisas, computação em nuvem, big data, cibersegurança, carros autônomos, casas conectadas com muitas vezes mais aplicativos operacionais ao mesmo tempo e transmissões em tempo real são as novas realidades que serão aceleradas com a nova tecnologia.
Apenas em termos de rapidez, o 5G tem velocidade 100 vezes superior à do 4G e em capacidade de adensamento chega a permitir que numa área de 1 quilômetro quadrado possam ser conectados mais de 1 milhão de aparelhos. Outro ponto que muda radicalmente a possibilidade de uso dos smartphones é a taxa de latência nas comunicações, que é de apenas 0,0001 segundo. É essa característica que permitirá a expansão das cirurgias realizadas de modo remoto, assim como a operação e monitoramento de máquinas e equipamentos à distância. As maiores transformações vão ocorrer em indústrias, na agricultura e nos serviços de infraestrutura.

A Gerdau, por exemplo, acaba de fechar contrato com a Embratel para transformar a Usina Siderúrgica Gerdau-Açominas, em Ouro Branco, na planta de produção de aço mais automatizada da América Latina. “A tecnologia 5G possibilita novos modelos de negócios para viabilizar a implantação de redes privativas de empresas”, observa o diretor-executivo de Marketing e Negócios da Embratel, Marcelo Miguel. Em Ouro Branco a rede será implantada em três etapas, com a rede cobrindo 8,3 mil quilômetros quadrados da unidade, que tem área total de 10 mil quilômetros quadrados, com a digitalização de toda a usina, com uso de sensores em áreas críticas e monitoramento remoto, incluindo a operação de caminhões autônomos pela usina.

No agronegócio, a tecnologia permitirá o monitoramento de grandes áreas identificando regiões com necessidade de maior ou menor irrigação, assim como de aplicação de defensivos, além do uso de colheitadeiras com geoposicionamento e uso de drones para vistoria de fazendas, ou aplicações de inseticidas e fertilizantes em pontos específicos. Além disso, será possível otimizar as medições das condições ambientais e do solo.

Cidades também poderão ser totalmente conectadas, com otimização dos serviços públicos. No setor de turismo, a tecnologia permitirá trazer os destinos para as telas dos smatphones com realismo em 3D sem a necessidade de uso de óculos especiais. Mas um dos pontos que devem ganhar relevâncias mais rapidamente é o uso da inteligência artificial. Segundo informações da consultoria Gartner, 48% dos executivos de tecnologia admitem que já implantaram ou desejam implantar a ferramenta até o fim deste ano, podendo gerar um movimento de US$ 62,5 bilhões no mercado global, enquanto a BCC Research prevê crescimento de 20% nesse segmento até 2025.

A tecnologia deve permitir ainda resolver um problema provocado pelas desigualdades sociais de um país com dimensões continentais. No momento da chegada do 5G ainda existem 89 cidades brasileiras, com população total de pouco mais de 700 mil habitantes que não contam com redes de telefonia 4G, segundo levantamento da Confederação Nacional dos Municípios. Ao leiloar o 5G, o governo levou a leilão também a frequência de 700 megahertz, já usada pelo 4G, para permitir a instalação da tecnologia em 31 mil quilômetros de rodovia e em mais de 600 localidades que hoje não dispõe de redes com a quarta geração da tecnologia de telefonia móvel.

Ferrovia

Com 1.643 quilômetros de trilhos passando por Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, com operação nos portos de Santos, Itaguaí, Sudeste, Guaíba e Rio de Janeiro a MRS Logística terá seu contrato de concessão prorrogado amanhã pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) de forma antecipada. O contrato da prorrogação da concessão, concedida em 1996, será assinado em Juiz de Fora.

Safra

R$ 11 bilhões é quanto o Banco do Brasil liberou nos primeiros dias da safra 2022/2023, com crescimento de 53% em relação ao mesmo período na safra anterior

Mineração

O fechamento da economia pela China no início deste ano para barrar o avanço da COVID-19 baqueou as exportações brasileiras de minério. No primeiro semestre deste ano, o saldo comercial do setor mineral brasileiro teve queda de 52,5% em relação ao primeiro semestre ano passado. Em dólar, as vendas para a China desabaram 30%. Com isso, as exportações caíram 24%, enquanto as importações cresceram 200%, em dólar.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade