Publicidade

Estado de Minas PREVENÇÃO A CAMINHO

COVID-19: Rússia afirma que vacina Sputnik V tem eficácia de 95%

Primeiros testes, divulgados há quase duas semanas, indicaram eficácia inferior à desta terça-feira (24)


24/11/2020 08:43 - atualizado 24/11/2020 09:12

Eficácia da vacina russa subiu, segundo novas informações(foto: Natalia KOLESNIKOVA / AFP)
Eficácia da vacina russa subiu, segundo novas informações (foto: Natalia KOLESNIKOVA / AFP)

A Rússia afirmou nesta terça-feira (24) que sua vacina Sputnik V contra a COVID-19, desenvolvida pelo Centro de Pesquisas Gamaleya de Moscou, tem eficácia de 95%.

Estes são resultados preliminares obtidos com voluntários 42 dias após a aplicação da primeira dose, indicaM em um comunicado o centro Gamaleya, o ministério russo da Saúde e o Fundo Soberano russo envolvido no desenvolvimento da vacina.
 

O comunicado, porém, não explica quantos casos foram usados nos cálculos.


"O preço de uma dose da Sputnik V no mercado internacional será inferior a 10 dólares", anunciou em um comunicado separado o Fundo Soberano russo, enquanto para os cidadãos russos a vacina será gratuita.


A Sputnik V está atualmente na fase 3 de testes clínicos randomizados com duplo-cego, com quase 40.000 voluntários.

No dia 11 deste mês, a Rússia havia divulgado que a eficácia da vacina era de 92%. Os dados ainda não haviam sido revisados por outros cientistas e tampouco publicados em periódico científico.


Elogiada pelo presidente Vladimir Putin, a Rússia pouco explicou a documentação científica para a vacina, mas seus criadores reiteraram nesta terça-feira que os dados da pesquisa serão publicados em breve "em uma das principais revistas médicas do mundo e revisados por seus pares".


Trata-se de uma vacina de "vetor viral", que utiliza duas injeções de dois adenovírus (um tipo de vírus muito comum, que provoca resfriados, por exemplo) modificados com uma parte do vírus responsável pela covid-19.


Quando o adenovírus modificado penetra nas células das pessoas vacinadas, estas produzem uma proteína típica do SARS-CoV-2, o que permite ao sistema imunológico reconhecer o vírus e combatê-lo, de acordo com o centro Gamaleya.


A concorrência é intensa para desenvolver uma vacina que freie a pandemia de coronavírus que afeta o mundo desde o início do ano.


O grupo farmacêutico britânico AstraZeneca e a Universidade de Oxford publicaram na segunda-feira que sua vacina tem eficácia média de 70%.


A vacina desenvolvida pela americana Pfizer e alemã BioNTech tem eficácia de 95%, segundo os resultados completos do teste clínico em larga escala, anunciados na semana passada. A empresa americana Moderna anunciou resultados similares (94,5% de eficácia).


A Rússia está disposta a lutar pela liderança na corrida pela vacina e, já em agosto (antes mesmo dos testes clínicos em larga escala), anunciou que a Sputnik V era muito eficaz, o que provocou dúvidas da comunidade científica internacional.

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade