Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Líder de organização criminosa quer interdição ou impeachment de Bolsonaro

Se 'ladrão que rouba ladrão, tem 100 anos de perdão', quantos anos terá Lula por criticar o verdugo dos 1000%?


04/07/2021 07:37 - atualizado 04/07/2021 08:10

Lula e Bolsonaro:
Lula e Bolsonaro: "São estes dois trastes os favoritos em 2022" (foto: AFP)


Lula, o meliante de São Bernardo, apontado pelo MPF como chefe de quadrilha, quebrou o silêncio e resolveu se manifestar sobre as suspeitas de corrupção nas compras de vacinas pelo Ministério da Saúde.

Em entrevista ao jornal O Liberal, de Belém, o ex-tudo (ex-presidiário, ex-corrupto e ex-lavador de dinheiro) declarou que, ‘se for verdade as denúncias de corrupção, se for verdade o gabinete paralelo, se for verdade o que estão falando sobre esse governo, então acho que a CPI pode pedir ao STF a interdição do Bolsonaro, ou, com base no relatório, mais um pedido de impeachment’.

Que fofo, né? Que bonitinho. O pai do mensalão, o líder do petrolão, o inseparável ‘irmão-comparsa’ de crimes de José Dirceu, Antonio Palocci e extensa companhia, agora dá lição de moral e pede punição - a mesma que não teve - para o patriarca do Clã das Rachadinhas, quem diria? O pai do Ronaldinho dos Negócios acredita ser moralmente superior ao pai do senador da mansão de seis milhões de reais.

Um embate como este escancara o tamanho da nossa encrenca; a profundeza da nossa fossa abissal. São estes dois trastes os favoritos em 2022. Se não surgir o nome da salvação, um deles terá mais quatro (ou oito) anos para roubar e deixar roubar; entupir o governo com sindicalistas e com mais militares inúteis; produzir mais milhares, quiçá milhões, de novos cadáveres por doenças, fome e miséria.

Lula é uma espécie de câncer. Bolsonaro, sua metástase. E o povo brasileiro é o doente terminal que insiste em não se tratar nem em não morrer. O remédio seria o voto, mas como as vacinas contra a Covid, ou é ausente ou está estragado. E o pouco que resta é insuficiente para imunizar o País contra os vírus do lulopetismo e do bolsonarismo, já que juntos formam um rebanho impossível de se vacinar. E de se curar.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade