UAI
Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

BH: bares e restaurantes comemoram abertura sem restrições de horário

Donos de bares e restaurantes reclamam, porém, da falta de ônibus para conseguir ampliar o horário de funcionamento


15/10/2021 17:13 - atualizado 16/10/2021 10:44

Bares e restaurantes de BH
Donos de bares e restaurantes veem movimento crescente nas lojas e consideram liberação uma aliada na batalha contra os prejuízos acumulados (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press )
Os belo-horizontinos aguardam com expectativa o fim do expediente desta sexta-feira. Desde o início da pandemia do novo coronavírus, em março do ano passado, moradores da cidade aguardam a retomada dos horários dos bares. Os proprietários de donos de bares e restaurantes também estão ansiosos e comemoram a nova decisão da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), mas reclamam da falta de ônibus para ampliar o horário. 

Foram publicados nesta sexta-feira (15/10) no Diário Oficial do Município (DOM) as portarias da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte e o decreto do prefeito Alexandre Kalil (PSD), que detalham os novos protocolos sanitários para estabelecimentos de alimentação, eventos esportivos e espetáculos.

A partir da publicação, bares, restaurantes e o comércio de alimentos em geral voltam a funcionar sem restrições de horário . Pelo protocolo vigente, os estabelecimentos só poderiam ficar abertos entre 5h e 1h.

''Toda notícia boa é sempre bem-vinda. Primeiro, a liberação é sinal de que a vacinação está avançando e, consequentemente, menos pessoas estão adoecendo e morrendo. Só isso já é motivo de comemoração'', disse André Gasbarro de Paula, um dos sócios do Cantin Bar, no Bairro Buritis, na Região Oeste de Belo Horizonte.

O comerciante vê o fim da restrição uma oportunidade de recuperar o fôlego, utilizando a flexibilização de acordo com seu público. Nesta sexta, o funcionamento ainda deve ser até 1h. ''Mas vai depender muito dos clientes, aqui quem estabelece a hora de ir embora ou é a restrição quando há ou é o cliente'', contou.

Rond Gaspar é dono do Bar 80, que fica na Savassi, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte, e também comemorou a decisão. ''Vejo a medida com bons olhos. Com a evolução da vacinação como está acontecendo na nossa cidade, não vai fazer diferença ficar até 1h ou 3h. Mas é o momento de continuar mantendo cuidado'', disse. Nesta madrugada, o bar deve funcionar até 2h.

Thales Eduardo Barbosa é proprietário do Bar Ideal, também no Buritis, na Região Oeste de Belo Horizonte. Apesar de comemorar a novidade, ele disse que o estabelecimento já funcionava normalmente até 1h. ''Agora, vamos fechar com mais calma. Ganho tranquilidade com o novo decreto'', contou.

É um consenso entre os donos e gerentes de bares e restaurantes que o movimento está voltando aos poucos, mas ainda não retomaram aos patamares de antes da pandemia da COVID-19. ''Estamos enfrentando uma crise econômica muito grande, com aumentos de preços quase diários, o que retrai muito a retomada. Mas, felizmente, em função da excelente qualidade da nossa comida e da nossa sempre gelada cerveja, não podemos reclamar. Aliás, só agradecer aos clientes que sempre nos prestigiam'', comentou André. 


Falta de ônibus prejudica ampliação do horário

 

Donos de bares e restaurantes reclamam que a ampliação dos horários de funcionamento dos estabelecimentos não foram acompanhadas pelo aumento dos horários das linhas de ônibus. 

O Bolão, que fica no Santa Tereza, na Região Leste de Belo Horizonte, é um dos restaurantes tradicionais para comer um bom macarrão na madrugada. No entanto, Carlos Henrique Rocha - um dos sócios-proprietário do restaurante - avisa: ''Não é possível retomar o horário sem ônibus para os fucionários''. 

''A vontade é enorme de funcionar a madrugada toda, mas dependemos agora do transporte. Defendo o transporte público. Se não, não tem como o pessoal voltar pra casa. O Uber está caro. A gente espera que até semana que vem o problema do transporte coletivo seja solucinado'', disse. Na madrugada deste sábado, O Bolão ficará aberto até a 1h. 

Thales Eduardo contou que, mesmo encerrando as atividades a 1h, perdeu dois funcionários no último mês por conta do transporte coletivo. ''Estou perdendo funcionário por conta disso. Tinha funcionário que saía do bar a 1h, mas só conseguia chegar em casa às 8h da manhã por falta de ônibus. E pegar Uber não compensa para eles'', relatou.

O problema também foi exposto por João Antônio Pimenta Junior, proprietário do Bar do João, que fica na Savassi, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. ''Não adianta liberar e não ter ônibus. O funcionário precisa ir embora do trabalho. Pago a um dos funcionários R$ 24 por dia de ônibus. Imagina o valor de um Uber?'', questionou. Sendo assim, João vai manter o bar aberto até 1h. 

O Estado de Minas entrou em contato com a Prefeitura de Belo Horizonte e com a BHTrans e aguarda um retorno. 

 

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre  sintomas prevenção pesquisa  vacinação .
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara?  Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina?   Posso beber após vacinar?  Confira esta e outras  perguntas e respostas sobre a COVID-19 .

Acesse nosso canal e veja vídeos explicativos sobre COVID-19

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade