Publicidade

Estado de Minas

Polícia intima homem que gravou vídeo fake sobre desabastecimento na Ceasa

Presidente Jair Bolsonaro chegou a publicar o vídeo em sua conta no Twitter, mas apagou posteriormente


postado em 02/04/2020 16:47 / atualizado em 02/04/2020 17:52

Conteúdo do vídeo foi desmentido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (foto: Reprodução/ Redes Sociais)
Conteúdo do vídeo foi desmentido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (foto: Reprodução/ Redes Sociais)

A Polícia Civil de Minas Gerais já sabe a identidade do homem que gravou o vídeo que aponta, falsamente, uma crise de abastecimento na Central de Abastecimento de Minas Gerais (Ceasa-MG), em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. A gravação, que tinha a intenção de alarmar as pessoas quanto às consequências do isolamento social, foi publicada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), na manhã dessa quarta-feira (1º), em sua conta no Twitter – no mesmo dia, após ser criticado, o presidente apagou a publicação e pediu desculpas pela postagem. Bolsonaro tem se colocado contra o isolamento social e a quarenta imposta a vários setores da economia pelos estados nesse período de pandemia do coronavírus.

De acordo com os investigadores, o homem tem 48 anos, é trabalhador autônomo e não tem antecedentes criminais. Ele já foi intimado e deverá prestar esclarecimentos aos delegados até a próxima segunda-feira. A corporação não informou o nome.

Por ter gravado o vídeo com mensagens deturpadas, o homem poderá ser indiciado por provocar alarme falso, com o intuito de produzir pânico ou tumulto. 

De acordo com o artigo 41 da Lei das Contravenções Penais, de 1941, é crime “provocar alarme, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto”. A pena para esse casos é de prisão simples, de 15 a seis meses, ou multa. 

Intenção em xeque

Em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira (2), o delegado Rodrigo Bustamante, da Delegacia de Contagem, afirmou que as investigações estão avançadas e se baseiam em descobrir se o homem tinha a intenção de gerar instabilidade política no país. Além de Bustamante, estavam presentes os delegados Saulo Castro e Luciano Guimarães, ambos de Contagem.

O vídeo foi gravado na última terça-feira, por volta das 10h, em uma área do Ceasa onde são comercializadas frutas e verduras. No entanto, os delegados frisaram que as vendas no local começam ainda na madrugada, por volta das 2h30, e que é comum que já estejam praticamente finalizadas no horário gravado. 

"Nesse local, o comércio começa de madrugada, por volta das 2h30, e vai até 11h, no máximo. Depois disso, fica vazio", explicou o delegado Luciano Guimarães.

Os investigadores ainda ponderaram que, apesar de a intimação estar prevista para a próxima segunda-feira, caso o suspeito queira ir à delegacia nesta sexta ou no final de semana, os delegados também o ouvirão.  

Na entrevista, os delegados reforçaram que divulgar notícias, vídeos e fotos falsas também configura crime. No entanto, para ser enquadrado, é preciso a comprovação de que a pessoa tinha conhecimento da falsidade do conteúdo antes de publicar. 


Abastecimento segue normal


Ainda na quarta-feira, em coletiva no Palácio do Planalto, a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, desmentiu o registro e reforçou que não há crise de abastecimento.

"Hoje nós temos no Brasil o abastecimento em todas as capitais e todas as cidades, não temos nenhuma notícia de que esteja faltando qualquer tipo de alimento nas prateleiras dos supermercados, das vendas. Essa é a missão hoje do Ministério", disse.
 
A direção da Ceasa, da mesma forma, negou que houvesse escassez de produtos. 

*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa


O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Especial: Tudo sobre o coronavírus 

Coronavírus: o que fazer com roupas, acessórios e sapatos ao voltar para casa

Coronavírus é pandemia. Entenda a origem desta palavra


Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade