Publicidade

Estado de Minas

Produção de amendoim aumenta quase 50% em Minas

Safra do grão colhida este ano deve chegar a 11,5 mil toneladas, com o produto girando R$ 36 milhões, o que representa ganho de 67,7% sobre 2019. Cultura é alternativa à cana


postado em 16/03/2020 04:00 / atualizado em 16/03/2020 08:18

Lavoura da leguminosa é cultivada na entressafra da cana-de-açúcar e auxilia na rotação de culturas por ajudar a fixar o nitrogênio no solo (foto: Catarina Donda/Embrapa %u2013 23/3/06)
Lavoura da leguminosa é cultivada na entressafra da cana-de-açúcar e auxilia na rotação de culturas por ajudar a fixar o nitrogênio no solo (foto: Catarina Donda/Embrapa %u2013 23/3/06)

A produção de amendoim de Minas Gerais deve crescer quase 50% este ano. Mesmo sendo uma das culturas menos expressivas do estado, o plantio do grão está se tornando mais interessante para os produtores como alternativa para a rotação com a cana-de-açúcar, especialmente no Triângulo Mineiro. Com demanda ampliada no mercado, o amendoim pode reforçar um ano de volume de produção recorde de grãos em Minas.
 
A safra de amendoim de 2020 em Minas Gerais deve ser de 11,5 mil toneladas, o que significa um aumento de 49,8% em relação ao ano passado, que registrou 7,7 mil. O Valor Bruto da Produção (VBP) de amendoim já cresceu 67,7% em relação a 2019, saindo de R$ 21 milhões para R$ 36 milhões. Já o aumento na área plantada foi de 42%. No ano passado eram 2,4 mil hectares, enquanto neste ano são 3,5 mil. Minas Gerais também aguarda uma safra recorde de grãos em geral em 2020, com previsão de 14,3 milhões de toneladas. O valor é o maior desde 1976. Os dados são da Secretária de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).
 
Os valores se referem à primeira safra de amendoim, que é plantada em outubro e novembro e colhida em fevereiro e março. Minas Gerais conta com uma produção relevante do grão apenas neste período. Outros estados, como São Paulo, também colhem uma safra menor em junho e julho, que é plantada no início do ano.
 
Segundo o subsecretário de Política e Economia Agropecuária da Seapa, João Ricardo Albanez, um dos fatores que contribuem para a expansão do cultivo de amendoim no estado é uma elevação do preço do grão, que se mostra como uma boa opção para fazer a rotação de culturas. O amendoim é majoritariamente plantado na entressafra da cana-de-açúcar.
 
Os agricultores fazem parcerias com as usinas de cana-de-açúcar, arrendando os terrenos durante a entressafra da cana. “O amendoim é usado para descansar a terra da cana. Você introduz uma leguminosa, que tem a característica de fixar o nitrogênio no solo. Poderia ser soja, por exemplo, mas os produtores estão preferindo o amendoim, que está com um preço interessante”, explica.
 
Como o Triângulo Mineiro é grande produtor de cana-de-açúcar, a maior parte do amendoim do estado vem da região. Segundo a Seapa, as três cidades com maior área de plantio de amendoim em 2019 foram Frutal, Santa Vitória e Iturama, respectivamente. Outro fato que contribui para as previsões otimistas da safra mineira de amendoim deste ano é a instalação de uma indústria de processamento do grão no Mato Grosso do Sul, na cidade de Paranaíba.
 
Pela proximidade do comprador, os produtores do Triângulo estão mais interessados em plantar o grão. “O produtor passa a ter um referencial de aquisição do produto”, argumenta José Ricardo Albanez. Buscando atender à demanda maior, municípios como Iturama, Limeira do Oeste, Carneirinho e União de Minas estão aumentando a área cultivada. Segundo o subsecretário, mais uma razão para o crescimento da produção de amendoim é a diversidade da demanda no mercado. “O amendoim é usado no bombom, no sorvete, na paçoca. Os atletas estão utilizando a pasta de amendoim. Existe hoje um mercado ampliado para o grão”, diz.
 
Apesar da expansão do cultivo, Albanez destaca que a cultura de amendoim em Minas ainda é pequena e não se compara à de outros grãos mais fortes, como o de soja e milho. Por isso, o subsecretário acredita que vai depender do mercado se haverá espaço para crescimento do cultivo. “O produtor tem que ficar atento ao preço e outros fatores. Pode ser que a soja passe a valer mais a pena como rotação de cultivo com a cana”, afirma.

No país


A expetativa é que a produção nacional total de amendoim também cresça este ano. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a área plantada no Brasil atingiu mais de 157 mil hectares, o que representa um crescimento de 7,6% em relação ao último ciclo. O volume produzido foi de 512 mil toneladas: alta de 18,5%. Porém, como explica o técnico da área de análise de safra da Conab Eledon Pereira, parte do crescimento se deve a melhores condições climáticas este ano em relação ao ano passado.
 
São Paulo é o estado que concentra a maior produção de amendoim do país, com 93% do total. Segundo Eledon Pereira, a safra paulista é de cerca de 482 mil toneladas. No cálculo da Conab, o Rio Grande do Sul é o segundo estado produtor, com 111 mil toneladas. Minas aparece na terceira posição, com 1% da produção nacional.
 
Pereira afirma que as perspectivas de expansão do plantio de amendoim no país dependem da demanda do mercado. “Se você der um incentivo grande para produzir amendoim não há demanda para essa produção. O amendoim ainda é uma cultura muito pequena. Não dá para dizer que é uma tendência na agricultura brasileira, já que a área plantada é reduzida”, explica. Além disso, o analista da Conab informa que a produção brasileira do grão é voltada para consumo interno, sendo que não há muitos compradores internacionais.

* Estagiário sob supervisão de Marcílio de Moraes



Publicidade