Publicidade

Estado de Minas SAÚDE FEMININA

Anticoncepcional e trombose: entenda essa relação

Anticoncepcionais com estrogênio são mais nocivos à saúde da mulher


12/05/2022 15:31 - atualizado 12/05/2022 18:23

Mulher segurando uma cartela de anticoncepcional
Incidência de trombose em mulheres que usam pílulas anticoncepcionais é baixa, mas acontece e outros fatores podem aumentar esse risco (foto: Freepik/Divulgação )

pílula anticoncepcional surgiu na década de 60, desde então pesquisas vêm esmiuçando a ligação entre os hormônios presentes no anticoncepcional (estrogênio e progesterona) com o surgimento de tromboses venosas. Isso acontece, porque esses hormônios têm como alvo os vasos sanguíneos que contêm receptores em suas camadas constituintes, o que altera a circulação e aumenta a chance de formação de coágulos nas veias profundas, dentro dos músculos.

 

"O tipo do anticoncepcional é importante, sendo que o grande vilão é o estrogênio, componente das pílulas combinadas, que são mais frequentemente comercializadas. Os contraceptivos a base de progesterona, na apresentação de pílula (minipílula) e DIU hormonal apresentam menor risco de trombose", explica o cirurgião vascular coordenador de Cirurgia Vascular do Hospital Biocor, Josualdo Euzébio.

 

O coágulo (trombos) causa uma inflamação na parede do vaso, chamada Trombose Venosa Profunda (TVP), e obstrui o fluxo sanguíneo. O quadro se torna mais grave quando esse trombo se desloca até o pulmão, causando uma embolia pulmonar na paciente. A localização mais comum de TVP é nos membros inferiores, manifestando-se com dor e edema (inchaço) nas pernas, mas ela pode acometer qualquer veia do corpo.

 

Principais sintomas da trombose venosa: 

  • Edema ou “caroço” em somente uma das pernas;
  • Veias dilatadas;
  • Aumento da temperatura local;
  • Dor ou sensação de peso;
  • Rigidez da musculatura. 

No entanto, isso não significa que as pessoas devem interromper o uso de anticoncepcionais. A incidência geral de trombose venosa em pacientes em uso de anticoncepcional é baixa, mas é existente. Qualquer medicação está sujeita a complicações e a decisão se o risco/benefício vale a pena é feito entre você e o seu médico.

 

De acordo com Josualdo, há certas situações que aumentam o risco de trombose, como:

 

  

"NesSas situações é aconselhável orientar com seu ginecologista sobre outros métodos contraceptivos", conclui o especialista.

 

Caso se consiga eliminar os outros fatores, fica a possibilidade do anticoncepcional ser a causa. É muito importante que caso tenha trombose venosa profunda seja realizado o diagnóstico e tratamento precoce. O tratamento na maioria dos casos é com uso de medicamentos orais e sem necessidade de internação. 

 

*Estagiária sob supervisão 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade