Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2022

Zema confirma que deseja reeleição, mas não descarta o Planalto

Governador disse que precisa de mais tempo para deixar seu trabalho completo em Minas e afirmou que cabe ao partido decidir o nome do candidato à Presidência


01/06/2021 13:50 - atualizado 01/06/2021 14:41

Apesar de ter a intenção de seguir no governo de Minas, Zema não descartou disputar a Presidência da República: 'Vai caber ao partido decidir o nome'(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Apesar de ter a intenção de seguir no governo de Minas, Zema não descartou disputar a Presidência da República: 'Vai caber ao partido decidir o nome' (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) reafirmou nesta terça-feira (1º/6) que tem intenção de se candidatar à reeleição nas eleições gerais de 2022.

Empresário de carreira e em primeiro mandato como agente político, Zema foi eleito chefe do Executivo mineiro em 2018 e afirmou que vai precisar de “mais tempo” para deixar um “trabalho completo” no estado. Porém, não descarta ser o escolhido pelo Novo para disputar a Presidência da República.

“Eu pretendo ser candidato ao governo de Minas. Depois de dois anos e meio à frente do governo, eu já percebi claramente que, devido à velocidade do setor público, como algumas privatizações que nós já fizemos algumas, mas outras precisam ser feitas, subsidiárias da Cemig, eu vou precisar de mais tempo. As coisas no setor público são mais morosas, é muita burocracia, é muito questionamento. Então, eu quero deixar meu trabalho completo em Minas Gerais, eu quero deixar o estado bem estruturado, um estado muito melhor do que aquele que eu peguei. Já avançamos muito, mas temos muito o que avançar”, afirmou Zema, em entrevista ao Programa Pânico, da Rádio Jovem Pan.

Zema ainda não se coloca definitivamente como candidato ao governo de Minas em 2022. Junto de João Amoêdo, candidato à Presidência da República em 2018 pelo Novo, o mineiro é um dos cotados como nome da legenda para o Palácio do Planalto no ano que vem.

Zema afirma que o relacionamento com Amoêdo é bom, apesar de alguns desentendimentos a respeito de certos posicionamentos políticos.

“Meu relacionamento com o Amoêdo é muito bom. Respeito-o, estivemos juntos na campanha dele para presidente, minha para governador, e vai caber ao partido decidir o nome. Boa relação, o que já saiu de alguma coisa é mais intriga do que propriamente verdade”, disse o governador na mesma entrevista.

Na sequência, Zema disse que, caso dispute o posto de governador, irá apoiar o nome do Novo para a o Planalto, apesar de, segundo ele, admirar o atual presidente da República e provável nome à reeleição, Jair Bolsonaro (sem partido).

O governador também traçou diferenças sobre o último pleito, quando foi azarão e superou Antonio Anastasia (PSD), hoje senador e vencido em segundo turno, e Fernando Pimentel (PT), candidato à reeleição e derrotado ainda no primeiro.

“Minha provável reeleição vai ser uma situação muito diferente da minha eleição. Vamos ter coligações, porque na última eleição fiquei fora do radar até três dias antes da eleição. Fui fazendo trabalho no interior do estado, onde tenho penetração maior, e até três dias antes o meu nome estava descartado”, afirmou.

Um dos cotados como rival de Zema em 2022 para o governo de Minas é Alexandre Kalil (PSD), prefeito de Belo Horizonte e reeleito nas eleições municipais de 2020. O governador, que entrou em rota de colisão com Kalil especialmente a partir do ano passado por conta da gestão durante a pandemia, considera normal algumas discordâncias e não chegou a comentar uma possível disputa com o belo-horizontino.

“São 853 prefeitos, trato todos igualmente bem. Todos os 853 prefeitos, na última gestão, deixaram de receber R$ 7,2 bilhões. Estou devolvendo aquilo que era responsabilidade do último governo para todos. Meu relacionamento com os prefeitos é o melhor possível. Agora, eventualmente, vejo que há alguma agressão por parte de alguns prefeitos, que inclusive pode ser do prefeito de Belo Horizonte, mas considero isso normal no mundo político. Você não agrada a todos, estou lá para fazer o trabalho que está dando certo”, concluiu Zema, durante participação no Programa Pânico.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade