Publicidade

Estado de Minas COMÉRCIO

Black Friday 2020: Aposta pesada nas vendas on-line

Compras virtuais devem bater recorde histórico no Brasil este ano, segundo comerciantes, diz pesquisa


23/11/2020 04:00 - atualizado 23/11/2020 07:18

Comércio eletrônico aposta em tendência que cresceu na pandemia, com muita gente fazendo compras de casa(foto: Pixabay)
Comércio eletrônico aposta em tendência que cresceu na pandemia, com muita gente fazendo compras de casa (foto: Pixabay)

Com as promoções da Black Friday batendo à porta, a expectativa é que as compras virtuais cresçam e sejam ainda mais relevantes em um ano marcado pela pandemia e pelas dificuldades dos pontos físicos de comércio. Tanto que já há quem preveja o maior evento do gênero na história.

Levantamento feito pela Loja Integrada – plataforma de lojas virtuais – indica que 72% dos pequenos comerciantes estão esperançosos quanto a uma das datas mais aguardadas pelos que planejam fazer compras. Aproximadamente 600 empreendedores foram entrevistados para a pesquisa.
 
Conforme Pedro Henrique Freitas, CEO da Loja Integrada, a sondagem aponta uma tendência que começou com a pandemia e que pode contribuir para a Black Friday deste ano, marcada para dia 27, mas de certa forma já antecipada em promoções que pipocam entre várias marcas.

“Com a pandemia, a digitalização do varejo foi imediata. Até os públicos mais tradicionais (acima de 60 anos) mantiveram um consumo alto de compras pela internet. As pessoas estão mais propensas a consumir ofertas em e-commerces e, para muitos varejistas, a internet tem sido a solução neste ano”, afirma.
 
As vendas já concretizadas reforçam as expectativas para a Black Friday 2020. Entre março e maio deste ano, os negócios fechados pelos associados da Loja Integrada chegaram a R$ 415 milhões. Na Black Friday de 2019, foram movimentados R$ 11,6 milhões. Neste ano, 43 mil lojas virtuais foram criadas na plataforma, dado que sustenta o otimismo e a expectativa de recorde de vendas e compradores.

Com a data se aproximando, lojistas dão os últimos retoques a um planejamento que já começou há muito tempo. O comerciante Francieliton Silva, CEO da Andando no Estilo, loja especializada em calças jeans femininas plus size, começou a preparação há três meses e está ajustando o estoque aquela que se espera ser a sexta-feira mais movimentada do ano.
 
“Começamos com boas negociações com os fornecedores e um aumento expressivo em nosso estoque, para que não faltem produtos no meio do mês. As expectativas estão bem altas, pois, devido à pandemia, já batemos o faturamento da Black Friday do ano passado em alguns meses deste ano”, afirma.

As vendas da loja aumentaram tanto durante a pandemia que o empresário resolveu estender as promoções.“Este ano, já crescemos 77% em relação ao faturamento total de 2019. Desde 2016 participamos da Black Friday, porém decidimos investir no ‘Black November’ e proporcionar um mês inteiro de promoções”, ressaltou.

Entusiasmo com vendas

A disposição de muitos compradores parece estar em sintonia com a expectativa dos lojistas. Pesquisa elaborada pelo site Reclame Aqui e divulgada na última semana mostrou que 62% dos consumidores estão de olho na Black Friday. O índice revelou que a população já pesquisa preços e locais para possíveis compras. O levantamento ouviu 2,5 mil consumidores entre 28 de outubro e 4 de novembro.

O estudo apontou ainda que o brasileiro tem a intenção de começar as compras na véspera da Black Friday, já que as promoções iniciais são as que mais atraem. No total, 69,76% dos entrevistados disseram que pretendem comprar na Black Friday. Mais de 70% confirmaram que costumam fazer compras em períodos de ofertas e 64,87% pretendem antecipar as compras natalinas.

Black Friday em BH

A Black Friday de 2020 deve movimentar R$ 2,01 bilhões na economia de Belo Horizonte. A estimativa vem de pesquisa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH). Ainda que a economia esteja fraca, a data é vista como uma luz ao fim do túnel para empreendedores que sofreram prejuízos por causa da pandemia.

As principais estratégias a serem adotadas pelos lojistas serão descontos (84,1%), divulgação de produtos (65,1%) e flexibilidade ou facilidade de pagamentos (49,2%). As redes sociais serão a principal ferramenta de comunicação com os clientes.

A maior da história?

Felipe Dellacqua, vice-presidente de vendas e sócio da VTEX, multinacional que desenvolve soluções tecnológicas para comércio eletrônico, atesta que este ano a Black Friday pode ser duas vezes maior que a do ano passado.

“A Black Friday deste ano pode ser a maior da história em termos de volume, de quantidade de pedidos e de crescimento em relação ao ano passado. Também é esperado que tenhamos muitos novos consumidores comprando pela primeira vez em canal digital”, afirma.
 
Segundo ele, neste ano foram mais de 5 milhões de consumidores comprando pela primeira vez pela internet, o que mostra que meio digital será o mais usado. “Com certeza, as pessoas farão compras no varejo físico, mas o digital deve atrair maior volume de compras neste ano, porque muitos estão evitando tumultos e filas em lojas, devido ao novo coronavírus.

Além disso, vários estabelecimentos estão com limitação da quantidade de pessoas nas lojas. Isso faz com que o canal digital seja a preferência dos consumidores”, diz.
 
Outro motivo que reforça as expectativas desta edição da Black Friday ser maior que as outras é o fato de que pessoas que mantiveram seus empregos e não tiveram redução salarial estarem com capital acumulado para gastar em produtos, já que deixaram de investir em turismo e entretenimento.
 
“Com a segunda onda da COVID-19 na Europa e a falta de vacina, a insegurança aumenta ainda mais. Fica difícil, por exemplo, planejar uma viagem para o carnaval, pois não sabemos como estará a situação até lá. Então, as pessoas que mantiveram seus empregos e têm média ou alta renda têm guardado dinheiro ou investido na bolsa ou ainda estão se programando para gastar com produtos”, enfatizou.
 

Promoção de viagens

A CVC, maior operadora de viagens do país, já começou os preparativos para a Black Friday 2020. Com a retomada gradual das viagens e passeios, que ficaram paralisados de abril a junho deste ano, a empresa prepara diversas promoções. Para os quem planeja viajar no fim de ano ou programar uma viagem para 2021, a dica é ficar atento.

A Diretora de Marketing, Lúcia Bittar, afirma que diversas adaptações estão sendo preparadas. “Para este ano, em parceria com os nossos fornecedores – companhias aéreas, redes hoteleiras, receptivos, entre outros – colocaremos no ar mais de mil ofertas de viagens para embarques ainda em 2020 e para o 1° semestre de 2021, inclusive com saídas para os períodos mais procurados como Natal, Ano Novo e férias de janeiro, com descontos que podem chegar a até 50%”, assegura.

*Estagiário sob supervisão do editor Roney Garcia


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade