Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Zema associa vacinação a tomar banho e escovar dentes: 'Mais por consciência do que por obrigatoriedade'

Governador não vê necessidade na criação de uma lei para vacinação contra o novo coronavírus


28/10/2020 13:20 - atualizado 28/10/2020 17:34

Zema disse que vacinação não deveria ser obrigatória, exceto em alguns casos(foto: Reprodução/BandNews TV)
Zema disse que vacinação não deveria ser obrigatória, exceto em alguns casos (foto: Reprodução/BandNews TV)
Governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) considera que a vacinação contra o novo coronavírus deveria ser de livre arbítrio do cidadão, sem necessidade da criação de uma lei para a imunização. Ao argumentar, o chefe do Executivo estadual comparou o ato a práticas de higiene, como tomar banho e escovar os dentes. Ele também lembrou que sugere a vacinação obrigatória para pessoas que trabalham com o público.

“Em primeiro lugar, sou da opinião que as pessoas devem se vacinar mais por consciência do que por obrigatoriedade. Não existe lei que obrigue as pessoas a tomar banho e escovar os dentes, mas quase todos fazem isso sem necessidade de lei. E assim deveria ser para votar, e assim deveria ser também com vacinação. E algumas profissões, como motorista de ônibus, como aeromoça, que estão em contato com as pessoas, se elas não forem vacinadas podem estar expondo um grande número de pessoas a risco”, disse Zema, em entrevista à BandNews TV, na manhã desta quarta-feira.

O tema vacinação contra o novo coronavírus ganhou destaque no Brasil desde a última semana. O Ministério da Saúde, após reunião com governadores (com participação de Zema), anunciou que compraria a vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, centro de pesquisa biomédica associado à Universidade de São Paulo (USP).

O presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), interviu e disse que a aquisição da “vacina chinesa de João Doria”, em referência ao governador de São Paulo, não seria concretizada. “Para o meu Governo, qualquer vacina, antes de ser disponibilizada à população, deverá ser comprovada cientificamente pelo Ministério da Saúde e certificada pela Anvisa. O povo brasileiro não será cobaia”. Ele também afirmou que a vacina, quando disponível, não será obrigatória.

Diante dessa incerteza, Zema destacou na entrevista que o estado já está pronto para receber a vacina. “No caso do estado de Minas Gerais, já estamos com toda infraestrutura pronta para poder proceder a vacinação. Se a vacina por ventura chegasse na próxima semana, já temos todos os protocolos, toda estrutura, porque muito provavelmente vai ser um material que vai demandar refrigeração, e já estamos prontos para levar essas vacinas aos 853 municípios e aos 21 milhões de mineiros. O estado de Minas, apesar da situação financeira caótica, tem uma estrutura administrativa boa, é um dos estados que mais funciona bem, e estamos tirando o máximo dessa boa estrutura”.

Por fim, o governador frisou que a vacinação se trata de um tema nacional, e não estadual. Zema disse que confia no Governo Federal e no Ministério da Saúde na tomada de decisão sobre o assunto.

“Todo programa de imunização é via Governo Federal. Quando alguns governadores falam que estão desenvolvendo vacina, que estão trazendo vacina, temos que lembrar que quando a meningite foi erradicada lá atrás, outras doenças, o que prevalece é a vacinação nacional. Um estado vacinado estar imunizado ajuda um pouco a população, mas esse estado não tem uma fronteira com outro estado, não pode proibir o trânsito, ele tem divisa. O que vale é uma vacinação a nível nacional, e o Ministério da Saúde, com qual temos tido bastante contato, está coordenando e avaliando muito bem qual será a melhor alternativa aos brasileiros. Acredito que a decisão será a melhor”, completou.

Segundo dados divulgados nesta quarta do Governo de Minas, o coronavírus já contaminou 353.311 pessoas em Minas Gerais e matou 8.872 delas. Já no Brasil, de acordo com dados do Governo Federal disponibilizados nessa terça, 5.439.641 foram infectados com a COVID-19, tendo causado a morte de 157.946.
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade