Publicidade

Estado de Minas IMUNIZAÇÃO

'Teremos uma vacina segura', diz secretário de Saúde de Minas Gerais

Governo estadual faz plano de contingenciamento para imunização contra a COVID-19; já são mais de 5 mil mortes pela doença em MG, além de 218 mil casos confirmados


01/09/2020 19:48 - atualizado 01/09/2020 20:14

Carlos Eduardo Amaral afirma que Minas já está se preparando para organizar as etapas da vacinação em massa(foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)
Carlos Eduardo Amaral afirma que Minas já está se preparando para organizar as etapas da vacinação em massa (foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-MG) promete se preparar de forma antecipada para a imunização contra o novo coronavírus, para que tudo esteja pronto no momento em que as vacinas forem registradas no Brasil. Em live na noite desta terça-feira (1º/9), o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, anunciou que Minas já comprou equipamentos e vem organizando agenda para a vacinação em massa. 
 
"Precisamos estar preparados para termos condições de levá-la a cada cidadão. Esperamos ter a rede estruturada, treinada e preparada para a ação", afirma o secretário, que na transmissão esteve acompanhado da diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis, Janaína Fonseca, e do secretário-adjunto de Saúde, Marcelo Cabral.

Carlos Eduardo afirma que a imunização tem de ser segura e eficaz: "De forma nenhuma vamos antecipar a distribuição da vacina. Para fazer vacinação em massa é fundamental que tenhamos a validação de uma vacina. Isso significa que ela tem de passar por todos os estágios da comprovação científica, imunizando a pessoa. E ela tem de provar que é segura. O número de complicações tem de tender a zero".

Janaína Fonseca, por sua vez, diz que Minas já tem programada a compra de acessórios para organizar as etapas da vacinação, ainda sem data prevista: "Vários processos de compras já estão em andamento, sobretudo seringas em agulhas, porque elas podem estar em falta no mercado. Depois iniciamos a fase de campanha, evidenciando os grupos de riscos. Aguardaremos as diretrizes do Ministério da Saúde. Em seguida, vamos evidenciar esta fase de aplicação e mapear os grupos que não foram imunizados". 

Ela se mostra pouco confiante no surgimento da vacina ainda em 2020: "É um pouco difícil ter vacina neste ano. Talvez seja a partir de fevereiro do ano que vem".

Como estão os testes


As vacinas serão adquiridas pelo Ministério da Saúde e em seguida distribuídas aos estados. O Brasil trabalha essencialmente com duas imunizações. Por meio de uma parceria com a Universidade de Oxford, a Fundação Oswaldo Cruz já está na Fase 3 dos ensaios clínicos, que é a última etapa de testes em seres humanos para determinar segurança e eficácia. 

O Ministério da Saúde prevê repasse de R$ 522 milhões para o processamento da vacina. E mais R$ 1,3 bilhão para trazer ao Brasil os insumos para a fabricação.

Além disso, estão previstos R$ 95 milhões em investimentos para adaptar os laboratórios de Bio-Manguinhos, da Fiocruz, no Rio. 

Também já está na Fase 3 de testes a vacina chinesa do laboratório Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan. A UFMG está participando do processo de testes da imunização, feitos somente em profissionais de saúde voluntários.

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade