Publicidade

Estado de Minas

Dom Walmor critica pronunciamento de Bolsonaro: ''pandemia da irresponsabilidade''

Presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e arcebispo de Belo Horizonte reforçou pedido para população permanecer em casa e disse que repudia ''autoridades do Executivo nacional quando minimizam aquilo que é preciso ser realizado com responsabilidade''


postado em 25/03/2020 20:54 / atualizado em 25/03/2020 23:47

(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press)

 

O arcebispo de Belo Horizonte e atual presidente da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, criticou Jair Bolsonaro nesta quarta-feira (25) por conta do pronunciamento feito pelo presidente na terça.

 

Em sua fala, o religioso não citou nominalmente o presidente Jair Bolsonaro, mas se dirigiu ao “Executivo nacional” para condenar medidas que chamou de irresponsáveis e sem dignidade com a pessoa humana.

  

“Nós repudiamos, criticamos veementemente, autoridades do Executivo nacional quando minimizam aquilo que é preciso ser realizado com respo

nsabilidade por todos nós”, disse um dos líderes da Igreja Católica no Brasil.

 

“A pandemia da COVID-19 não pode se compor ainda mais com pandemias de irresponsabilidade, de inconsequências e de falta de sentido humanístico e respeitoso para com a dignidade da pessoa humana”, criticou Dom Walmor.

 

 

 

O arcebispo de BH também pediu união entre os poderes e da população para que a quarentena seja respeitada e a proliferação do novo coronavírus freada.

 

“Fique em casa. Essa é indicação das autoridades competentes, sanitárias e sensatas. Esperamos dos poderes que ajam de modo a ter uma ordem social e política adequada, extirpando aquilo que de fato está na contramão, e substituindo-o por caminho novos que precisamos percorrer", afirmou.

 

 

 

Também cobrou do governo federal a elaboração de um plano para a proteção e amparo dos mais pobres durante a crise da saúde pública.

 

Pediu, ainda, que o Legislativo apresente “propostas concretas de mudança”, sobretudo aquelas ligadas à solidariedade.

 

Dom Walmor Oliveira de Azevedo também solicitou à Suprema Corte que tenha “força para garantir a Justiça e defesa da ordem constitucional”.

 

O pronunciamento

 

Em vídeo gravado e exibido em rede nacional, o presidente Jair Bolsonaro criticou o que chamou de “histeria” da população diante da proliferação do novo coronavírus.

 

O chefe do Executivo condenou medidas como a quarentena para quem não faz parte do grupo de risco e o fechamento de escolas. Também voltou a classificar a Covid-19, que já matou quase 19 mil pessoas ao redor do mundo, de “gripezinha”.

 

Nesta quarta, Bolsonaro disse que vai discutir com o ministro da Saúde, Henrique Mandetta, o “isolamento vertical”: somente para idosos e pessoas com doenças crônicas.

 

Em coletiva durante a tarde, no entanto, o ministro frisou que sua equipe vai trabalhar com “critérios técnicos”, mas pontuou que as falas do presidente são de quem anseia pelo futuro da economia brasileira – que também deve ser motivo de preocupação no momento.

 

Mandetta também ressaltou que não deixará o cargo por conta das falas do presidente. Disse que só sairá se for por motivo de saúde ou por decisão de quem o nomeou, Jair Bolsonaro.

 

O que é o coronavírus?

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.

Como a COVID-19 é transmitida?

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Como se prevenir?

A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.

Quais os sintomas do coronavírus?

Confira os principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia


Em casos graves, as vítimas apresentam:

  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o coronavírus é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.

Para saber mais sobre o coronavírus, leia também:

Coronavírus: qual é a diferença entre isolamento e quarentena? 

  


Publicidade