Publicidade

Estado de Minas FORA DE CIRCULAÇÃO

Dois helicópteros do Corpo de Bombeiros são encostados por falta de seguro

Segundo governo do estado, apólice venceu na semana passada, mas não houve interessados na licitação para a contratação de novo seguro


13/07/2021 19:10 - atualizado 13/07/2021 20:26

Frota do Corpo de Bombeiros conta com sete aeronaves, que são usadas para diversos fins, entre eles, distribuição de vacinas(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Frota do Corpo de Bombeiros conta com sete aeronaves, que são usadas para diversos fins, entre eles, distribuição de vacinas (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Dois helicópteros que compõem a frota do Corpo de Bombeiros foram retirados de circulação momentaneamente por falta de seguro. De acordo com informações do governo do estado, o prazo da garantia expirou na última semana, o que contribuiu para que eles fossem afastados da corporação.
 
Ao todo, o Corpo de Bombeiros conta atualmente com sete aeronaves, das quais cinco estão com a apólice de seguro em vigência. No entanto, informações obtidas pelo Estado de Minas mostram que algumas funções ficaram paralisadas em todo o estado em função do déficit na frota, tais quais:


Desde janeiro, os helicópteros também têm sido usados para o transporte de vacinas para todo o estado.
 

Acidente 

O assunto veio à tona e surgiu como preocupação depois que um helicóptero da corporação sofreu acidente em 28 de junho em Jequitaí, no Norte de Minas, com quatro pessoas a bordo.

A aeronave aterrissava em uma área de terra e, na manobra, subiu uma nuvem de poeira (efeito conhecido no meio como 'brown out') que desorientou o piloto e levou à queda. Os bombeiros faziam resgate de uma vítima com risco de infarto.

O Corpo de Bombeiros explicou que, no momento do acidente, todas os aeronaves estavam com o seguro em dia. Ele é renovado anualmente pelo governo do estado. 
 

'Sem interessados' 


O problema nas duas aeronaves sem seguro se refere ao processo de licitação que ficou pendente por falta de interessados. Os modelos irregulares não foram divulgados pela corporação.
 
“Como o vencimento do seguro de algumas das aeronaves aconteceu na semana passada e o pregão realizado para a aquisição de novo seguro resultou deserto, está sendo realizado novo processo de compras para efetivação da renovação do seguro”, diz a nota da corporação.

O governo do estado alegou que não há uma data específica para nova licitação e, por isso, não há prazo para que as aeronaves voltem a circular. 

“As aeronaves cujos seguros venceram permanecem em perfeitas condições de voo, todavia o emprego das aeronaves nesse curto ínterim de ajuste da apólice está sendo mais criterioso e restritivo considerando a especificidade da situação”, completa a nota.
 

Sem demonstração 

 
Em virtude do déficit na frota, o Corpo de Bombeiros não usou nenhum helicóptero nas demonstrações do lançamento do plano de resposta para prevenção e combate aos incêndios florestais no Parque Estadual do Serra do Rola Moça, em Nova Lima, na Grande BH, nesta terça-feira (13/6). A única aeronave que estava à disposição precisou ser deslocada para atender a uma ocorrência.

Na operação de busca pelos restos mortais da tragédia na mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho, a corporação já não utiliza mais as aeronaves nos trabalhos.

Ainda que o seguro do casco não esteja em dia em dois helicópteros, o Corpo de Bombeiros alega que o seguro aeronáutico encontra-se válido e vigente em todas as aeronaves da frota. Este último protege os proprietários de aeronaves e empresas que atuam no setor da aviação em geral, contra os riscos da atividade.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade