Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Equação matemática pode ajudar a enfrentar o coronavírus

Modelo criado por startup e usado em São Paulo para prever a demanda de UTIs e respiradores, é capaz de determinar o período entre a pessoa estar infectada e se recuperar


postado em 16/06/2020 17:21 / atualizado em 16/06/2020 17:50

Startup desenvolveu equação matemática pode ajudar a enfrentar a pandemia do coronavírus(foto: Agência Brasil)
Startup desenvolveu equação matemática pode ajudar a enfrentar a pandemia do coronavírus (foto: Agência Brasil)
A pandemia do novo coronavírus mobilizou diversas empresas a desenvolverem estratégias que possibilitam o enfrentamento da COVID-19. A Aerothermal Solutions (ATS), startup que combinava técnicas computacionais com metodologias da engenharia tradicional, investiu no ramo da biotecnologia e criou um modelo matemático para combater a doença

Segundo a ATS, a equação matemática é capaz de determinar o período entre a pessoa estar infectada e se recuperar. Também estima a quantidade de leitos de enfermaria e de UTI que serão utilizados a cada dia na rede de tratamento da doença e ainda prevê o número de mortes e novas contaminações. 

Essa equação é baseada no modelo Lokta-Volterra, que prevê o número de pessoas suscetíveis, expostas, assintomáticas, infectadas, recuperadas e mortas de uma doença, segundo o CEO da ATS, Guilherme Silva. “O modelo é ajustado com dados reais de infectados, recuperados e mortos. Assim pode-se usar para a previsão para frente no tempo”, explica. 

E a proposta da Aerothermal Solutions foi incorporada a uma ferramenta elaborada pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) para auxiliar o estado de São Paulo no controle da doença. “O governo de São Paulo tem usado ferramentas científicas para prever a demanda de UTIs e respiradores. É com muita satisfação que vemos essa tecnologia sendo aplicada para salvar vidas. Foi uma colaboração sem ganho (pró-bono) de cunho humanitário que usou nossa capacidade de entender os problemas e transformar em linguagem matemática”, comemora.

E segundo a ATS, esse modelo já abrange vários países e foi validado com dados da China, Estados Unidos, Itália, Alemanha e Espanha. Agora está sendo desenvolvido uma previsão para todos os estados brasileiros, sendo os primeiros São Paulo, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Ceará, Pará, Amazonas e Pernambuco.

*Estagiária sob supervisão da editora-assistente Vera Schmitz


O que é coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.



Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus.

 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Gráficos e mapas atualizados: entenda a situação agora
Vitamina D e coronavírus: o que já sabemos
Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa
Animais de estimação no ambiente doméstico precisam de atenção especial
Coronavírus x gripe espanhola em BH: erros (e soluções) são os mesmos de 100 anos atrás
Vídeo: coronavírus, quando isso tudo deve acabar?


Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade