Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS

Por que animais usados em casacos de pele estão virando preocupação na pandemia e colocando dúvidas sobre o futuro das vacinas

Ao menos seis países relataram surtos em criações de visons, mamíferos que têm se mostrado particularmente suscetíveis ao coronavírus %u2014 e que estão sendo abatidos por isso.


10/11/2020 07:04 - atualizado 10/11/2020 08:15


Durante a pandemia, visons foram infectados por trabalhadores agrícolas e, ocasionalmente, transmitiram o vírus para humanos %u2014 um ciclo que preocupa cientistas(foto: Getty Images)
Durante a pandemia, visons foram infectados por trabalhadores agrícolas e, ocasionalmente, transmitiram o vírus para humanos %u2014 um ciclo que preocupa cientistas (foto: Getty Images)

Usados na indústria de pele animal, os visons estão se tornando uma preocupação crescente na Europa por seu papel na transmissão do coronavírus.

Até agora, seis países relataram surtos de coronavírus em criações destes mamíferos: Holanda, Dinamarca, Espanha, Suécia, Itália e os Estados Unidos.

Surgem também indícios de que o vírus pode estar migrando destes animais para humanos — uma variante do vírus, alterada por mutações e detectada em pacientes na Dinamarca, foi previamente encontrada em visons na Holanda.

É o que diz o professor Wim van der Poel, pesquisador em veterinária da Universidade de Wageningen. Ele afirma que dados genéticos coletados na Holanda mostram um caso anterior desta mutação em uma criação de visons no início de maio.

"Em uma ocasião, observamos um vírus mutante, com uma mutação semelhante (à detectada na Dinamarca) na região codificadora da proteína spike, em visons na Holanda. Entretanto, esta variante do vírus não havia se propagado para humanos e os visons da fazenda em questão foram abatidos."

Durante a pandemia, estes animais foram infectados por trabalhadores agrícolas e, ocasionalmente, transmitiram o vírus para humanos. É normal que vírus passem por mutações ao longo do tempo, mas pesquisadores ficam particularmente preocupados quando há transmissão entre animais e pessoas.

Já há relatos de diversos tipos de animais infectados pelo coronavírus, mas os visons parecem mais vulneráveis ao Sars-CoV-2. O coronavírus pode se espalhar facilmente em criações onde milhares de animais são mantidos próximos.

Enquanto em lugares como o Reino Unido a criação destes animais com a finalidade de uso da sua pele é proibida, ou onde têm banimento previsto, como na França em 2025, há na Europa grandes produtores. A Dinamarca é a líder a nível mundial, tendo como principais importadores a China e Hong Kong. A Holanda é outra grande exportadora, mas planeja extinguir este tipo de criação em 2021.

Após indícios de que humanos contraíram o coronavírus de visons, o governo da Dinamarca determinou um abate generalizado destes animais.


Visons são criados muito próximos, uma condição ideal para a proliferação do coronavírus(foto: Getty Images)
Visons são criados muito próximos, uma condição ideal para a proliferação do coronavírus (foto: Getty Images)

Preocupação com futuro das vacinas

Cientistas estão preocupados com as mutações detectadas nos animais e relacionadas às infecções de cerca de dez pessoas na Dinamarca. Isto porque as alterações foram encontradas na proteína spike, que o vírus usa para se "prender" nas celulas humanas e é alvo fundamental de vacinas em estudo — estas, diante das mutações, poderiam ficar mais comprometidas.

Entretanto, pesquisadores como o professor James Wood, da Universidade de Cambridge, recomendam cautela.

Ele diz que identificar mutações genéticas demanda uma avaliação cuidadosa, o que, nos casos da Dinamarca, se faz "urgentemente necessário".

A criação de visons também exige "mais ações de biossegurança (ou suspensão) neste momento", acrescenta Wood.

O professor Dirk Pfeiffer, do Colégio Real de Veterinária de Londres, explica que embora as mutações nos vírus ocorram o tempo todo à medida que se espalham, a questão mais importante é se elas levam em conta a mudanças nas características do vírus.

"Nesta fase, parece que pode haver problemas com a eficácia da vacina, mas isso ainda não está evidente", diz.

É necessária uma vigilância eficaz para detectar o surgimento de novas formas do patógeno precocemente, acrescenta Pfeiffer.

O Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças, uma agência da União Europeia, disse que publicará esta semana uma orientação sobre a disseminação do Sars-CoV-2 em criações de visons.


Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!


O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade