Publicidade

Estado de Minas PAGO QUANDO PUDER

Controle financeiro familiar: como tornar possível essa missão desafiadora

Quebrar o tabu de falar sobre dinheiro em casa e envolver todos os integrantes da família nesse processo são passos fundamentais para organizar as finanças


27/10/2021 06:00 - atualizado 25/10/2021 15:28

Pessoa calculando os gastos
Mais de 20% do total de famílias endividadas tem mais da metade da sua renda comprometida com o pagamento de dívidas (foto: Pexels/Reprodução )

Você sabia que 72,9% das famílias brasileiras têm dívidas? O dado faz parte da última edição da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).
 

O endividamento, por si só, não é tão preocupante, uma vez que ele não caracteriza apenas dívidas em atraso, ou seja, não se trata exclusivamente da situação de inadimplência. O índice também diz respeito ao crédito tomado pelas famílias para iniciativas como empreendedorismo e financiamento de imóveis, por exemplo.

O dado mais agravante vem agora: mais de 20% do total de famílias endividadas tem mais da metade da sua renda comprometida com o pagamento de dívidas. Já parou pra pensar o que seria não poder contar com 50% do seu salário para pagar as contas do dia a dia ou para assumir novos gastos no mês? Pois é exatamente essa a realidade dessas famílias.

As causas para essa situação são muitas, e passam por questões relacionadas ao desemprego, redução da renda e  aumento do preço de produtos e serviços . Mas, todas elas incluem um grande fator de risco: a falta de controle financeiro familiar.

Já falei por aqui sobre como o  planejamento financeiro pessoal  pode ser mais fácil do que muita gente imagina. Mas, não dá pra negar: quando a gente leva esse planejamento para o contexto familiar, a missão realmente fica mais desafiadora.

Mas, não se preocupe. Meu objetivo aqui hoje é, exatamente, mostrar como esse processo é possível e dar dicas práticas para tornar o controle financeiro uma missão de toda a família.

Acompanhe!

Os desafios de controlar as finanças da família


Ter mais pessoas realizando uma determinada tarefa torna a atividade mais fácil, certo? Quando o assunto é planejamento financeiro, não é necessariamente assim.

Primeiro que ter controle sobre os recebimentos e gastos de mais pessoas é, naturalmente, mais difícil do que administrar só o próprio dinheiro. Além disso,  falar sobre dinheiro  em casa continua sendo um tabu pra muita gente, e essa falta de diálogo, sem dúvida, torna o processo mais desafiador.

Outro fator agravante para aumentar o nível de desafio é a diferença do comportamento dos membros da família em relação a dinheiro. É fato que cada um tem seu jeito de lidar com as finanças, mas na hora de organizar a vida financeira da família é preciso encontrar pontos de equilíbrio e adotar métodos que façam sentido para todos.

Um bom caminho para isso é entender de que forma um planejamento financeiro adequado vai impactar a vida de todas as pessoas da casa.

Os benefícios de adotar um planejamento financeiro familiar


Antes de falar dos benefícios de adotar um planejamento financeiro no seu contexto familiar, eu preciso te contar sobre um risco bem grande de não fazer isso.

Conflitos causados por questões financeiras representam a segunda maior causa de divórcios no Brasil - perdendo apenas para infidelidade. E nem é preciso ser especialista em relacionamentos para saber que não é só em relações matrimoniais que os desentendimentos por dinheiro podem causar prejuízos, não é mesmo?

Portanto, manter a harmonia do lar é o primeiro benefício de adotar um planejamento financeiro familiar. Além disso, somente com um controle adequado do orçamento da família é possível planejar como alcançar os objetivos traçados por todos. Eu estou falando desde metas mais simples até a realização de grandes sonhos, viu?

Outro benefício é a possibilidade de se preparar para imprevistos. É o carro que estraga, a máquina de lavar que queima ou as infiltrações no apartamento causadas pela chuva. Se você e sua família não tiverem um planejamento financeiro adequado, pode ser que momentos como esse sejam ainda mais desesperadores do que costumam ser.

Agora vem a pergunta de R$ 1 milhão: como fazer um planejamento financeiro familiar na prática? É nisso que eu vou te ajudar agora.

Dicas simples para adotar um controle financeiro familiar


Manter o controle sobre seu dinheiro não precisa ser um processo complexo. Existem alguns passos bem simples que podem ser seguidos para que você e sua família comecem nessa missão com o pé direito.

Veja:


Liste todas as receitas e despesas


Essa é a regra número um de qualquer planejamento financeiro. O primeiro passo é anotar tudo o que todos os membros da família ganham e gastam, independentemente da forma de pagamento (liste o que é pago no débito, no crédito, no dinheiro, no boleto etc). Ah, e não se esqueça de considerar caso exista alguma fonte de renda extra, viu? Uma  planilha de controle financeiro  bem simples pode ser bastante útil nesse processo. O importante é entender se o padrão de vida da casa está compatível com a receita total familiar!

Identifique os hábitos que não são saudáveis e o que pode ser cortado


O segundo passo é, na verdade, uma consequência do primeiro. Depois de colocar receitas e despesas no papel, será possível visualizar se a família tem adotado hábitos prejudiciais à saúde financeira, como excesso de gastos com delivery e pagamento de assinaturas de serviços de streaming que ninguém utiliza. 

Essa é, portanto, a hora de fazer uma faxina nos gastos e pensar, em conjunto, o que pode ser cortado para os próximos meses.

Planeje o pagamento das dívidas


Como eu disse lá no início do artigo, centenas de milhares de famílias têm mais da metade da renda comprometida com o pagamento de dívidas. É por isso que um controle financeiro familiar adequado deve envolver o planejamento para a quitação das pendências. 

Hoje em dia, existem diversas soluções para  negociação online de dívidas , que oferecem aos consumidores descontos atrativos e condições flexíveis de parcelamento. O mais importante é encontrar um acordo que permita que a dívida seja paga o mais rápido possível, sem comprometer o orçamento da família.

Estabeleça os objetivos de cada integrante da família


Depois de anotar todos os gastos, identificar quais despesas podem ser cortadas e criar um plano para quitação das dívidas, é hora de planejar o futuro e definir quais são os objetivos de cada membro da família que dependem de recursos financeiros para serem alcançados. A partir dessa definição, você e sua família vão traçar o que precisa ser feito para chegarem lá.

Crie metas para todos os integrantes da família


O melhor jeito de fazer todo mundo da família se envolver nesse processo de planejamento financeiro é definir responsabilidades para cada um. Uma dica boa nesse sentido é estabelecer metas para todos os integrantes da família, que estejam, claro, alinhadas com os objetivos que foram definidos no passo anterior.

E vale lembrar: metas precisam ser claras, alcançáveis e ter um prazo definido para que sejam atingidas!

E aqui, cabe uma dica de ouro: a responsabilidade é de todos, mesmo que nem todos tenham renda. É possível contribuir para uma vida financeira mais equilibrada, com atitudes extremamente simples, como reduzir os gastos com energia e  comparar preços  na hora de comprar produtos ou contratar serviços. Todo mundo da família pode ser responsável por isso, você não acha?

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade