UAI
Publicidade

Estado de Minas HOMENAGEM PÓSTUMA

Alforriado Matias, abolicionista do Barreiro, receberá Honra ao Mérito

Cerimônia de entrega do diploma ocorrerá no próximo sábado (21) na Escola Municipal Polo de Educação Integrada, onde ficava a casa grande da Fazenda Barreiro


18/05/2022 17:22 - atualizado 18/05/2022 19:32

Colagem feita pelo artista SENEGAMBIA. A imagem tem fundo amarelo e a figura do Alforriado Matias segura uma machadinha enquanto rompe correntes acima de sua cabeça
Alforriado Matias receberá diploma de Honra ao Mérito no sábado (21/5) (foto: SENEGAMBIA/Reprodução)

No próximo sábado (21/5), o Instituto Alforriado Matias receberá, em nome da figura abolicionista de mesmo nome, um certificado de Honra ao Mérito. A cerimônia, que reconhecerá a atuação relevante de Alforriado Matias na história de Belo Horizonte, será realizada na Escola Municipal Polo de Educação Integrada (EMPOEINT), localizada onde ficava a antiga casa grande da Fazenda Barreiro.

“Essa entrega, que vai acontecer no EMPOEINT, é duas vezes significativa, porque ali também é onde ele trabalhou, onde ele viveu”, comenta Ayobami Nombulelo, produtora cultural e uma das fundadoras do Instituto Alforriado Matias.

O diploma será entregue pela Câmara Municipal de Belo Horizonte, mas a iniciativa partiu da vereadora Iza Lourença (PSOL), que possui diversos trabalhos na região do Barreiro. Segundo Ayobami, foi durante o mandato de Iza que uma historiadora foi enviada ao Instituto para realizar pesquisas sobre o passado escravagista do Barreiro. Nesta época, descobriu-se o dia exato em que o Alforriado Matias executou sua vingança contra o senhor de engenho que prometeu sua liberdade e o vendeu logo em seguida, Major Cândido Brochado.

Quem foi Alforriado Matias?


Matias foi um homem negro escravizado que viveu no século XIX e que trabalhava na Fazenda Barreiro, comandada pelo Major Cândido Brochado, escravagista líder do Partido Conservador Municipal. Quando Matias estava em torno dos 60 anos de idade, Brochado lhe prometeu a alforria, mas pressionado pelo movimento abolicionista e acuado pelo projeto da Lei do Sexagenário, determinou a sua venda para não sofrer com questionamentos e cobranças.

Com a decisão, Alforriado Matias foge e se esconde nas matas dos arredores da fazenda com a ajuda de mulheres escravizadas que também trabalhavam para o Major, jurando vingança. Informado por elas de que Brochado estaria em Freitas (atual região da Pampulha), ele arma sua emboscada no dia 30 de outubro de 1877 e, com uma machadinha, executa o homem que lhe prometeu a liberdade e não cumpriu com a promessa.

Até hoje, não se sabe se Alforriado Matias era militante da causa abolicionista na região, mas sabe-se que muito contribuiu para o movimento ao realizar sua vingança. Com a morte do Major escravocrata, os partidos Conservador e Liberal tornaram-se mais toleráveis às lutas abolicionistas e a família de Brochado teve que vender parte de suas terras, retomando a administração do restante da fazenda com o herdeiro Sifrônio Brochado anos depois. Os chamados “escravos da casa”, entratanto, mesmo libertos, continuaram servindo à família por não terem opção melhor.

Matias chegou a ser preso posteriormente e foi encontrado morto em uma prisão em Ouro Preto (MG). Acredita-se que ele tenha sido vítima de torturas.

“Existe uma tentativa de apagamento e de diminuição da influência dele no curso da história, porque eles querem silenciar os nossos heróis. O Matias é protagonista, e não coadjuvante de uma história qualquer contada pelo colonizador”, conta Ayobami na abertura do Mini-Documentário produzido em 2021 em homenagem ao Alforriado Matias.

O Instituto Alforriado Matias


O Instituto Alforriado Matias é uma plataforma que visa acelerar e conectar produtores culturais para democratizar a cultura por meio da valorização da produção cultural na região do Barreiro.

“Ele nasce a partir de uma identificação nossa [Marlon Andreata e Ayobami Nombulelo, ambos produtores culturais] em estimular a cultura local e a economia criativa. Nós temos um festival no Barreiro, chamado MABAM [Mostra Afro Barreiro Alforriado Matias], que já vai para a sua sexta edição, mas foi só em 2020 que o Instituto nasceu. Ele vem para fortalecer a cena cultural do Barreiro e de Belo Horizonte como um todo”, explica Ayobami.

Segundo a produtora cultural, o instituto vem sendo construído conjuntamente ao MABAM que, ainda em 2017, teve sua primeira edição e era apenas uma mostra afro. “Quando a gente estava fazendo a construção coletiva dessa mostra, nos deparamos com a história do Matias. A gente não tinha noção de quem era, mas é da história dele que começa o desenvolvimento da fazenda até se tornar o bairro que é hoje. Desde então, a gente vem enaltecendo a história dessa figura”, relata ela.

Sobre a cerimônia

Data: Sábado (21/05/2022)
Horário: 13h às 17h
Local: Escola Municipal Polo De Educação Integrada (EMPOEINT) - Praça Modestino de Sales Barbosa, 11- Flávio Marques (Barreiro)

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade