Publicidade

Estado de Minas

Belo Horizonte é cenário de disputa em torno de reabertura na pandemia

Kalil e Zema vêm travando disputa política desde que a doença se expandiu no país ao adotar medidas diferentes


postado em 19/06/2020 06:00 / atualizado em 19/06/2020 08:17

 Movimentação nas ruas de BH em dia de pico: especialistas afirmam que elevação de casos na cidade era esperada(foto: ladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 12/6/20)
Movimentação nas ruas de BH em dia de pico: especialistas afirmam que elevação de casos na cidade era esperada (foto: ladyston Rodrigues/EM/D.A Press - 12/6/20)


No momento em que se acende novamente o debate sobre a flexibilização da quarentena, o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), anunciará na tarde de hoje se avançará mais um passo na reabertura gradual da economia da cidade. Isso significa que novos setores do comércio poderão ter o sinal verde para voltar a funcionar, depois de mais de três meses sem atividades. Mas, por outro lado, a capital mineira fica em estado de alerta depois de o governador Romeu Zema (Novo) ter afirmado ontem que o próprio Executivo estadual pode tomar medidas mais drásticas para conter o avanço do coronavírus.
 
Na semana passada, Kalil anunciou que frearia a flexibilização em Belo Horizonte, reconhecendo que houve expansão da doença depois de a prefeitura liberar o funcionamento de alguns setores. Atualmente, estão liberados apenas os serviços essenciais e alguns setores, como lojas de artigos usados, materiais esportivos, calçados, artigos de viagem, joalherias e bebidas. Cada setor teve um horário estabelecido para abrir seus espaços, para evitar aglomerações no metrô e nos ônibus.
 
Kalil e Zema vêm travando disputa política desde que a doença se expandiu no país ao adotar medidas diferentes. O chefe do Executivo municipal manteve-se rígido nas medidas de isolamento social durante algum tempo e optou por não aderir ao programa Minas Consciente, criado pelo governo do estado para orientar criteriosamente a abertura das atividades. Na capital, os casos de infectados e mortes também atingiram números preocupantes – são 3.810 pessoas diagnosticadas com COVID-19 e 86 óbitos, segundo boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde ontem.
 
O prefeito da capital chegou a alfinetar o governador mineiro a respeito da política de combate à pandemia: “O programa de Minas é um programa jogado nas costas do prefeito. Quem resolve é o prefeito. Que programa de Minas? Quem resolve é o prefeito... Nós não precisamos de conselho. Precisamos de dinheiro e liderança. Eu não preciso de conselho. Preciso de dinheiro e liderança”.
 
Vários setores do comércio pressionam a prefeitura a liberar as atividades diante da perda de arrecadação financeira desde o início da pandemia. De acordo com balanço feito pela Câmara dos Dirigentes Logistas (CDL-BH), o comércio teve prejuízo de 70% com o fechamento das atividades na capital.
 
O secretário de estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, chegou a elogiar BH por apresentar “bons resultados” durante a pandemia. Ele também disse que “entende e respeita” a decisão de a capital não aderir ao Minas Consciente e garantiu que os prefeitos têm liberdade para tomar as medidas cabíveis.

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade