Publicidade

Estado de Minas #PRAENTENDER

Black Friday: dicas infalíveis para não vacilar na hora da compra

Consumidor deve tomar cuidado para não ser vítima de fraude nas compras on-line, mas também precisa se precaver contra o coronavírus nas compras presenciais


29/10/2020 10:51 - atualizado 03/11/2020 10:10

(foto: Freepik)
(foto: Freepik)
Black Friday será dia 27 de novembro e já tem muita gente contando os dias para a chegada das ofertas. No entanto, é preciso se planejar e se cercar de cuidados. Afinal de contas, com o aumento das compras on-line podem ocorrer golpes cibernéticos. Já nas compras presenciais é preciso seguir todos os protocolos de biossegurança, pois ainda estamos vivendo uma grave pandemia. 
 

Lembrando que o e-commerce ganhou força na quarentena. Segundo o Instituto Nielsen, o número de consumidores digitais aumentou 45% com o isolamento social. Ao passo que para o site Compre & Confie, as vendas on-line tiveram um salto de 71% entre fevereiro e maio em relação ao mesmo período de 2019. Já a NuvemShop apontou que o crescimento de 140% no varejo digital. 

Por consequência, o consumidor digital, o chamado e-shopper, é uma figura que chegou para ficar. De acordo com estudo da Rakuten Adversiting, 57% das pessoas desejam comprar na Black Friday. Desses, 86% consideram comprar pela internet. 
 

Black Friday: 10 dicas para comprar on-line de forma segura 

Informar seus dados pessoais, como nome completo, CPF, endereço e, ainda por cima, o número do seu cartão bancário exigem cuidados extras. Por conta disso, acompanhe as dicas de como fazer uma compra segura pela internet. 

Sendo assim, separamos os cuidados que devem ser tomados antes e durante as compras. Confira: 

Antes das compras 

1. Prepare sua lista de compras 

É bom lembrar que a Black Friday de 2020 deve novamente ser dominada pelos produtos eletrônicos, como TVs, Smart TVs, notebooks e os queridinhos smartphones. Mas tudo dependerá das suas necessidades e preferências. Por isso, faça uma lista de desejos com antecedência para não perder tempo no dia. 

2. Antecipe as compras de Natal 

A data de ofertas é usada pelos varejistas para limpar o estoque e renovar as mercadorias para 2021. Por isso, que tal aproveitar a Black Friday para fazer as compras de Natal – as famosas lembrancinhas? Afinal, você pode aproveitar o mesmo fornecedor para pagar menos no frete. 

3. Faça um cadastro nos sites prediletos 

Todos os sites de vendas on-line como Amazon, Submarino e Magalu exigem um cadastro prévio do consumidor, com seus dados pessoais. Por isso, aproveite os momentos que antecedem a Black Friday para se cadastrar nos sites prediletos e ganhar tempo no dia das compras. 

4. Veja como está a velocidade da sua internet 

Você pode estar aguardando o lançamento das ofertas, mas na hora de confirmar o pedido, o site trava. Por isso, confira com antecedência como está a velocidade da sua internet. Uma dica extra é acessar a loja através de dois navegadores, como o Chrome e o Firefox, pois o desempenho pode ser diferente. 

5. Denuncie irregularidades

Durante as compras da Black Friday, se você identificar irregularidades nos preços, prazos de entrega ou valores de fretes, denuncie a situação no site Reclame Aqui. Aliás, ele tem um ícone específico para atendimento referente ao movimento. 
 
 

Durante as compras 

1. Só compre em sites com protocolos de segurança

Você pesquisou, encontrou a melhor oferta da Black Friday, colocou no carrinho e agora é hora de informar seus dados para o pagamento. Portanto, repare se o site tem HTTPS, que é o Protocolo de Transferência de Hipertexto Seguro. Ou seja, se ele tem o cadeado no início do nome do site. Esse símbolo garante uma proteção extra contra hackers. 


2. Evite pagamentos em boleto 

O receio de informar o número do cartão de crédito faz muitos consumidores escolherem a compra por boleto. No entanto, especialistas apontam que essa não é a forma mais recomendada. Isso porque invasores podem fraudar os boletos. Assim, o dinheiro pode parar em outra conta e você não receber o produto. 

3. Pesquise sobre a reputação da loja 

A compra on-line pode ser mais segura que a física se você seguir os passos recomendados por especialistas para a Black Friday. Por isso, antes de comprar pesquise sobre a reputação da loja. Uma dica é conferir o site de empresas não recomendadas pelo Procon. Outro conselho é digitar o nome da loja no portal da E-bit, que concede selos de qualidade. 

4. Verifique o selo da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico 

Certifique-se que a empresa tem o selo de qualidade da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico. Ele é concedido a lojas virtuais que passam pela inspeção da própria Câmara, responsável por verificar possíveis irregularidades.  

5. Faça uma pesquisa de preços nos sites comparativos 

Existem vários sites para a comparação de preços. Confira a lista aqui. Mas você pode se concentrar em pelo menos dois que são mais conhecidos: o Zoom e o Buscapé. Você digita o nome do item desejado e verifica se a oferta justifica a sua escolha. 

Cuidados extras

Além desses cuidados, outras dicas para não cair em golpes são: 

  • peça orientação de familiares e amigos nas redes sociais sobre a loja; 
  • verifique os comentários dos consumidores e o número de estrelas atribuído à compra; 
  • prefira sites mais conhecidos do grande público; 
  • tire print da página do produto com valor do item, frete e prazo de entrega; 
  • não compre em computadores de uso coletivo; 
  • desconfie quando o preço estiver muito abaixo do mercado. 

Compras físicas na Black Friday: cuidados contra o coronavírus 

Uma pesquisa da Criteo, que entrevistou 13 mil consumidores em vários países, concluiu que 27% das pessoas já se sentem seguras para fazer compras em shoppings mesmo com a pandemia. 

Nesse sentido, para sair às compras é bom verificar com antecedência o horário de funcionamento do comércio. Além disso, não se esqueça de consultar o Código de Defesa do Consumidor (CDC). Para saber mais sobre os seus direitos clique aqui

Em BH, o decreto 17.454, publicado no dia 16 de outubro, estabeleceu que o setor de eventos (como teatros e casas de shows) poderão funcionar a partir de 31 de outubro. Já as feiras de negócios só retornarão em 30 de novembro. O setor gastronômico poderá funcionar das 5h às 22h, enquanto que os supermercados, das 7h às 22h. 

O comércio passou a funcionar uma hora a mais por dia por conta do decreto. Sendo assim, as lojas de rua ficam de portas abertas das 10h às 19h, ao passo que os shoppings podem funcionar das 12h às 21h. 
 

Máscaras 

O que você precisa saber é que é importante sair às ruas com uma lista de produtos para não ficar mais tempo que o necessário nas lojas. O ideal, segundo as autoridades sanitárias, é ir sozinho para evitar aglomeração.
Além disso, não se pode esquecer de manter o uso correto de máscaras, a higienização constante das mãos e o distanciamento de 1,5 a 2 metros das demais pessoas. 

A respeito da lista de produtos, prepare uma relação com os preços mínimo e máximo encontrados na internet para ter um bom embasamento. Para isso, verifique os sites de comparação de preços, como Google Shopping, Buscapé, Zoom, Shopping UOL, JáCotei, BondFaro, Preço Mania, Vigia do Preço e Baixou. 

Em síntese, independentemente das compras da Black Friday se darem no e-commerce ou nas lojas físicas, é importante tomar cuidados para evitar ser vítima de golpes e ficar sem o produto desejado. 

Você quer saber tudo sobre a Black Friday? Então, confira informações exclusivas aqui.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade