UAI
Publicidade

Estado de Minas PATRIMÔNIO IMATERIAL

Filha de Lampião processa rede de motéis por campanha com o nome da mãe

Expedida pede indenização pelo uso do nome dos pais no slogan 'Maria Bonita, acenda o Lampião'


19/05/2022 10:55 - atualizado 19/05/2022 13:39

Foto em preto e branco mostra Maria Bonita ao lado de Lampião na caatinga, usando roupas típicas dos cangaceiros
Única filha de Lampião e Maria Bonita processa rede de motéis pelo uso do nome dos pais em trocadilho (foto: O Cruzeiro/Arquivo EM)


Expedita Ferreira Nunes, única filha de Maria Bonita e Lampião, entrou com uma ação contra uma rede de motéis de Pernambuco pelo uso indevido do nome da mãe em uma campanha publicitária que tinha como slogan "Maria Bonita, acenda o Lampião", veiculada em 2011. O caso ganhou visibilidade essa semana ao entrar na pauta da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A campanha foi veiculada em várias cidades do Nordeste e Expedita pediu, na época, a retirada da propaganda dos outdoors e indenização. A filha do Rei do Cangaço defende que houve "uso indevido de imagens para fins comerciais, implicando a posse indevida do patrimônio imaterial dos personagens". A rede de motéis alega que os personagens são parte da cultura nordestina. 

Em uma das fases, a 4ª Vara Cível de Aracaju reconheceu o uso indevido e condenou o estabelecimento ao pagamento de R$ 15 mil. A rede de motéis recorreu ao TJ de Sergipe, porém a sentença foi mantida com a redução do valor para R$ 8 mil. Como a empresa entrou com novo recurso, o processo, que corre há 11 anos, foi para o Superior Tribunal de Justiça.

Lampião e Maria Bonita

Virgulino Ferreira da Silva, mais conhecido como Lampião, nasceu em Serra Talhada, no estado de Pernambuco, em 7 de julho de 1897. Em 1921, Virgulino entrou para o bando de Sinhô Pereira, um dos cangaceiros de maior expressão no Nordeste, onde ganhou fama e o apelido de Lampião. Em 1922, assumiu a liderança do grupo.

Nas andanças pelo Nordeste, Lampião conheceu Maria bonita e se apaixonou. Ela entrou para o bando de Lampião em 1930. Maria foi a primeira mulher a fazer parte do cangaço. Fruto desse relacionamento, Expedita nasceu em 1932.

Lampião e Maria Bonita morreram em Sergipe em um ataque surpresa das tropas volantes na madrugada de 28 de julho de 1938. Lampião foi decapitado, e sua cabeça exposta em diversas cidades nordestinas para divulgar a morte do chamado Rei do Cangaço.

*Estagiária sob supervisão. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade