Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

O bolsonarismo é como o lulopetismo: pestilento

Ambos são violentos e antidemocráticos, e têm o desejo de governar sem leis e oposição


19/02/2021 07:06 - atualizado 19/02/2021 07:51

(foto: Agência Brasil)
(foto: Agência Brasil)
Eleição após eleição, mandato após mandato, legislatura após legislatura, o Brasil troca de pólo fascistóide como quem troca sua roupa íntima, e segue aprisionado em uma espécie de “looping” autoritário, que insiste em não terminar.

Há décadas que o País alterna o norte da sua “bússola política” entre getulismo, populismo, militarismo, lulismo e, agora, bolsonarismo. A tal democracia ampla, geral e irrestrita, que é bom, nada! Gostamos de tiro, porrada e bomba.

Vivemos 16 anos de cleptocracia lulopetista, onde ditos movimentos sociais - na verdade, em sua maioria, movimentos terroristas e arruaceiros - foram regiamente financiados e armados pelas esquerdas dominantes de então.

A sociedade brasileira, farta de invasões, depredações e violência contra quaisquer tipos de oposição, acabou acreditando em um “projeto liberal” que prometia justamente salvar o Brasil da crescente ameaça fascista latino americana.

Hoje, resta claro e evidente que o bolsonarismo nada mais é que mero fascismo de extrema direita. Seus ideais e práticas são idênticos aos do lulopetismo mais aguerrido, e dia sim, dia também, investe forte contra a democracia.

Não aceita oposição e divergência; não tolera minorias não alinhadas; cultua o líder como a um semi deus; despreza as leis e a Constituição; acredita em um povo servil, e pensamento único, como sustentação de governo.

Cenas de agressões covardes contra opositores políticos eram comuns nos tempos de CUT e de MST fortes. Ataques à imprensa e a jornalistas eram fartos e corriqueiros, e quase sempre incentivados e financiados pelo governo petista. 

Agora eu lhes pergunto: qual a diferença entre o que ocorria e o que ocorre hoje? Em que o bolsonarismo se diferencia do lulopetismo no tema democracia x fascismo? Que eu saiba, só nas cores, pois a defesa fanática é igual.

Os ataques à imprensa continuam vigorosos e financiados pelo governo de turno. Agressões físicas e verbais são tão ou mais comuns que antes. A intolerância e a mentira seguem como combustível para a cisão da sociedade; nós x eles. 

Comparem os discursos mais raivosos de proeminentes petistas como José Dirceu, Lula e Gleisi Hoffmann, dentre outros, com os de bolsonaristas-raiz, como o deputado preso nesta semana e outros da mesma espécie de fascistoides.

No final do dia, acabamos trocando o proto ditador fascista e corrupto e lavador de dinheiro, Lula da Silva, por outro proto ditador fascista e parceiro de milicianos, Jair Bolsonaro. E, de quebra, ganhamos uma nova cepa de cretinos. 

Agora os tais “petralhas” já têm companhia à altura: os “bolsominions”. É uma pena não ser possível colocá-los todos - no mesmo espaço e tempo - para se entenderem conforme suas regras e comportamentos. Seria maravilhoso.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade