Publicidade

Estado de Minas SAÚDE

Vermelhidão no olho pode ser hemorragia subconjuntival

Conheça o mal que atinge os olhos subitamente. Influenciadora e ex-BBB Patrícia Leitte revelou que enfrentou o problema


12/05/2022 11:39 - atualizado 12/05/2022 18:23

Patrícia Leitte
Para a influenciadora Patrícia Leitte, o pior é o preconceito das pessoas (foto: Reprodução/Instagram)
A ex-participante do Big Brother Brasil (BBB) 18 Patrícia Leitte veio a público, na última segunda-feira (9/5), para expor um problema de saúde que vinha causando curiosidade nos seguidores dela: uma vermelhidão no olho esquerdo. A influenciadora postou fotos do problema e compartilhou que sofria de uma hemorragia subconjuntival, uma condição que aparece de uma hora para outra.

“O que mais tenho escutado: Patricia, o que foi isso no seu olho? Gente, isso apareceu do nada, como tudo na vida da gente. Inesperadamente, um belo dia amanhecemos com uma pequena mancha no canto do olho, e essa manchinha vai aumentando”, escreveu. A ex-BBB contou que não sente dor, mas que o que mais a machuca é “o preconceito das pessoas”, que “olham com medo, nojo, tem medo de encostar em você”.

A condição causou curiosidade: dói? tem prevenção? pelo o que ela é causada? como é solucionada?. A oftalmologista e professora do curso de medicina da Unieuro e do Uniceub Regina Cândido Ribeiro dos Santos acalma os curiosos e afirma que a condição é comum e ocorre em muitas pessoas, mas tem prazo de validade. 
 

“É de aparecimento súbito. O indivíduo acorda com sangue no olho, ou mesmo durante o dia a pessoa ou alguém vê o sangramento no olho da pessoa”, diz. “Não, não dói, a pessoa não sente nada, só que o sangue está lá. É normal que a pessoa fique muito preocupada com aquele sangue que apareceu do nada no olho e procura logo um pronto-socorro de oftalmologia”, explica.

No centro de saúde, o médico irá investigar as causas do aparecimento da hemorragia, que podem ser muitas: desde o aumento da pressão arterial, para o caso de hipertensos, até mesmo a força demasiada na hora de evacuar.

“Se o paciente é hipertenso, deve-se aferir a pressão arterial para ver se não está elevada, o que poderia romper os pequenos vasos da conjuntiva”, orienta. “Se a pessoa não é hipertensa, logo pode-se investigar se o paciente teve tosse, espirro e vômitos intensos. Vê se não pegou peso exagero ou até mesmo se não está com o intestino preso e fez muito esforço para evacuar”, elenca outras causas.

“Pode ocorrer também com quem faz uso de anticoagulantes”, acrescenta. Picos de alto estresse também podem causar a hemorragia, já que o momento estressor pode causar o aumento da pressão arterial e levar ao rompimento do vaso conjuntival.


Condição não tem tratamento, mas é revertida plenamente em semanas


O sangramento não tem um tratamento específico, mas deve ser sanado, naturalmente, entre duas a três semanas. “Pode ser prescrito um colírio para lubrificar os olhos. Ele deverá ficar na geladeira para ser usado gelado, e serve mais como um efeito psicológico, já que não causa incômodo”, diz Regina.

A especialista também afirma que a condição não deixa sequelas. Ou seja, será “reabsorvida plenamente”. Enquanto espera o processo natural do corpo de recolher o sangramento, as pessoas atingidas pela hemorragia se deparam com o constrangimento de responder sobre a condição. Para isso, a oftalmologista dá uma dica acessível e simples.

“As pessoas ficam perguntando o que foi que aconteceu com o seu olho? Pensam que apanhou do namorado, marido, ou outras situações. Recomendo o uso de óculos escuros para evitar chateações”, pontua.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade