UAI
Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS EM BH

COVID-19 em BH: ocupação de leitos de UTI fica próxima da zona de alerta

Indicador que afere a transmissão do coronavírus na capital mineira segue no patamar intermediário de atenção


04/11/2021 21:12 - atualizado 04/11/2021 21:18

Imagem panorâmica de BH
Ocupação dos leitos de UTI para pacientes com COVID-19 em BH está próximo do nível de alerta (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Após o indicador que afere a transmissão da COVID-19 em Belo Horizonte completar o sexto boletim consecutivo na zona de alerta, outro "termômetro" que verifica o comportamento da doença na capital mineira se aproxima do patamar intermediário de atenção: a ocupação de leitos de terapia intensiva. De acordo com o informe desta quinta-feira (4/11), o número está próximo de 50%, percentual que delimita a zona verde da amarela.

Nessa quarta, eram 46,9% o número de leitos de terapia intensiva para pacientes com COVID-19 ocupados nas redes pública e privada de saúde em Belo Horizonte. O índice subiu para 48,5% no boletim mais recente. No entanto, este último aumento se deve ao fato que 10 vagas da rede SUS foram remanejadas para a área não-COVID. Agora, são 167 UTIs para pessoas com quadro grave de coronavírus em hospitais públicos da capital mineira.

Imagem do gráfico que indica a situação da COVID-19 em BH
Transmissão da COVID-19 em BH segue em nível de alerta amarelo (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
O mesmo aconteceu com os leitos de enfermaria. Alguns foram remanejados para pacientes não-COVID na rede SUS, fazendo com que o número caísse de 350 para 289 vagas, o que refletiu no percentual de ocupação. No entanto, houve queda na demanda na rede particular, de 35,5% para 27,3% de unidades preenchidas. No geral, o patamar caiu de 43,1% para 42,8%.

A transmissão segue com 1, assim como nos outros boletins divulgados nesta semana. Ou seja, apesar de estar na zona de alerta, o indicador apresenta estabilidade.

Casos e mortes


Foram confirmados mais 276 casos positivos de COVID-19 e outras 11 mortes provocadas pela doença. Com isso, Belo Horizonte chegou aos 289.291 diagnósticos positivos de coronavírus e 6.924 vidas perdidas.

Vacinação


BH registrou mais 29.527 aplicações de vacinas contra a doença. Foram administradas 1.226 de primeira dose, 23.632 de segunda e 4.669 de reforço. Não foram registradas novas aplicações da dose única administrada pela Janssen.

A capital mineira já registrou 2.105.911 pessoas imunizadas com a primeira vacina, 1.573.282 com a segunda, 60.559 com a Janssen e 207.142 de reforço.

O boletim da prefeitura destaca que 82,7% do público-alvo da campanha se protegeu com ao menos uma vacina. Ao mesmo tempo, 62,4% completaram o esquema vacinal.
 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?  Posso beber após vacinar? Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19.

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade