Publicidade

Estado de Minas RECONHECIMENTO

Estado de Minas recebe 5 prêmios internacionais de design de notícias

European Newspaper Award premiou capas sobre coronavírus, queimadas e duas páginas do Pensar. Disputa reuniu 164 jornais de 25 países


11/12/2020 04:00 - atualizado 11/12/2020 09:11

A notícia é a estrela do jornalismo. E a forma de levá-la diariamente ao leitor, com criatividade, é fundamental para o melhor entendimento da informação, aliado ao prazer diante das páginas impressas. Sempre valorizando o “design da notícia”, o Estado de Minas foi o único jornal brasileiro premiado na 22ª edição do The European Newspaper Award, um dos mais respeitados do setor editorial, que recebeu, em 2020, trabalhos publicados em 164 jornais de 25 países, muitos de fora do continente europeu.

Nesta edição, com resultado divulgado nesta quinta-feira (10/12), foram também destacados alguns dos veículos de comunicação mais importantes do mundo, como  Sunday Times e Financial Times (Reino Unido), ABC (Espanha), Expresso e Público (Portugal), Politiken (Dinamarca) e Berliner Morgenpost, Die Welt e Augsburger Allgemeine (Alemanha). É o terceiro ano consecutivo que o “Grande jornal dos mineiros” é premiado no concurso, que, desde 2013, passou a aceitar inscrições de veículos de fora da Europa.  

O Estado de Minas ganhou prêmios com cinco trabalhos: três capas e duas páginas duplas do suplemento Pensar. As primeiras páginas “Brasil sem rumo” e “A guerra que o Brasil perdeu” foram premiadas na categoria especial Crise do Coronavírus, o grande assunto do noticiário do ano. A outra capa premiada, “No limite: Incêndio na Serra da Lapinha”, foi lembrada na categoria Primeira Página/Notícias Locais.

Já o suplemento Pensar, publicado às sextas-feiras, foi reconhecido na categoria Especiais pelos trabalhos “Como nasce o fascismo”, a respeito do livro M – O filho do século, do italiano Antonio Scurati, e “O mistério do fim da existência”, sobre o romance Crocodilo, do brasileiro Javier Contreras.

Categoria Especial: Coronavírus
A guerra que o Brasil perdeu
9/8/2020
Alexandre Perez, Álvaro Duarte,
Carlos Marcelo, Júlio Moreira e Quinho

Trabalho intenso

Para o diretor de Redação do jornal e um dos criadores dos trabalhos, Carlos Marcelo Carvalho, o reconhecimento internacional é particularmente valioso pelo fato de três das cinco premiações terem sido com a apresentação de duas notícias de repercussão mundial: os desencontros da política do governo brasileiro no combate ao coronavírus e as queimadas no país. “Em um ano de trabalho intenso e desafiador para os jornalistas, os prêmios na Europa servem de estímulo para a gente prosseguir em uma das maiores missões de nossa profissão: escrever, no calor da hora, a história.” 

Categoria Especial: Coronavírus
Sem rumo
16/5/2020
Alexandre Perez, Carlos Marcelo, 
Júlio Moreira, Janey Costa e Rafael Alves

Já o subeditor de Artes, Júlio Moreira, que participou da criação visual de todos os trabalhos premiados, ressalta que os prêmios obtidos pelo Estado de Minas reafirmam “o compromisso do jornal com a qualidade do design de notícias, fruto do esforço coletivo, que não foi prejudicado com a necessidade de mudança no ambiente de trabalho por causa da pandemia”.

Referência no design

Moreira observa que, ao longo dos anos, o EM se destaca no design de notícias. “É um dos jornais mais premiados do Brasil. Este ano, com um diferencial, pois todas as páginas, com exceção de ‘Como nasce o fascismo’, foram feitas em home office, o que demonstra uma grande sintonia entre a nossa equipe.” Além de Carlos Marcelo e Júlio Moreira, participaram dos trabalhos outros profissionais da Redação, como Alexandre Cruz, Álvaro Duarte, Bertha Maakaroun, Janey Costa, Paulo Nogueira, Rafael Alves, Renata Neves e o cartunista Quinho.

Categoria: Primeira página/Notícias Locais
No limite
13/10/2020
Alexandre Perez, álvaro Duarte, 
Carlos Marcelo, Júlio Moreira e Leandro Couri

Incêndio na Serra do Cipó

Autor da foto de capa sobre o incêndio na Lapinha, na Serra do Cipó, o repórter fotográfico Leandro Couri se emociona ao falar sobre a imagem que viralizou nas redes sociais: “A foto não é mais minha, é do mundo. Virou um ícone dos brigadistas voluntários que trabalharam no período em que houve grande devastação no Brasil devido aos incêndios”. Couri conta que já estava de volta a Belo Horizonte quando viu o brigadista apagando o fogo, saindo do meio da fumaça, e depois, exausto, com o rosto sobre a mochila. “O jornalismo tem esse diferencial. Você acha que terminou o serviço, mas sempre tem algo mais. Surpreende.”

Categoria Página Especial

Como nasce o fascismo (Pensar)
14/2/2020
Júlio Moreira, carlos marcelo, Bertha Maakaroun e Paulo Nogueira

Organizado anualmente pelo designer alemão Norbert Küpper, o European Newspaper Award reconhece o que há de melhor do design de notícias em jornais do mundo. Nesta 22ª edição, houve mais de 4 mil inscrições provenientes de 25 países, nas 20 categorias da competição. Diante da pandemia do novo coronavírus, foi criada uma categoria especial intitulada Crise do Coronavírus.

Categoria Página Especial

O mistério do fim da existência (Pensar)
22/5/2020
Júlio Moreira  e Paulo Nogueira

Do júri, participaram jornalistas e designers da Espanha, Portugal, Suíça, Holanda, Bélgica, Dinamarca, Noruega, Suécia, Irlanda, Reino Unido e Alemanha. A cerimônia de premiação está prevista, a princípio, para junho, no Palácio de Schonbrunn, em Viena, Áustria.

Tradição de páginas premiadas

No ano passado, na 21ª edição do European Newspaper Award, o EM conquistou quatro prêmios: três na categoria Capa e Cobertura Regional e um na categoria Primeira Página – Regional. Participaram daquela edição 184 jornais de 25 países de todas as partes do mundo. Ao todo, foram enviadas mais de 4 mil publicações, divididas em 20 categorias, que passaram por criterioso processo de análise de 17 juízes. Além do conteúdo impresso, foram julgados 286 conteúdos digitais de 11 países.

A primeira página “Brasil volta a copiar o horror” foi publicada em 14 de março de 2019, sobre o massacre feito por dois atiradores em escola em Suzano, no interior de São Paulo, quando 10 pessoas foram executadas. A versão impressa mostra a imagem do atirador e a evolução das mortes por ataques de alunos ou ex-estudantes de instituições de ensino nos Estados Unidos e no Brasil.
Páginas premiadas em 2018 pela Society for News Design (SND), premiação considerada o Oscar do design de notícias(foto: Reprodução)
Páginas premiadas em 2018 pela Society for News Design (SND), premiação considerada o Oscar do design de notícias (foto: Reprodução)


Massacre de Altamira

A cobertura de outro massacre, desta vez no Centro de Recuperação Regional de Altamira, no Pará, onde 57 detentos foram brutalmente mortos durante uma briga de facções, garantiu prêmio na mesma categoria para a capa “O país que banalizou a barbárie”. A primeira página, publicada em 30 de julho de 2019, traz a imagem de uma mão ensanguentada, com o mapa do Brasil ao centro. A terceira premiada na categoria foi a primeira página “Pátria Armada”, de 15 de janeiro de 2019, que abordou a assinatura pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, do decreto que permitia a cidadãos a posse de até quatro armas de fogo em casa.
Páginas premiadas em 2019 pela Society for News Design (SND), premiação considerada o Oscar do design de notícias(foto: Reprodução)
Páginas premiadas em 2019 pela Society for News Design (SND), premiação considerada o Oscar do design de notícias (foto: Reprodução)

Em 2016, o Estado de Minas conquistou três prêmios no 18º European Newspaper Award, dois deles por excelência gráfica. O primeiro pela capa anunciando a abertura da exposição do pintor holandês Piet Mondrian em Belo Horizonte, e a segunda pela capa que teve como manchete “O preço da pizza”, publicada em 23 de outubro de 2015 e ilustrada com trabalho do artista Quinho. A página faz referência aos gastos da CPI da Petrobras, que terminou sem indiciar ninguém.

Vozes de Mariana

O terceiro prêmio foi para as fotografias do especial Vozes de Mariana. O caderno, com imagens do repórter fotográfico Alexandre Guzanshe, publicou relatos de sobreviventes do rompimento da Barragem de Fundão, em Bento Rodrigues (subdistrito de Mariana), que matou 19 pessoas. O trabalho foi inspirado no mais celebrado livro da escritora e jornalista bielorrussa Svetlana Alexievich, Prêmio Nobel de Literatura em 2015. Na publicação, de 1997, Svetlana reuniu depoimentos dos que sobreviveram ao terrível desastre nuclear ocorrido em 1986.
Contracapa e primeira página do Estado de Minas em 2019 premiadas na 21ª edição do European Newspaper Award(foto: Reprodução)
Contracapa e primeira página do Estado de Minas em 2019 premiadas na 21ª edição do European Newspaper Award (foto: Reprodução)

Em 2013, na primeira vez em que um país não europeu foi autorizado a concorrer no European Newspaper Award, sendo o Brasil o convidado de honra, o Estado de Minas conquistou 12 prêmios de excelência, divididos em sete categorias. 

Entre os trabalhos reconhecidos estavam capas do jornal, capas de cadernos, ilustrações, infografias, fotografias e páginas sobre temas que marcaram aquele ano, como as manifestações populares de julho, a renúncia de Bento XVI e a escolha do papa Francisco.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade