UAI
Publicidade

Estado de Minas BLACK FRIDAY

Nos shoppings, lojistas capricham no atendimento para driblar a 'pechincha'

Para atrair o consumidor, estabelecimentos ampliam expediente, oferecem prêmios e fazem sorteios nesta Black Friday. Mas o freguês foi mesmo atrás de descontos


26/11/2021 13:20 - atualizado 26/11/2021 15:29

 Boticário, no Shopping Cidade
Loja do Boticário, no Shopping Cidade (foto: Jair Amaral/EM/D.A/Press)

Determinado a competir com as lojas de rua do Centro de Belo Horizonte, que ampliaram o expediente nesta Black Friday, o Shopping Cidade abriu as portas mais cedo nesta sexta-feira (26/11). Alguns estabelecimentos começaram a funcionar a partir das 6h. 

O arsenal de artifícios para cativar a clientela inclui sorteios, pagamentos facilitados e atendimento caprichado. Mas o consumidor foi mesmo atrás dos descontos.

INFOGRÁFICO: Confira dicas importantes e informações sobre a Black Friday

O gari João Pedro Almeida foi às compras
O gari João Pedro Almeida classifica os descontos oferecidos na Black Friday como 'razoáveis' (foto: Jair Amaral/EM/D.A/Press)
O gari João Pedro Almeida encheu as sacolas nas lojas de departamento e de cosméticos. Ele conta que pretende aproveitar temporada de liquidações para montar um pequeno estoque de fraldas e produtos de higiene e beleza. "Também comprei um tênis, que eu estava precisando bastante, adiantei a compra de presentes de Natal, e ainda estou levando alguns enfeites natalinos", diz o rapaz, que chegou shopping por volta de 7h30. 

Ele classifica os descontos oferecidos no local como "razoáveis". "As lojas ficam oferecendo para nós um monte de 'firulas', como joguinhos para ganhar brinde, sorteio disso, sorteio daquilo. E os vendedores estão cheios de lábia. Isso tudo é muito agradável, mas o cliente quer mesmo é desconto bom! O comércio podia economizar no 'blá, blá, blá' e baixar mais os preços para a gente!", brinca o gari. 
A 'pechincha' é justamente a estratégia que o gerente Tiago Batista, da World Tênis, sua a camisa para driblar. Não que o estabelecimento não tenha preparado descontos. As etiquetas dos produtos apontam abatimentos de até 50%. 
 
 
"O problema é que o consumidor, com toda razão, as vezes chora mais um descontinho. Mas as vezes fica difícil mexer no valor dos calçados, que já estão com o melhor preço que podemos oferecer. Para não perder o freguês, nós caprichamos no atendimento e oferecemos outras vantagens, como pagamento facilitado. Fizemos até um treinamento para a Black Friday. Tem funcionado; as vendas, até o momento, tem correspondido às nossas expectativas", diz o funcionário. 

Otimismo


Segundo o gerente de Marketing do Shopping Cidade, Bruno Saliba, a expectativa é de que 50 mil pessoas circulem pelo espaço só nesta sexta-feira, volume 20% maior na comparação com a Black Friday do ano passado. Os picos de movimento estão previstos para a hora do almoço e para o início da noite. As atividades serão encerradas mais tarde, às 23h.
 
 
A equipe do centro de compras para o fim do ano está sendo reforçada. De acordo com Saliba, até o Natal, o shopping terá 3.400 trabalhadores, aumento de 15% em relação ao quadro normal. "Muitas das vagas já estão abertas e a pessoa pode se informar sobre o processo seletivo no próprio site do shopping", orienta Bruno.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade