Publicidade

Estado de Minas Pandemia

Índice de transmissão da COVID-19 cai em MG, mas alerta continua

Apesar da estabilidade na disseminação do coronavírus em Minas, patamar de casos ainda é alto, e governo pede que distanciamento social continue


28/07/2020 14:40 - atualizado 28/07/2020 15:18

Secretário estadual Carlos Eduardo Amaral conclama cidadãos a se mobilizarem pela manutenção de regras de combate ao novo coronavírus(foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)
Secretário estadual Carlos Eduardo Amaral conclama cidadãos a se mobilizarem pela manutenção de regras de combate ao novo coronavírus (foto: Pedro Gontijo/Imprensa MG)
Alguns números indicam a estabilização da epidemia de COVID-19 em Minas Gerais, mas as autoridades alertam para a necessidade de a população não relaxar enquanto não houver vacina para a doença. Nesta terça-feira (28), ao comentar a melhora significativa dos índices de transmissão do novo coronavírus  por infectado (RT) no estado, o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, reforçou o pedido para que o distanciamento social seja mantido, além do uso de máscara, da higienização das mãos e, se possível, que as pessoas fiquem em casa.

Segundo ele, o RT em março era 4, o que significa que na ocasião cada infectado passava a COVID-19 para outras quatro pessoas e assim sucessivamente. Amaral destaca o isolamento social como fator preponderante para queda dos números, que hoje variam de 0,98 a 1,05 entre os mineiros.

Com isso, é possível traçar medidas para combater a epidemia e até planejar a retomada de atividades: “Avaliamos várias tendências, como ocupação de leitos, óbitos. E, de uma forma geral, as pessoas não entendem se tratar de uma projeção, não uma profecia. Por isso, é preciso ter cuidado na hora de tomar medidas de avanço. É preciso seguir se cuidando”, afirma o secretário.

Para um controle mais minucioso do que está ocorrendo, o governo de Minas dividiu o território em várias macrorregiões de saúde. E isso está valendo até mesmo para a retomada da economia, por meio do que ficou estabelecido no programa Minas Consciente, que deverá ter uma nova versão lançada nos próximos dias.

“Minas é um estado muito grande, então há regiões em que o declínio é maior, enquanto em outras está aumentando. Por isso, é importante dividir (o território) para termos ideia de como está a evolução da doença. (...) Um exemplo claro é quando falamos de pico. Nossa ideia era não ter esse pico e estamos conseguindo”, diz Amaral.

Consciência coletiva


Com o RT ficando abaixo de 1 já será possível dar um passo de volta à normalidade. Porém, isso só será possível com a contribuição de todos."É momento de começar a pensar no futuro, em avançar nas ondas, seja do Minas Consciente ou em qualquer outro programa. E para isso é fundamental que haja engajamento, que cada um faça sua parte, tanto na higiene e uso de máscara, mas também tendo ação coletiva."

O secretário também sugeriu às pessoas que atuem no sentido de conscientizar quem ainda não percebe a importância das medidas de prevenção ao novo coronavírus: "Se identificar uma pessoa que possa melhorar o cuidado, fale para evitar aglomeração. Temos de continuar nos cuidando, evitando reuniões, evitar marcar churrascos, comprar bebida e ficar bebendo na calçada. Ou podemos ter o aumento novamente da transmissão da doença, o que levaria à necessidade de sermos mais rígidos no futuro".

O que é o coronavírus


Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
Vídeo: Por que você não deve espalhar tudo que recebe no Whatsapp

Como a COVID-19 é transmitida? 

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Vídeo: Pessoas sem sintomas transmitem o coronavírus?


Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é 'liberou geral'; saiba por quê

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia

Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus. 

Vídeo explica por que você deve 'aprender a tossir'


Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

 

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade