Publicidade

Estado de Minas ARTE NA PANDEMIA

Os engenhosos tutus de balé criados para dançar em tempos de distanciamento social

Companhia de balé inglesa não só se apresentará para público pequeno, como bailarinos usarão trajes que os permitirão cumprir regras impostas pela pandemia


06/11/2020 05:32 - atualizado 06/11/2020 06:19


Tanto as mulheres como os homens da companhia Birmingham Royal Ballet usam máscaras e os novos tutus(foto: Tyrone Singleton)
Tanto as mulheres como os homens da companhia Birmingham Royal Ballet usam máscaras e os novos tutus (foto: Tyrone Singleton)

O aclamado dançarino e coreógrafo cubano Carlos Acosta, que já foi a estrela principal do Royal Ballet de Londres, retorna ao palco com um programa de balé habilmente elaborado para respeitar as restrições impostas pela pandemia do coronavírus.

Com seu novo espetáculo Lazuli Sky (céu lápis-lazúli) a companhia de balé dirigida pelo cubano, Birmingham Royal Ballet, não só se apresentará para um pequeno público, como os bailarinos usarão trajes que os permitirão cumprir as regras de distanciamento social.


Os bailarinos ensaiam em pequenos grupos, usando máscaras(foto: Tyrone Singleton)
Os bailarinos ensaiam em pequenos grupos, usando máscaras (foto: Tyrone Singleton)

A novidade na vestimenta dos bailarinos são as adaptações que fizeram dos tutus — o corpete com saia de várias camadas usadas por bailarinas clássicas — que têm uma circunferência muito mais ampla para manter os dançarinos separados entre si.


O Ballet Nacional dos Países Baixos também incorporou tutus gigantes(foto: Dutch National Ballet/G-Star RAW)
O Ballet Nacional dos Países Baixos também incorporou tutus gigantes (foto: Dutch National Ballet/G-Star RAW)

"Quando começamos (a criar a coreografia), queríamos ter uma apresentação em que ninguém se tocasse. Os bailarinos usam essas estruturas alongadas, que não são estáticas, mas estão em constante movimento, criando formas diferentes e evocando a imaginação", explica Acosta.

Com a evolução da produção, a empresa encontrou maneiras de trabalhar em grupos pequenos, pequenas "bolhas sociais", para se proteger do contágio.


Carlos Acosta foi primeiro bailarino do Royal Ballet de Londres(foto: Jamie Parr)
Carlos Acosta foi primeiro bailarino do Royal Ballet de Londres (foto: Jamie Parr)

Mas, embora os dançarinos que compõem cada um dos grupos possam agora se tocar, eles decidiram manter os tutus gigantes para refletir uma das consequências sociais da pandemia.

"São fantásticos em termos estéticos e marcam a época em que vivemos", acrescentou o artista.


As saias com crinolinas permitiam manter o distanciamento social no século 19(foto: Getty Images)
As saias com crinolinas permitiam manter o distanciamento social no século 19 (foto: Getty Images)

Os tutus foram inspirados no design de crinolinas, peças de outra era atormentada por pandemias. Eram peças colocadas sob saias para deixá-las muito largas, usadas por mulheres ricas no século 19 como barreira contra a varíola e a cólera, bem como para se protegerem de homens que quisessem tocá-las sem seu consentimento.

No novo espetáculo da companhia dirigida por Acosta, o movimento dos bailarinos está restrito ao que os tutus de dois metros de diâmetro lhes permitem fazer.


Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!


O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade