Publicidade

Estado de Minas FLEXIBILIZAÇÃO

Academias, clubes e salões de beleza poderão funcionar na onda vermelha

Programa Minas Consciente ajustou regras para a fase restritiva de atividades. Novas mudanças começam a valer a partir desta sexta-feira (11/6)


10/06/2021 14:33 - atualizado 10/06/2021 14:56

As academias precisam funcionar de acordo com os protocolos do programa Minas Consciente(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 31/8/20 - )
As academias precisam funcionar de acordo com os protocolos do programa Minas Consciente (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 31/8/20 - )

Academias, clubes e salões de beleza voltam com a permissão para funcionamento na onda vermelha do plano Minas Consciente. A decisão foi publicada nesta quinta-feira (10/6) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).


As novas definições começam a valer a partir desta sexta-feira (11/06). Os estabelecimentos poderão funcionar até às 19h, mediante agendamento prévio e aferição de temperatura do público na entrada do ambiente.

“O uso de máscaras permanece obrigatório, bem como a higienização constante das mãos e demais medidas de prevenção, como o distanciamento social”, informou a pasta de Saúde.

Outra mudança específica será válida apenas para os dias 11, 12 e 13 de junho, quando bares e restaurantes das microrregiões na onda vermelha mais restritiva (Cenário Desfavorável) poderão funcionar com atendimento até 22h, excepcionalmente, devido ao Dia dos Namorados.

Regiões e ondas

Com as deliberações, 12 macrorregiões do estado estarão na onda vermelha, enquanto as macros Triângulo do Norte e Vale do Aço permanecem na onda amarela.

Quase todo o estado está na onda vermelha(foto: Imprensa MG)
Quase todo o estado está na onda vermelha (foto: Imprensa MG)


As únicas alterações de onda foram para as macrorregiões Norte, que regrediu da amarela para a vermelha, e Triângulo do Sul, ao deixar o cenário desfavorável e agora se enquadrar nas regras básicas da onda vermelha.

Já as macrorregiões do Sul, Oeste, Leste do Sul e Centro-Sul continuam consideradas em Cenários Epidemiológico e Assistencial Desfavoráveis, o que aponta que a situação da pandemia continua crítica.

As listas de municípios divididos por macrorregião de saúde e também de municípios por agrupamentos de microrregiões do Minas Consciente estão disponíveis no site do programa Minas Consciente.
 

Como funciona a onda

A classificação de uma macrorregião nestes cenários é feita a partir de metodologia proposta pela Sala de Situação da SES-MG, em que os territórios em onda vermelha passam por análise ainda mais minuciosa dos indicadores “Incidência e Espera por Atendimento”, para identificar as tendências de piora na transmissão da doença e na ocupação de leitos e possíveis filas.

“Seguimos em um momento heterogêneo da pandemia, com mais estresse na rede assistencial em alguns locais. Por isso, precisamos manter todos os cuidados e reconhecer as necessidades diferentes das regiões para tomada de decisões”, diz o secretário de Saúde, médico Fábio Baccheretti.   

Vacinação

O secretário de estado de Saúde, Fábio Baccheretti, ainda reforçou o andamento da vacinação no estado, que deve ser acelerado em junho com o recebimento de mais de 4 milhões de doses de imunizantes.

Até o momento, 5.311.217 pessoas foram vacinadas no estado com a primeira dose de imunizantes contra a COVID-19 e 2.510.392 pessoas receberam também a segunda dose, o que corresponde a 71,35% de grupos prioritários vacinados com a primeira dose e 11,79% de mineiros vacinados com ambas as doses.

“Há a expectativa de receber o maior número de vacinas desde o início do processo de vacinação. A novidade é a vacina da Jannsen, uma vacina de dose única. Serão mais de 300 mil doses para o estado e, apesar de ter uma validade para o dia 27 deste mês de junho, estamos organizando junto às regionais e aos municípios para que todas as cidades recebam as doses”, disse o secretário de Saúde.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade