Publicidade

Estado de Minas VITALidade

Envelhecer: como encaramos este desafio?

A terceira idade é uma fase da vida de grandes desafios e não se pode minimizar o esforço para bem enfrentar esta batalha; ganha quem persiste


06/09/2021 06:00 - atualizado 13/11/2021 23:04

Idoso cruza as mãos sobre as pernas
Envelhecer pode significar uma fase em que teremos benesses, como tempo para fazermos o que bem entendermos (foto: Pixabay)
O processo de envelhecimento da população é um fenômeno mundial e reflete os esforços da medicina no desenvolvimento de medicamentos, vacinas e cuidados para que doenças anteriormente fatais sejam tratadas e curadas, permitindo que um maior número de pessoas atinja a longevidade.

Apesar de ser um ganho, esta mudança na estrutura demográfica traz inúmeros desafios. Estima-se que, em 2050, a cada 5 pessoas, uma terá mais de 60 anos. Atingiremos 20% da população de idosos. Teremos o maior contingente populacional de idosos do planeta no Brasil.

Isto acarreta necessidade de que os governantes desenvolvam programas para o cuidado destas pessoas que atingem idades mais avançadas e que a população se conscientize da necessidade de mínimos cuidados para um envelhecimento saudável, onde consigamos manter, na nossa velhice, duas condições fundamentais: autonomia e independência. Autonomia para tomarmos decisões e independência para executarmos estas decisões. 

Envelhecimento da população brasileira revela mudanças de comportamento

Envelhecer pode significar um acumulo de perdas (vitalidade, saúde, emprego etc), porém também pode ser ressignificado como uma fase em que teremos benesses, como tempo para fazermos o que bem entendermos, disponibilidade para dispensarmos  afeto às pessoas que são amadas , parcimônia para orientamos as pessoas de forma experiente e ponderada e também tempo de executarmos projetos de viagens, cursos, aprendizado, espiritualidade, doação, amizades e até exercermos atividades que nunca imaginamos que seriamos capazes.

Quem não gostaria de aprender a tocar um instrumento musical? Quem não gostaria de saber uma nova língua? Quem não iria querer conhecer lugares e pessoas novas? São muitas as possibilidades e devemos aproveitá-las. O principal é desenvolvermos mecanismos de RESSIGNIFICAR o ENVELHECER. 

Assim, vão aí algumas dicas:

  • Faça regularmente suas visitas ao  médico geriatra . Ele irá acompanhar o seu envelhecimento com olhar de preservação de suas habilidades e condição de saúde. Irá fazer testes de memória, avaliação de condição nutricional, orientações de exercícios físicos, prescrição de reabilitações em casos de necessidades, prescrição de vacinas e identificará doenças típicas desta faixa etária, como Demências (Alzheimer), Doença de Parkinsson, Riscos de Quedas, Insuficiências Cardíacas e Respiratórias, além de promover uma abordagem direcionada para os transtornos de humor muito prevalentes nesta faixa etária, como a Depressão e a Ansiedade, importantes fatores de risco para perda de saúde e qualidade de vida. 
  • Não deixe de  praticar atividades físicas . Ache a atividade que lhe dê prazer. Existem muitas opções: caminhadas, natação, bicicleta, boliche, academia, dança, pilates, dentre muitas outras. O importante é se movimentar. Estudos comprovam que com 150 minutos de atividades por semana, evita-se doenças cardiovasculares, diabetes e Acidente Vascular Cerebral(AVC). Não deixe o corpo enferrujar. Nossa longevidade e nossa qualidade de vida na velhice é 30% influenciada por nossa genética, mas 70% de como chegaremos lá depende de nossos hábitos de vida. Evite o sedentarismo a todo custo. 
  • Promova  mudanças em seus hábitos de vida : evite bebidas alcoólicas, não fume, tenha alimentação saudável e balanceada, evite alimentos industrializados, evite excesso de carboidratos (pão, bolo, massas, doces). Dê preferência aos alimentos naturais. Abuse das proteínas. Coma ovos e derivados do leite. Não há necessidade de reposição de vitaminas e nutrientes para quem tem uma alimentação saudável. 

  • Tente estabelecer  boas relações sociais . Ter pessoas que gostamos e confiamos ao nosso redor é mais importante para a longevidade saudável que qualquer outro fator isoladamente. Não deixe de fazer novos amigos e valorizar muito os amigos que angariou no decorrer de sua vida. Eles são fundamentais para sua percepção de pertencimento a um grupo e esta sensação lhe trará enorme bem-estar. Sempre é tempo de novas amizades, novos relacionamentos, novos círculos de amigos. 

  • Faça um  planejamento financeiro  no decorrer de toda a sua vida. Envelhecer traz vários custos que anteriormente você não contava com eles. O plano de saúde encarece, os medicamentos são necessários, os cuidadores as vezes são indispensáveis, o transporte depende da ajuda de outros. Enfim, tenha uma  reserva financeira  para esta fase da vida. Necessário se faz o planejamento. 

  • Cuide muito das  condições de sua habitação , com planejamento para a sua velhice: casa plana, prédio com elevadores, evite locais onde existem muitas escadas ou limitações de locomoção. O planejamento ambiental do local onde você vai envelhecer será importante um dia. 
Mas, o mais importante é cuidar da sua capacidade de raciocínio e de memória, além da sua capacidade de executar atividades, reconhecer pessoas, locais e objetos, capacidade de linguagem e comunicação. A todas estas capacidades, dentre outras, denominamos de cognição . Quanto mais exercitarmos a nossa mente, mas ela estará afiada na nossa velhice.

Nossos neurônios são como os nossos músculos. Damos trabalho a eles e eles se fortalecem. Deixamos estes neurônios em repouso e eles atrofiarão. Devemos fazer a academia da memória diariamente: lemos livros, jogamos dama, baralho, xadrez, visitamos museus, vamos ao cinema, montamos quebra cabeça, aprendemos instrumentos musicais e línguas, convivemos em grupos, discutimos política e atualidades.

Tente se atualizar com a informática . Estar on-line hoje em dia é fundamental para termos à nossa frente o mundo aberto. Com a internet, podemos conhecer lugares, ouvir músicas diferentes, ler textos dos mais variados interesses, acompanhamos nosso esporte predileto, fazemos amigos e até conseguimos conversar com nossos familiares ao vivo e os enxergando. É um ótimo recurso contra a solidão. Fazer parte de redes sociais é fundamental para nos sentirmos conectados ao mundo. 

Para finalizar, deixamos claro que esta fase da vida é um grande desafio e não podemos minimizar o esforço para bem enfrentarmos esta batalha, que ganha quem persiste, persevera e mantem-se ativo e altivo. Aprenda a desenvolver o que lhe faz bem nesta fase da vida e lembre-se: SÓ NÃO ENVELHECE QUEM MORRE ANTES. 
Viva bem, viva muito, viva intensamente e seja feliz. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade