Publicidade

Estado de Minas MAIS UMA ETAPA

Centro de BH: lojas de rua têm bom movimento em primeiro sábado após nova flexibilização

Nessa sexta, prefeitura liberou atividades comerciais aos sábados; estabelecimentos com porta para a rua podem funcionar das 9h às 17h


12/09/2020 13:07 - atualizado 12/09/2020 14:39

Para abrir, lojas precisam seguir protocolos de higiene e prevenção.(foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)
Para abrir, lojas precisam seguir protocolos de higiene e prevenção. (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press)

Os comerciantes de Belo Horizonte vivem o primeiro sábado com autorização para funcionar desde o início da pandemia do novo coronavírus. Após cerca de seis meses de hiato, as lojas podem funcionar no dia em que, tradicionalmente, o centro da cidade tem mais clientes circulando. 

Durante esta manhã, o Estado de Minas constatou considerável número de fregueses transitando pelos estabelecimentos. Lojas de rua podem abrir as portas das 9h às 17h. O comércio instalado em shoppings, por sua vez, está autorizado a funcionar entre 12h e 20h.
 
Ver galeria . 34 Fotos Os comerciantes de Belo Horizonte vivem o primeiro sábado com autorização para funcionar desde o início da pandemia do novo coronavírus. Após cerca de seis meses de hiato, as lojas podem funcionar no dia em que, tradicionalmente, o centro da cidade tem mais clientes circulandoGladyston Rodrigues/EM/DA Press
Os comerciantes de Belo Horizonte vivem o primeiro sábado com autorização para funcionar desde o início da pandemia do novo coronavírus. Após cerca de seis meses de hiato, as lojas podem funcionar no dia em que, tradicionalmente, o centro da cidade tem mais clientes circulando (foto: Gladyston Rodrigues/EM/DA Press )
 
Na rua São Paulo, cravada no 'coração' do centro comercial da capital, o fluxo de pessoas nesta manhã fez lembrar um sábado 'normal'.

A maioria das lojas da via abriu as portas neste sábado. A tendência é que a nova flexibilização dê fôlego ao caixa dos empreendimentos.

"A expectativa é grande. No meio de semana, já tinha a demanda. Geralmente, quem não pode vir durante a semana, vem aos sábados", diz Edna Alves, gerente de loja de roupas instalada na rua São Paulo.

Quem também deposita fichas nas compras de sábado é Maria Aparecida Carvalho, responsável por estabelecimento de calçados a poucas quadras dali, na rua Carijós. "No sábado, há mais procura. As pessoas têm mais tempo", salienta, em tom esperançoso.

Escala de funcionários e muita disposição

A autorização para o funcionamento aos sábados foi comunicada nessa sexta-feira (11), pelo secretário municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto. 

Após o anúncio, lojistas se organizaram para trabalhar hoje. Feliz por ver a loja movimentada e seguindo protocolos de higiene como distanciamento social e distribuição de álcool gel, Enilson Costa, que gere um comércio de enxovais entre a Carijós e a avenida Paraná, conta ter montado uma escala de funcionários para usufruir do novo avanço rumo ao total arrocho das medidas restritivas.

"Foi muito tempo fechado. Estamos positivos. Esperamos que (o bom movimento) permaneça. O sábado é um dia bom de vendas. O início está bom", comemorou.

Clientes relatam apreensão

Enquanto comprava acessórios de cama, Cristina Malaquias demonstrou apreensão com o número de pessoas passando pelo centro de BH. "Para uma pandemia, está cheio. Acho que há muita gente andando à toa por aí", opina.

Kátia Neves deixou Capim Branco, na Região Metropolitana, para adquirir roupas na área central da capital. Ela relata ter se programado para ir à loja desejada e deixar Belo Horizonte tão logo fosse possível. A cuidadora de idosos crê que a maioria dos estabelecimentos está seguindo as medidas preventivas. "Estou com medo, mas vim. Cheguei mais cedo para voltar mais cedo. Está controlado. Cada um tem que fazer a sua parte".
 
Prevenidos, clientes aproveitaram nova flexibilização para fazer compras.(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Prevenidos, clientes aproveitaram nova flexibilização para fazer compras. (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
 

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade