Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Homens de 35 anos são vacinados em BH: 'Uma luz no fim do túnel'

Dias para vacinação contra a COVID-19 do público foram intercalados entre homens e mulheres pela PBH; nesta quarta-feira (4/8) é a vez deles


04/08/2021 13:33 - atualizado 04/08/2021 14:00

Wagner Antunes, de 35 anos, foi ao posto drive-thru da UFMG de bicicleta para receber a vacina(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Wagner Antunes, de 35 anos, foi ao posto drive-thru da UFMG de bicicleta para receber a vacina (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
A espera pela vacina contra a COVID-19 chegou ao fim para as pessoas de 35 anos de Belo Horizonte. Conforme anunciado pela prefeitura da capital mineira, os dias de campanha para os homens e mulheres da faixa etária serão alternados. Nesta quarta-feira (4/8), eles recebem a primeira dose, já o público feminino, na quinta (5/8).

De bicicleta, o servidor público Wagner Antunes chegou no posto drive-thru da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) para garantir sua imunidade. “Adotei a bicicleta como meio de transporte porque não tenho carteira nem carro. Era usuário de transporte público, mas como na pandemia os ônibus estão muito cheios e o cuidado não é muito, optei por usar a bicicleta”, contou ao Estado de Minas.
 
 
Após receber a primeira aplicação da Pfizer, Wagner ressaltou a importância de continuar seguindo as medidas preventivas do coronavírus, conforme recomendado pelas autoridades sanitárias.

“Tenho a consciência de que a gente não pode fingir que o vírus não existe mais, não é a vacina que fará ele desaparecer. Vou continuar tomando os cuidados quanto a evitar a circulação ou saindo à toa. Principalmente agora com essa nova cepa, Delta, que é mais contagiosa. A tranquilidade vem de, se for contaminado, a probabilidade de a doença reagir no organismo de forma bem mais leve”, afirmou o servidor.

Marcelo Nakayama Altranim, de 35 anos, garantiu a primeira dose da Pfizer nesta quarta-feira (4/8)(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Marcelo Nakayama Altranim, de 35 anos, garantiu a primeira dose da Pfizer nesta quarta-feira (4/8) (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Para o analista de sistemas Marcelo Nakayama Altranim, de 35 anos, que também foi vacinado na unidade de saúde da UFMG, os meses de espera até a chegada deste momento foram carregados de ansiedade.

“A demora que foi, tanto na parte das negociações da vacina, e o medo da população de perder pessoas próximas, acabou assustando um pouco. Agora, já vacinado, cria esperança de que um futuro próximo possa voltar a fazer coisas de antes, como uma caminhada sem peso na consciência”, disse.

Temor que também foi sentido pelo empresário Sebastião Roberto, de 35. “É um período de tensão e insegurança, mas graças a Deus está vindo uma luz no fim do túnel agora. Diante dessa pandemia, dessa doença, qualquer segurança, mesmo que seja até o momento com a primeira dose, é muito boa. Fico bem mais tranquilo”, relatou.

A vacinação contra o coronavírus teve início em Belo Horizonte em janeiro deste ano, pouco tempo antes de completar um ano do surgimento da pandemia no Brasil. Sete meses depois, segundo dados da PBH, até o momento, 1.422.161 moradores receberam a primeira e 630.810 com a segunda dose. Além disso, 58.753 aplicações foram feitas com a dose única da vacina produzida pela farmacêutica Janssen. 

Sebastião Roberto, de 35 anos, relatou alívo após receber a vacina contra a COVID-19(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Sebastião Roberto, de 35 anos, relatou alívo após receber a vacina contra a COVID-19 (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
O avanço mais lento do que o esperado na campanha é alvo de reclamações de Sebastião, Wagner e de grande parte da população. “Poderia ter acontecido antes. Não só como eu, mas tantas outras pessoas já poderiam ter sido beneficiadas, e quem sabe ter evitado mais mortes”, disse o empresário.

“Está muito demorado o chamamento. A ansiedade bate, estava desesperançoso. Quando chegou na faixa dos 40 anos, os dias passaram com a sensação de extensão por causa da expectativa pela vacina. Na semana passada anunciaram até os 36 anos, mas demorou um tempinho para anunciar para outras faixas etárias. Isso dá uma angústia: esperei até agora, será que isso vai acabar?”, desabafa o servidor público.

O que é preciso para se vacinar


No momento da vacinação, para a aplicação da primeira dose, as pessoas de 35 anos precisam seguir as seguintes orientações:

  • Ser cidadão residente de Belo Horizonte;
  • Apresentar documento de identificação com foto;
  • Não ter recebido vacina contra a Covid-19;
  • Não ter recebido qualquer outra vacina nos últimos 14 dias;
  • Não ter tido Covid-19 com início de sintomas nos últimos 30 dias.

O horário de funcionamento dos locais de vacinação em dias úteis é das 8h às 17h para pontos fixos e extras e das 8h às 16h30 para pontos de drive-thru. Na UFMG Campus Saúde (Escola de Enfermagem) e da Faculdade Pitágoras, ambos na Região Centro-Sul de BH, os horários foram estendidos até às 20h. Os endereços para cada público podem ser conferidos no portal da prefeitura
 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Posso beber após vacinar? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.

Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade