Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

PCC do PT: Lula admite que gostaria de 'ditadura chinesa' no Brasil

Bolsonaro e Lula guardam muito mais semelhanças do que diferenças. Filhos suspeitos é o menor dos problemas


30/06/2021 18:21 - atualizado 30/06/2021 18:33

Para Lula, Brasil deveria seguir a China e implantar um partido único, com governo forte(foto: Ricardo Stuckert / Fotos Públicas)
Para Lula, Brasil deveria seguir a China e implantar um partido único, com governo forte (foto: Ricardo Stuckert / Fotos Públicas)
Jair Bolsonaro, o verdugo do Planalto, sempre demonstrou especial adoração por  ditadores e ditaduras. Desde que venceu em 2018, prega ruptura institucional com o fechamento do Congresso e do STF. Além disso, já elogiou Hugo Chávez, o ‘pai’ da ditadura Maduro. E mais: venera torturadores e condecora milicianos, além de hostilizar nossas eleições.

O devoto da cloroquina odeia a democracia. Ele agride a imprensa, é inimigo da pluralidade, quer simplesmente exterminar a oposição (fuzilar, no linguajar dele), adoraria poder prender alguns ministros da Suprema Corte e sonha, dormindo e acordado, em se transformar no Mussolini tupiniquim.

Miseravelmente, ao que tudo indica, seu principal rival em 2022 será mesmo Lula da Silva, o meliante de São Bernardo, que foi ressuscitado do quinto dos infernos pelos compadres de toga. E para piorar o que já é catastrófico, a disputa será por um candidato a ditador, e não a presidente da República.

O ex-tudo (ex-presidiário, ex-corrupto e ex-lavador de dinheiro), sem medo de ser feliz, declarou em entrevista ao jornal chinês Guancha: "A China foi capaz de lutar contra o coronavírus porque tem um partido político e um governo forte, que têm controle e poder de comando. O Brasil não tem isso".

E foi além, o pai do Ronaldinho dos Negócios: "O PCC (Partido Comunista Chinês) faz com que a China tenha um grande poder e um governo forte que estabeleceu um modelo de desenvolvimento para o mundo inteiro". Eis aí. Nem Cuba, de Fidel, mereceu tanta devoção do capo petista.

Para o líder da maior quadrilha de assalto do mundo, segundo acusação do Ministério Público Federal (MPF), o Brasil deveria seguir a China e implantar um partido único, com governo forte. Já para o maníaco do tratamento precoce, o amigão do miliciano Queiroz, o Brasil deveria retornar ao regime militar.

Ambos, resta mais do que claro e evidente, são proto-ditadores em busca de um único propósito: transformar o Brasil em uma Coreia do Norte, já que não temos a menor condição de ser a China. Se é isso o que você quer para si, os seus filhos e netos, vá em frente. Finja que nada disso é verdade, vote em um destes trastes e seja miseravelmente feliz.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade