Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS EM MINAS

Coronavírus: autoridades pedem à PBH álcool e plano para proteção de moradores de rua

Recomendação também solicita à prefeitura o mapeamento de imóveis ociosos que tenham estrutura para abrigar essa parcela da população. Ainda estão na lista a intensificação das políticas contra as drogas e acesso à saúde pública


postado em 23/03/2020 19:05 / atualizado em 23/03/2020 23:58

Moradores em situação de rua se tornaram preocupação com o crescimento dos casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus em Belo Horizonte, a cidade mais atingida pela doença em Minas(foto: Fred Bottrel/EM/D.A Press)
Moradores em situação de rua se tornaram preocupação com o crescimento dos casos suspeitos e confirmados do novo coronavírus em Belo Horizonte, a cidade mais atingida pela doença em Minas (foto: Fred Bottrel/EM/D.A Press)

 

Moradores em situação de rua podem receber apoio na batalha contra o novo coronavírus em breve. Está nas mãos da Prefeitura de Belo Horizonte uma recomendação jurídica para que o Executivo municipal crie uma Plano de Contingência Emergencial Intersetorial para proteger essa parcela da população, que está vulnerável à infecção causadora da COVID-19.

 

O plano – proposto pelas defensorias públicas de Minas Gerais e da União e pelos ministérios públicos do Trabalho e Federal – é dividido em 20 pontos.

 

As autoridades pedem à prefeitura que não só mantenha o funcionamento dos programas e albergues que se voltam aos moradores em situação de rua, mas também intensifique as políticas de prevenção à Aids e de enfrentamento às drogas.

 

A preocupação com as drogas, conforme a recomendação, se dá sobretudo pela possibilidade de compartilhamento de seringas e cachimbos pelos moradores em situação de rua, o que seria ponto chave para a proliferação do novo coronavírus.

 

Outra questão abordada na recomendação é a necessidade de fornecimento de insumos para proteção dos moradores em situação de rua, tais como álcool em gel, máscaras faciais e produtos de higiene pessoal. 

 

A disponibilização de copos descartáveis também está na lista. Eles poderiam ser usados, por exemplo, nos pontos de água potável que seriam instalados pela prefeitura – outro pedido da recomendação das promotorias.

 

Moradia 

 

Quanto aos abrigos, a recomendação aborda a necessidade de priorizar os moradores em situação de rua que fazem parte do grupo mais vulnerável ao novo coronavírus: idosos, diabéticos, os diagnosticados com alguma doença crônica.

 

Ainda conforme o texto, reduzir o número de pessoas por quarto também é medida necessária para frear a proliferação do vírus.

 

O objetivo é evitar a rotatividade de moradores em situação de rua, fazendo com que uma mesma pessoa use sempre o mesmo espaço.

 

Ainda nesse âmbito, as autoridades pedem que a PBH mapeie imóveis públicos e privados que estejam ociosos.

 

O intuito é que aqueles que tenham estrutura adequada sirvam de abrigo para os moradores em situação de rua.  

 

Alimentação 

 

O acesso à comida também é preocupação das defensorias públicas e dos ministérios públicos.

 

Eles pedem que a prefeitura forneça alimentação três vezes ao dia nos restaurantes populares, bem como mantenha a entrega da cesta básica àqueles que são beneficiários do Programa Bolsa Moradia.

 

Outro lado

 

De acordo com a recomendação, a prefeitura tem 48 horas para se posicionar sobre o tema. Procurado, o Executivo municipal esclareceu que já recebeu o documento, mas ainda o analisa.

 

Contudo, garantiu que dará uma resposta às autoridades dentro do prazo previsto.

 

 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

 

 

Gráfico mostra a evolução diária de casos confirmados de coronavírus no Brasil

 

Como se prevenir?

 

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
 

Quais os sintomas do coronavírus?

 

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19: 

 

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
 
Em casos graves, as vítimas apresentam: 
 
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

 
Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: 
  • O álcool em gel é capaz de matar o vírus? 
  • O coronavírus é letal em um nível preocupante? 
  • Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? 
  • A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? 

 

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também: 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade