Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

COVID-19: Venezuela amplia confinamento para conter variante brasileira

Restrições durante o feriado da semana santa foram ampliadas para tentar frear disparada de casos de coronavírus no país


21/03/2021 21:44 - atualizado 21/03/2021 22:07

Venezuela acumulava até 20 de março 150.306 infecções de COVID-19 e 1.483 mortes (foto: Yuri CORTEZ/AFP)
Venezuela acumulava até 20 de março 150.306 infecções de COVID-19 e 1.483 mortes (foto: Yuri CORTEZ/AFP)
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou neste domingo (21/03) a prorrogação do confinamento durante a semana santa para frear o avanço da variante brasileira do coronavírus, que já disparou os casos no país.


"Anuncio que a semana santa este ano será em uma quarentena radical novamente", afirmou Maduro durante um discurso transmitido pela televisão estatal em que decretou 14 dias seguidos de confinamento a partir desta segunda-feira (22/03) para tentar conter o avanço da COVID-19.

Em meio a um esquema que consiste em sete dias de relaxamento seguidos de sete de "quarentena radical", Maduro, que se disse preocupado com a variante brasileira e com um "relaxamento" dos cidadãos, pediu um reforço do isolamento.

Embora a variante brasileira seja um "fator fundamental" no aumento de casos confirmados, o "fator multiplicador" é o "relaxamento das medidas de prevenção", apontou o presidente, que questionou a proliferação de festas.


Segunda onda de infecção

Na sexta-feira, o governo venezuelano alertou para a chegada de uma segunda onda de COVID-19 mais contagiosa do que a registrada em 2020, em consequência da variante que surgiu no Brasil.

Sem detalhar o percentual, Maduro ressaltou que, por conta disso, "a ocupação de leitos hospitalares está aumentando" na Venezuela.

Até sábado, o governo confirmou 150.306 infecções e 1.483 mortes no país de 30 milhões de habitantes, mas os números são questionados pela oposição e por organizações não governamentais.

Vacinação na Venezuela

A Venezuela inicou sua campanha de vacinação em fevereiro com a vacina russa Sputnik V, tendo como prioridade profissionais de saúde e autoridades. Em março, também passou a aplicar a injeção da farmacêutica chinesa Sinopharm.

Com a oposição, liderada por Juan Guaidó, foi acordada a liberação de 30 milhões de dólares para acessar vacinas pelo mecanismo Covax da OMS.

Maduro informou ainda que na primeira semana de abril chegarão 60 mil vacinas desenvolvidas em Cuba para ensaios clínicos.

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte. 

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade