Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Miguel Nicolelis, neurocientista: 'Vamos chegar a 500 mil óbitos'

Brasil caminha para 300 mil mortos pela COVID-19. 'Minas era para ter criado o maior comitê científico do Brasil', diz neurocientista


23/03/2021 14:38 - atualizado 23/03/2021 16:00

(foto: Commons.wikimedia.org)
(foto: Commons.wikimedia.org)

Lockdown nacional. Constituição de uma comisão nacional de manejo da pandemia. Ampliar em 10 vezes o número de vacinados por dia. Bloqueio de fluxo de pessoas por todo o país, por malhas viárias e aeroviárias, permitindo somente o fluxo essencial para transportes de elementos essenciais para as cidades. São medidas imediatas que devem ser tomadas pelas autoridades brasileiras para conter o avanço da COVID-19,  segundo o médico neurocientista Miguel Nicolelis, que coordenou o Comitê Científico Consórcio Nordeste.
 
"Só em SP temos 1.021 mortos em um único dia (23/3). Em Minas Gerais, os dados reais saem na quarta-feira, porque o governo tira férias na segunda e na terça-feira. O segundo estado mais poderoso da União não consegue se organizar para revelar números reais na segunda e terça-feira. Uma vergonha!" , diz o médico. 
Nicolelis criticou o governo mineiro por não dialogar com pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), renomados mundialmente, e que poderiam ajudar o governo do estado a fazer "algo decente. Em Minas Gerais, estamos vendo a consequência direta da completa falta de preparo, de qualquer tipo de bom senso".
 
Segundo o cientista, a UFMG é uma das maiores universidades da América Latina, poderia ter contribuído para a criação do "maior comitê científico do Brasil. Tirar vantagem de sua expertise científica, indiscutivelmente uma das melhores do Brasil. Se isso tivesse acontecido, certamente o estado não estaria na situação no qual se encontra."
 
Nicolelis diz não ter mais adjetivos na língua portuguesa para expressar o que vem acontecendo no país e aponta para uma "hecatombe", diante do colpaso que resultou na onda roxa decretada pelo governador Romeu Zema (Novo) na quarta-feira (17/3).
 
Ele classificou de "correta" a decisão do prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD) em fechar a cidade nos primeiros momentos da pandemia, em março de 2020, "mas não poderiam deixar as demais cidades da Grande-BH abertas. O fluxo de pessoas entre os municípios limítrofes ia contra o benefício do lockdown da capital. Uberlândia vem registrando mais mortes diárias do que cada um de nove estados do Brasil. "Como isso é possível? Uberlândia tem 700 mil pessoas. Evidentemente não se fez o que tinha que ser feito. Como um gestor desse sai ileso?", questiona.
 
Miguel Nicolelis aponta que faltou uma campanha de esclarecimento no Brasil inteiro e em estados como Minas Gerais, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Rio de Janeiro e Amazonas, "os governadores basicamente ignoraram a gravidade da situação. Não criaram uma mensagem clara, verdadeira, objetiva, transparente de que a situação requeria um esforço jamais feito no Brasil. Um esforço comunitário. Uma demonstração de que se não houver união da sociedade para combater esse inimigo, a gente não sai disso. E vamos chegar a 500 mil óbitos. A cada dia, as previsões ficam piores. Não só cientistas brasileiros estão dizendo isso. O que teria acontecido em Minas se o governo tivesse ouvido cientistas da UFMG", questiona.
 

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.


transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.


A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
  • Em casos graves, as vítimas apresentam:
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
  • Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus 

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.


Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade