UAI
Publicidade

Estado de Minas TWITTER

Flávio reclama: 'por que não pode tratamento preventivo para COVID?'

O filho '01' do presidente Jair Bolsonaro ainda criticou o senador Renan Calheiros


29/09/2021 22:55 - atualizado 30/09/2021 00:20

A comunidade científica rechaça o uso de medicamentos ineficazes para o tratamento de pessoas com COVID
A comunidade científica rechaça o uso de medicamentos ineficazes para o tratamento de pessoas com COVID (foto: EVARISTO SA / AFP)
O senador Flávio Bolsonaro (Patriota) publicou uma mensagem em seu perfil no Twitter, na noite desta quarta-feira (29/9), para tentar explicar a diferença entre o que chamou de “tratamento preventivo” e “tratamento precoce”. O filho 01 do presidente da República ainda reclamou do relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI da COVID), senador Renan Calheiros (MDB).
 
 
 
A comunidade científica rechaça o uso de medicamentos comprovadamente ineficazes para o tratamento de pessoas com COVID-19. Além disso, ressalta que a melhor maneira para evitar a propagação do vírus é por meio da vacinação, distanciamento social, uso de máscaras e higienização das mãos. 
 
O empresário bolsonarista Luciano Hang, que prestou depoimento nesta quarta-feira (29) à CPI, afirmou que soube pela própria Comissão que a Prevent Senior omitiu a COVID do atestado de óbito de sua mãe, Regina Hang. 
 
"Fiquei sabendo através da CPI que tanto o atestado de óbito quanto o prontuário da minha mãe foi pego. E que lá no atestado de óbito não constava COVID. Eu sou leigo, não sei o que tem que botar no atestado de óbito", declarou Hang.
 
O empresário afirmou que a Prevent Senior ofereceu para ele um segundo documento. Nele, a COVID era citada.
 
De acordo com o empresário bolsonarista, a comissão foi “induzida ao erro” pela advogada Bruna Morato, representante dos médicos da Prevent Senior que elaboraram dossiê com denúncias à conduta da empresa no tratamento de pacientes.
 
“Vocês foram induzidos ao erro. A Prevent Senior foi uma escolha minha, baseada nos amigos médicos que eu tinha”, disse.
 
Hang também admitiu que faz o "tratamento preventivo", já fez "tratamento precoce", e afirmou ter assinado um documento liberando a Prevent Senior a fazer "o que quisesse" com ele.

O dia da CPI

O  empresário bolsonarista Luciano Hang  depôs nesta quarta-feira (29/9) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, instalada pelo Senado.

O dono da rede de lojas Havan é suspeito de pertencer ao 'gabinete paralelo', grupo que supostamente aconselha o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação à pandemia do novo coronavírus, promovendo ideias negacionistas, como o tratamento precoce com medicamentos com ineficácia comprovada contra a doença.

A convocação foi requerida pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator do colegiado.

Hang também deve ser questionado pelos senadores pela suspeita de ter financiado a disseminação de 'fake news' sobre a COVID-19 junto ao blogueiro bolsonarista Allan do Santos, do canal 'Terça Livre', caso investigado em inquérito que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).
O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho '03' do chefe do Executivo, teria intermediado o contrato entre os dois .

Além disso, o empresário é alvo da CPI por supostamente  fraudar a certidão de óbito de sua mãe, Regina Hang , que morreu em fevereiro, aos 82 anos, no hospital Sancta Maggiore, da Prevent Senior, operadora de saúde que é acusada de omitir mortes por ministração de medicamentos sem eficácia, como a hidroxicloroquina.

Em um dossiê de denúncias entregue aos senadores, 15 médicos que trabalharam para a empresa relatam que Regina foi infectada com a COVID-19 e usou medicamentos ineficazes, defendidos por Bolsonaro. Mas a doença não consta do atestado.

Em vídeo publicado nas redes sociais, Luciano Hang aparece dizendo que a mãe poderia ter sido salva se tivesse feito 'tratamento preventivo'. Porém, o prontuário de Regina na unidade da Prevent, obtido pela CPI, indica que ela tomara, sim, hidroxicloroquina e ivermectina antes da internação.

Além da ocultação de mortes, a Prevent Senior vem sendo acusada por médicos de incentivar a prescrição desses medicamentos, na contramão dos principais estudos científicos realizados desde o início da pandemia e sem consentimento dos pacientes e familiares.
 

O que é uma CPI?

As comissões parlamentares de inquérito (CPIs) são instrumentos usados por integrantes do Poder Legislativo (vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores) para investigar fato determinado de grande relevância ligado à vida econômica, social ou legal do país, de um estado ou de um município. Embora tenham poderes de Justiça e uma série de prerrogativas, comitês do tipo não podem estabelecer condenações a pessoas.

Leia também:  Entenda como funciona uma CPI


O que a CPI da COVID investiga?

 
 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?   Posso beber após vacinar?  Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19 .

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade