Publicidade

Estado de Minas TRAGÉDIA

Treze pacientes de COVID-19 morrem em incêndio em hospital na Índia

Investigação sobre a origem do incêndio aponta para uma provável explosão no sistema de ventilação da UTI


23/04/2021 00:47 - atualizado 23/04/2021 08:21

Policial verifica danos em hospital incendiado na Índia(foto: Vinamra ACHAREKAR / AFP)
Policial verifica danos em hospital incendiado na Índia (foto: Vinamra ACHAREKAR / AFP)


Um incêndio matou 13 pacientes com covid-19 em um hospital na Índia nesta sexta-feira, 23, segundo o corpo de bombeiros local. O acidente ocorre em meio a uma crise sem precedentes no sistema de saúde indiano, que opera no limite de sua capacidade de atendimento e sofre com a falta de oxigênio medicinal.

O fogo, já controlado, atingiu a ala de UTI do hospital Vijay Vallabh, localizado a cerca de 70 quilômetros de Mumbai. A investigação sobre a origem do incêndio aponta para uma provável explosão no sistema de ventilação. Segundo o CEO do hospital, Dilip Shah, outros pacientes que precisavam de oxigênio foram transferidos para unidades de saúde próximas.

Este é apenas o mais recente acidente envolvendo pacientes com coronavírus na Índia. Na quarta-feira, 21, outros 24 internados com covid morreram devido a um vazamento de oxigênio em um hospital em Nashik, outra cidade no Estado de Maharashtra.


Recorde de casos


A Índia registrou 314.835 novos casos de covid-19 na quinta-feira, 22, o maior balanço em 24 horas registrado até agora por uma nação. A disponibilidade de leitos e o estoque de oxigênio medicinal tornaram-se escassos no país, enquanto grandes hospitais alertam que não têm mais espaço para receber pacientes.

A nova onda da covid-19 é atribuída sobretudo a uma "dupla mutação" do vírus, mas se deve também à recente celebração de grandes eventos. Especialistas em saúde dizem que a Índia se tornou complacente durante o inverno, quando os casos diários estavam em torno de 10 mil e pareciam sob controle.

"Os indianos baixaram a guarda coletiva. Em vez de serem bombardeados com mensagens que os alertassem para continuar vigilantes, o governo agiu como se tivesse vencido a guerra e suspendeu restrições", escreveu o pneumologista Zarir F. Udwadia no jornal Times of India.

A companhia Max Healthcare, que administra uma rede de hospitais no norte e oeste da Índia, usou o Twitter para fazer um apelo sobre suprimentos de emergência em suas instalações nesta sexta-feira. "SOS: temos suprimentos de oxigênio para menos de uma hora nos hospitais Max Smart e Max Hospital", escreveu a empresa.

Os voos provenientes da Índia foram proibidos no Canadá, Grã-Bretanha, Emirados Árabes Unidos e Cingapura. A Grã-Bretanha disse que encontrou mais 55 casos da variante indiana, conhecida como B.1.617, em seu último balanço semanal, elevando o total de casos confirmados e sob investigação ??da mutação em seu território para 132. (Com agências internacionais).

O que é um lockdown?

Saiba como funciona essa medida extrema, as diferenças entre quarentena, distanciamento social e lockdown, e porque as medidas de restrição de circulação de pessoas adotadas no Brasil não podem ser chamadas de lockdown.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas



 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade