Publicidade

Estado de Minas DENUNCIADO PELO VIZINHO

Homem é preso suspeito de estuprar enteada de 12 anos

Os abusos sexuais foram descobertos após um vizinho da vítima presenciar um dos crimes


03/07/2021 19:07 - atualizado 03/07/2021 19:45

A Delegacia de Polícia Civil de Matozinhos prendeu preventivamente o padrasto suspeito dos estupros(foto: Polícia Civil/Divulgação)
A Delegacia de Polícia Civil de Matozinhos prendeu preventivamente o padrasto suspeito dos estupros (foto: Polícia Civil/Divulgação)
Um homem de 27 anos foi preso preventivamente suspeito de estuprar a própria enteada, de 12 anos. Os dois moravam na mesma casa em Matozinhos, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Os crimes, segundo a polícia, eram recorrentes e só foram denunciados após um vizinho flagrar um dos abusos.
 
O padrasto foi preso nessa sexta-feira (2/7) após um mês de trabalho de investigação da Polícia Civil. A mãe procurou as autoridades no dia 2 de junho após ser alertada por esse vizinho. Questionada pela mãe, a menina de 12 anos confirmou os estupros e disse que os abusos ocorriam ao menos desde abril.
 

Ameaças

 
A vítima afirmou que o padrasto esperava a mãe dormir para realizar os crimes sexuais. Ele tampava a boca da menina e fazia ameaças para que não fosse denunciado. A mãe revelou aos policiais que toma remédios para dormir, o que torna o sono mais pesado e pode explicar o motivo de nunca ter reparado os abusos. 
 
“A partir daí, iniciamos os trabalhos investigativos, os quais culminaram na prisão do suspeito, que se encontrava em seu local de trabalho no momento do cumprimento do mandado", informou a investigadora Débora Tostes.
 

Presentes

 
Apesar de nunca ter presenciado os crimes, a mãe da vítima contou às autoridades que um fato chamou a atenção dela. Nos últimos meses, o rapaz passou a dar presentes para a menina.
 
Segundo a Polícia Civil, a adolescente se encontrava bastante apreensiva e preocupada com o possível retorno do suspeito para a residência da família. Com o objetivo de proteger e resguardar a integridade física e psíquica da vítima, o mandado de prisão preventiva do suspeito foi solicitado pela delegada Priscila Pereira Santos.
 
Se condenado, o preso pode pegar até 15 anos de prisão, mas cabe à Justiça analisar o aumento da pena, já que ele é padrasto da jovem.
 
A PCMG encaminhou também um pedido para o psicólogo e aguarda vaga para a vítima. A família da criança vive em situação de vulnerabilidade social e a equipe em Matozinhos presta o apoio possível.
 

O que é feminicídio?

Feminicídio é o nome dado ao assassinato de mulheres por causa do gênero. Ou seja, elas são mortas por serem do sexo feminino.

O Brasil é um dos países em que mais se matam mulheres, segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos. O país ocupa, desde 2013, o 5º lugar no ranking de homicídios femininos numa lista que inclui 83 países.

A tipificação desse tipo de crime é recente no Brasil. A Lei do Feminicídio (Lei 13.104/15) entreou em vigor em 9 de março de 2015.

O feminicídio é o nível mais alto da violência doméstica. É um crime de ódio, o desfecho trágico de um relacionamento abusivo.

O que é relacionamento abusivo e como sair dele?

Especialistas ensinam a identificar sinais de uma relação abusiva, falam sobre sua origem e explicam porque a violência doméstica é questão de saúde pública.

Como fazer denúncia de violência contra mulheres

  • Para denunciar e/ou buscar ajuda, ligue 180
  • Em casos de emergência, ligue 190

Saiba o que é a cultura do estupro

O Brasil tem um caso de estupro a cada oito minutos. Ao contrário do que o senso comum nos leva a acreditar, a violência contra as mulheres nem sempre ocorre de forma explícita.

Os abusos podem começar cedo, ainda na infância. Para tentar entender as origens dessa brutal realidade, o Estado de Minas ouviu especialistas em direito da mulher, ciências social e política, psicologia, filosofia e comunicação para mostrar como a cultura do estupro, da pornografia e da pedofilia fazem parte da nossa sociedade e estimulam, direta e indiretamente, esse ciclo de violência contra mulheres e crianças.

Como a pornografia distorce o sexo e incita violência contra mulheres


Leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade