Publicidade

Estado de Minas Energia

Caminho a ser seguido

Lançar mão da internet para transmitir conhecimento às crianças e aos adolescentes sobre energia elétrica. O site Na Trilha da Energia, concebido para esse público, dá lições com eficiência


postado em 26/08/2012 07:00 / atualizado em 24/08/2012 14:26

Maria das Graças, coordenadora pedagógica do Colégio Santo Antônio, acredita que a internet é uma aliada importante na educação infantil(foto: Divulgação / Juliana Flister)
Maria das Graças, coordenadora pedagógica do Colégio Santo Antônio, acredita que a internet é uma aliada importante na educação infantil (foto: Divulgação / Juliana Flister)
Crianças e adolescentes estão o tempo todo conectados na internet e se divertem com as descobertas do mundo virtual. Então, foi por aí também que a Eletrobras decidiu atuar para conquistar esse público, com a certeza de que o melhor é começar cedo, quando se trata de conscientizar para o uso responsável da energia.

Com a criação do site www.eletrobras.com/natrilhadaenergia, a Eletrobras deu vida ao mascote Uri, personagem que guia os internautas no mundo do conhecimento sobre energia, assinalando a importância do recurso na vida de qualquer pessoa. Uri conta com a ajuda de dois jovens cientistas, Bia e Tiago, para que a "navegação"pelo site proporcione uma experiência lúdica e de elevado grau de aprendizagem. Todo o conteúdo técnico foi transformado em explicações simples e acessíveis aos pequenos internautas.

Nos currículos

Gerente da Assessoria de Comunicação e Relacionamento com a Imprensa da Eletrobras - área responsável pela implantação do site -, Carla Castelo Branco destaca a importância do tema na formação das crianças e lembra que as escolas têm abordado o conteúdo com grande frequência, incluindo-o nos seus currículos. Isso fez crescer o interesse pelo site, que conquista não só os alunos, mas também professores e pais que participam das pesquisas escolares.

Coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental do Colégio Santo Antônio, em Belo Horizonte, Maria das Graças Viana de Lima reforça a necessidade de tratar de energia nas salas de aula. "No mundo de hoje, não há mais como agir de maneira imprudente com relação ao meio ambiente e com as nossas fontes de energia. As famílias sabem disso e nós no colégio também", assinala. Ela destaca que o assunto é discutido nos diferentes níveis de ensino, começando pelo fundamental. Daí a necessidade de adaptação do conteúdo.

Segundo a pedagoga, iniciativas como a da Eletrobras, com o site Na Trilha da Energia, são extremamente eficazes para despertar o interesse dos alunos para o tema. "Hoje tudo é muito visual e com um site especializado fica muito mais fácil trabalhar com os meninos", diz ela.

O mundo virtual é ainda mais atrativo para os adolescentes. Aos 17 anos, Jonas Sena Silva, aluno do terceiro ano do ensino médio no Colégio Santo Antônio e futuro candidato a uma vaga em curso de Engenharia mecânica, atesta a eficiência de sites na educação: "Sou totalmente a favor do conteúdo multimídia, que é excelente ferramenta para mostrar as aplicações da energia na nossa vida".

Uso eficiente

O Na Triha da Energia apresenta aos internautas conceitos básicos sobre energia e desmistifica ideias muitas vezes enraizadas no senso comum e que não correspondem à realidade. O site dedica um grande espaço aos ensinamentos sobre o uso eficiente da energia, apontando atitudes e práticas que ajudam na construção de um planeta sustentável.

"Nós estamos aprendendo direitinho de onde a energia vem e que precisamos das usinas hidrelétricas", diz Jocasta Alves Silva, de 11 anos, aluna do sexto ano do ensino fundamental do Colégio Metodista Izabela Hendrix, também na capital mineira. Jessica de Oliveira Euzébio, de 12 anos, do sétimo ano, acrescenta rapidamente: "Sei também que a água é um recurso natural e que pode se esgotar se não cuidarmos bem dela".

Coordenadora pedagógica do Izabela Hendrix, Cristiane Rabelo de Queiróz acredita que é fundamental aliar a discussão sobre energia e sustentabilidade à linguagem da internet e das mídias sociais. "Falar sobre energia é falar sobre o futuro. A moçada está conectada. Ou seguimos o ritmo ou não conseguimos mais acompanhá-los", afirma.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade