Publicidade

Estado de Minas REDUÇÃO DE INTERNAÇÕES

Formiga desmobiliza sete leitos de UTI Covid e atinge 110% de ocupação

Secretário diz que cenário da regional dá segurança e garante assistência hospitalar; Centro-Oeste perdeu outras 13 vagas de UTI exclusivas para COVID


20/07/2021 15:45 - atualizado 20/07/2021 15:50

A Santa Casa de Formiga passa a contar com 10 leitos de UTI COVID(foto: Divulgação/Santa Casa de Formiga)
A Santa Casa de Formiga passa a contar com 10 leitos de UTI COVID (foto: Divulgação/Santa Casa de Formiga)
Sete leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para pacientes com COVID-19 foram desmobilizados em Formiga, no Centro-Oeste de Minas Gerais. A decisão foi anunciada pela Secretaria Municipal de Saúde. 

A medida foi tomada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG). O Comitê Macrorregional COVID-19 Oeste emitiu ofício circular comunicando. Na nota, ele alega que houve melhora estrutural no cenário pandêmico em julho. A aprovação ocorreu na sexta-feira (16/7).

Os leitos desmobilizados são da Santa Casa de Formiga. Antes, o município contava com 27 vagas de terapia intensiva, sendo 17 na Santa Casa e 10 na Unidade de Pronto Atendimento (UPA).

O encerramento dos leitos impactou diretamente na taxa de ocupação hospitalar. Na sexta-feira (16/7), data da aprovação da desmobilização, 78% das vagas estavam ocupadas. Já nessa segunda-feira (19/7) o índice bateu 110%. 

Até segunda-feira (19/7), 21 pessoas estavam internadas na UTI em Formiga, sendo 11 na Santa Casa e 10 na UPA, todos moradores da cidade.

Embora a decisão impacte negativamente nos números, o secretário da pasta, Leandro Pimentel, a tratou como “oportuna”. Disse que o cenário regional é confortável. “Ainda assim, ela (taxa de ocupação hospitalar) fica abaixo dos 75% na macro”, afirmou. 

Mesmo com a ocupação superando os leitos disponíveis, Pimentel descartou desassistência. “Caso alguém necessite será transferido para outra cidade”, destacou. Otimista, ele prevê um cenário de queda com o avanço da vacinação.

“Nossa expectativa é que siga essa tendência de queda, quanto mais se aumenta o número de vacinados, reduz o de internação e óbitos”, analisou.

Macrorregional 

A SES, por meio da Regional de Saúde de Divinópolis, disse que o Comitê Macrorregional Oeste avalia o cenário epidemiológico semanalmente. 

Nesta análise é verificada a necessidade da manutenção de todos leitos disponibilizados para atendimento COVID-19, assim como a de ampliação.

Ao todo, foram desmobilizados 20 leitos UTI na regional e 41 de enfermaria para atendimento. Essas vagas já eram estruturas existentes e que com agravamento da pandemia, em março de 2020, foram direcionados para atendimento da doença.

“Com a redução no número de internações verificado nas últimas semanas, eles voltam a ser direcionados para outras clínicas”, informou a SES.

A secretaria alega que o cenário atual tem permitido a redução do quantitativo. “Isto se dará sempre que puder ser feito de forma eficiente e segura”, afirmou. Com a alteração, a Macrorregião Oeste conta com 187 leitos de UTI exclusivos para o novo coronavírus e outros 309 de enfermaria.

A taxa de ocupação até essa segunda-feira (19/7) estava em 68,1% de UTI e 49,9% de enfermaria e não havia pacientes aguardando leitos. 

Outras cidades

Foram desmobilizados leitos de UTI também nas seguintes unidades, além dos sete de Formiga: Santa Casa, em Campo Belo (3) e Hospital São Carlos, em Lagoa da Prata (10).

Já de enfermaria foram desmobilizados na Santa Casa de Itaguara (6); Santa Casa de Misericórdia, em Itapecerica: (5), Hospital Carlos Chagas, em Candeias (10); Hospital Municipal Santo Antônio, em Cristais (10); e Hospital Nossa Senhora Aparecida, em Luz (10).
 
*Amanda Quintiliano - Especial para o EM

Leia mais sobre a COVID-19

Confira outras informações relevantes sobre a pandemia provocada pelo vírus Sars-CoV-2 no Brasil e no mundo. Textos, infográficos e vídeos falam sobre sintomasprevençãopesquisa vacinação.
 

Confira respostas a 15 dúvidas mais comuns

Guia rápido explica com o que se sabe até agora sobre temas como risco de infecção após a vacinação, eficácia dos imunizantes, efeitos colaterais e o pós-vacina. Depois de vacinado, preciso continuar a usar máscara? Posso pegar COVID-19 mesmo após receber as duas doses da vacina? Posso beber após vacinar? Confira esta e outras perguntas e respostas sobre a COVID-19.

Veja vídeos explicativos sobre este e outros tema em nosso canal


 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade