Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Araxá decreta tolerância zero para quem descumprir regras sobre a COVID

Além de altos números diários de novos casos da doença desde que a cidade deixou a onda roxa, a taxa de ocupação de UTI/COVID no município está em 100%


19/05/2021 19:32 - atualizado 19/05/2021 20:58

Coletiva à imprensa desta quarta-feira (19) contou com as seguintes participações (da esquerda para a direita): tenente da Polícia Militar (PM), Josué Muniz; secretária municipal de Saúde, Lorena de Pinho Magalhães; vice-prefeito Mauro Chaves; prefeito Robson Magela; procurador-geral do município, Rick Paranhos; e o delegado regional de Polícia Civil (PC), Vitor Hugo Heisler (foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação)
Coletiva à imprensa desta quarta-feira (19) contou com as seguintes participações (da esquerda para a direita): tenente da Polícia Militar (PM), Josué Muniz; secretária municipal de Saúde, Lorena de Pinho Magalhães; vice-prefeito Mauro Chaves; prefeito Robson Magela; procurador-geral do município, Rick Paranhos; e o delegado regional de Polícia Civil (PC), Vitor Hugo Heisler (foto: Prefeitura de Araxá/Divulgação)
Diante de altos números de novos casos da COVID-19 em Araxá, o prefeito Robson Magela disse em coletiva à imprensa local, nesta quarta-feira (19/5), que haverá tolerância zero para quem desrespeitar as medidas sanitárias previstas no decreto municipal de enfrentamento à doença.
Desta forma, segundo o prefeito de Araxá, não haverá mais conversa com donos de estabelecimentos comerciais que forem flagrados descumprindo, de alguma forma, as regras previstas no atual decreto municipal.

Eles serão notificados e multados em 50 UFPA (o valor da Unidade Fiscal da prefeitura de Araxá é R$ 53,87), totalizando R$ 2.693,50. O mesmo valor de multa será aplicado ao proprietário e ao locatário de área de lazer, pessoa física ou jurídica, na hipótese de  identificação de aglomeração irregular de pessoas no local. 
 
Também com tolerância zero, serão multadas em Araxá as pessoas que participarem de reuniões em locais privados que causem aglomeração, considerando reuniões com 10 ou mais pessoas que estejam com propósitos recreativos.

Neste caso a multa aplicada será de 20 UFPA, ou seja, R$ 1.077,40 por pessoa. 
 
Segundo informações da Secretária de Saúde de Araxá, o número de casos voltou a subir na cidade nas últimas semanas. Desde que o município deixou a onda roxa, há 38 dias, foram 1.803 novos registros da doença e 31 óbitos.
 
Durante a coletiva, Magela disse que dados apontam que os focos de contaminação estão sendo bares que desobedecem ao protocolo de biossegurança e festas clandestinas em ranchos e sítios.
 
Desta forma, para conter o alto índice de contágio da COVID em Araxá neste momento, o prefeito Robson Magela informou que serão intensificadas as ações conjuntas com as Secretarias de Saúde e de Segurança Pública, com apoio da Polícia Militar e Polícia Civil.
 
"Portanto, entre as medidas adotadas está a fiscalização mais rigorosa, com aplicação de multas a quem não estiver respeitando os protocolos. Quem não tiver empatia e respeito pela vida vai ser penalizado; vai doer no bolso", disse. 
 
A secretária municipal de Saúde, Lorena de Pinho Magalhães, declarou que os profissionais de saúde estão abalados, já que a Santa Casa e a UPA estão sempre lotadas.

“Não há trégua nestes locais. E na rua, no final de semana, as pessoas agem como se nada estivesse acontecendo. Ruas e bares lotados, pessoas se aglomerando e sem máscara. A nova variante é muito rápida e agressiva. A saturação cai rápido e em poucos dias a pessoa precisa ser intubada. Precisamos que todos tenham consciência e cumpram os protocolos sanitários”, alertou Lorena.
 

Taxa de ocupação dos leitos de UTI/COVID está em 100%

Todos os 20 leitos UTI/COVID disponíveis em Araxá estão ocupados, conforme o último boletim epidemiológico da cidade, divulgado no final da tarde desta quarta-feira (19/2). Dos 26 leitos clínicos disponíveis no município, 20 estão ocupados. 
 
Na cidade há apenas um hospital para tratamento de pacientes com a COVID-19, o Hospital Santa Casa de Misericórdia, que é referência médica para tratamento de pacientes com coronavírus dos municípios de sua microrregião.
 
Ainda conforme o último boletim, nas últimas 24 horas, os novos casos positivos da doença somaram 107, número considerado alto para a cidade.
 
Neste momento, desde o início da pandemia, o município soma 9.968 casos da COVID-19, sendo que 8.865 recuperados, 151 óbitos e 952 casos em recuperação.


Vacinas contra COVID-19 usadas no Brasil

  • Oxford/Astrazeneca

Produzida pelo grupo britânico AstraZeneca, em parceria com a Universidade de Oxford, a vacina recebeu registro definitivo para uso no Brasil pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No país ela é produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

  • CoronaVac/Butantan

Em 17 de janeiro, a vacina desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan no Brasil, recebeu a liberação de uso emergencial pela Anvisa.

  • Janssen

A Anvisa aprovou por unanimidade o uso emergencial no Brasil da vacina da Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, contra a COVID-19. Trata-se do único no mercado que garante a proteção em uma só dose, o que pode acelerar a imunização. A Santa Casa de Belo Horizonte participou dos testes na fase 3 da vacina da Janssen.

  • Pfizer

A vacina da Pfizer foi rejeitada pelo Ministério da Saúde em 2020 e ironizada pelo presidente Jair Bolsonaro, mas foi a primeira a receber autorização para uso amplo pela Anvisa, em 23/02.

Minas Gerais tem 10 vacinas em pesquisa nas universidades

Como funciona o 'passaporte de vacinação'?

Os chamados passaportes de vacinação contra COVID-19 já estão em funcionamento em algumas regiões do mundo e em estudo em vários países. Sistema de controel tem como objetivo garantir trânsito de pessoas imunizadas e fomentar turismo e economia. Especialistas dizem que os passaportes de vacinação impõem desafios éticos e científicos.


Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

 

Entenda as regras de proteção contra as novas cepas

[VIDEO4]

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade