UAI
Publicidade

Estado de Minas CORONAVÍRUS EM BH

COVID: indicadores de BH apresentam estabilidade, mas UTIs seguem em alerta

Apenas o índice que afere a ocupação de leitos de enfermaria sofreu alteração em relação ao boletim anterior, subindo 0,2%


11/11/2021 19:59 - atualizado 11/11/2021 20:11

Imagem de Belo Horizonte
Belo Horizonte apresentou estabilidade nos indicadores da COVID-19 nesta quinta-feira (11/11) (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
Poucas mudanças nos indicadores que aferem o comportamento da COVID-19 em Belo Horizonte em relação ao boletim divulgado nessa quarta-feira (10/11). Segundo o informe publicado nesta quinta (11/11), houve alteração apenas na ocupação de leitos de enfermaria para pacientes com coronavírus. No geral, os índices apresentam estabilidade.

Os leitos de enfermaria para pacientes com COVID-19 das redes pública e privada de saúde tiveram a demanda aumentada em 0,2% em relação ao boletim anterior, indo de 46,8% para 47%. O acréscimo se deu na rede SUS, que conta com 289 vagas. A ocupação, que era de 57,8%, foi para 58%. Já na rede particular, que possui 256 unidades, 34,4% delas estão preenchidas, mesmo índice aferido no informe de ontem.

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) considera a situação como controlada com até 49,9% de ocupação. Entre 50% e 69,9%, é zona de alerta amarelo, visto como intermediário. O alerta máximo, representado pela cor vermelha, acontece de 70% para cima.

Em relação aos leitos de terapia intensiva, a ocupação segue em 50,4%, mesmo índice aferido no boletim dessa quarta. O indicador é o único a estar no patamar amarelo, em alerta.

A transmissão da COVID-19 se manteve em estabilidade, com 0,96, o mesmo índice aferido desde o começo da semana. Isso significa que o patamar segue na zona de controle.

Casos e mortes


Foram confirmados mais 236 casos positivos de COVID-19 e outras três mortes provocadas pela doença. Com isso, Belo Horizonte chegou aos 290.287 diagnósticos positivos de coronavírus e 6.962 vidas perdidas.

Vacinação 


BH registrou mais 29.098 aplicações de vacinas contra a doença. Foram administradas 1.056 de primeira dose, 13.161 de segunda e 14.826 de reforço. Doses únicas (Janssen) administradas foram 55.

A capital mineira já registrou 2.112.234 pessoas imunizadas com a primeira vacina, 1.690.465 com a segunda, 60.614 com a Janssen e 245.255 de reforço. 

O boletim da prefeitura destaca que 82,9% do público-alvo da campanha se protegeu com ao menos uma vacina. Ao mesmo tempo, 66,8% completaram o esquema vacinal.

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?   Posso beber após vacinar?  Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19 .

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade