Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Transmissão de COVID-19 volta a aumentar em BH, após cinco quedas seguidas

Taxa ainda está na fase controlada da escala de risco. Ocupações dos leitos de UTI e de enfermaria caem na capital mineira


21/06/2021 19:42 - atualizado 21/06/2021 20:09

-->-->-->-->

Movimento nas ruas de Belo Horizonte na manhã desta segunda: vacinação continua lenta na capital(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
Movimento nas ruas de Belo Horizonte na manhã desta segunda: vacinação continua lenta na capital (foto: Jair Amaral/EM/D.A Press)
 

A taxa de transmissão do novo coronavírus voltou a crescer em Belo Horizonte nesta segunda-feira (21/6). O chamado fator RT saiu 0,9 para 0,92. O indicador vinha de cinco quedas consecutivas, mas permanece abaixo de 1 – portanto na zona controlada da escala de risco.

 

 

 

A transmissão do vírus está na fase mais favorável desde o início de junho. São 21 dias em sequência abaixo de 1, o que não acontecia desde abril deste ano.

 

Atual situação dos indicadores da pandemia em BH(foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
Atual situação dos indicadores da pandemia em BH (foto: Janey Costa/EM/D.A Press)
 

 

Se o RT aumentou, as ocupações dos leitos de UTI e de enfermaria para pacientes com COVID-19 recuaram um pouco mais. Na terapia intensiva, o percentual de uso decresceu de 71,8% para 71,1%.

 

 

 

O dado referente às UTIs continua acima dos 70 pontos porcentuais, na área crítica da escala de risco. Esse é o quadro desde 26 de fevereiro – 79 balanços em sequência.

 

 

 

Já nas enfermarias, a queda foi de 55,5% para 52,6%. Dessa maneira, a estatística está no estágio de alerta, entre 50% e 70%. É o cenário desde 12 de abril – 49 boletins consecutivos.

 

Mais 26 mortes e 1.672 casos confirmados da doença entraram para o boletim nesta segunda. Agora, BH soma 229.436 diagnósticos: 5.586 vidas perdidas, 6.398 pacientes em acompanhamento e 217.452 recuperados.

 

Vacinação

 

Belo Horizonte chegou à marca de 1.019.775 de pessoas vacinadas contra a COVID-19 com a primeira dose. Outras 414.605 receberam a segunda.

Desde o boletim anterior, publicado na sexta, a prefeitura aplicou 9.732 doses.

 

A capital mineira vacinou exatamente metade do seu público-alvo com a primeira injeção. Apenas 20,3% desse contingente completou o esquema vacinal.

 

Segundo números da prefeitura, 67.217 profissionais da educação tomaram a primeira dose do imunizante.

 

Além deles, 186.518 trabalhadores da saúde, 18.313 servidores da segurança pública, 464.159 idosos acima de 60 anos e 193.127 pessoas do grupo de risco, gestantes e puérperas receberam a injeção.

 

A população entre 56 e 59 representa 59.305 vacinados.

Outros grupos, como os garis e os motoristas de ônibus, receberam 31.136 injeções de primeira dose.

 

A cidade recebeu 1.740.403 imunizantes para se proteger da COVID-19 até este boletim: 849.165 da CoronaVac (Sinovac/Butantan), 711.526 da AstraZeneca (Oxford/Fiocruz) e 179.712 da Comirnaty (Pfizer/BioNTech).

 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.


Quais os sintomas do coronavírus?

Desde a identificação do vírus Sars-CoV2, no começo de 2020, a lista de sintomas da COVID-19 sofreu várias alterações. Como o vírus se comporta de forma diferente de outros tipos de coronavírus, pessoas infectadas apresentam sintomas diferentes. E, durante o avanço da pesquisa da doença, muitas manifestações foram identificadas pelos cientistas. Confira a relação de sintomas de COVID-19 atualizada.

O que é a COVID-19?

A COVID-19 é uma doença provocada pelo vírus Sars-CoV2, com os primeiros casos registrados na China no fim de 2019, mas identificada como um novo tipo de coronavírus pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em janeiro de 2020. Em 11 de março de 2020, a OMS declarou a COVID-19 como pandemia.

(foto: Hudson Franco/EM/D.A Press)
(foto: Hudson Franco/EM/D.A Press)

Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade