Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Coluna

Pazuello disse que não conhecia o SUS, e você?

Após o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmar que só conheceu o SUS agora, é bom lembrar: o SUS é um direito de todos e merece ser (re)conhecido


09/10/2020 06:00 - atualizado 09/10/2020 08:34

(foto: Jan Ribeiro/Pref.Olinda)
(foto: Jan Ribeiro/Pref.Olinda)

Na última quarta-feira, dia 07, em lançamento da Campanha do Outubro Rosa 2020, o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que só foi saber o que era o SUS naquele momento. Nas palavras dele, disse ter ficado surpreso com a “magnitude dessa ferramenta que o Brasil nos brindou”. É para ficar surpreso mesmo.

Todo cidadão brasileiro deve estar bem surpreso com tal afirmação do nosso ministro. Ele, nascido em 1963, comemorava os seus 27 anos de idade quando foi publicada a Lei 8080 que formalizou as definições de direito e deveres de saúde da constituição de 1988.

No artigo 196 da Constituição consta que a “A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação”. Uma declaração inocente do ministro, mas que aflora mais uma vez o total despreparo do grupo que rege a saúde do país.

Senhor, ministro tudo bem? O senhor, ainda que vinculado ao fundo de saúde dos forças armadas, conhece o SUS, sim! Essa é a magnitude de um sistema de saúde que foi fundado baseado no sistema de saúde inglês, mas que se tornou o maior do mundo e o único sistema público de saúde que atende mais de 200 milhões de pessoas seguindo os princípios da universalidade (direito de todos, sem discriminação), integralidade (atuação em diversas vertentes como prevenção, tratamento e reabilitação) e equidade (atendimento de acordo com as necessidades de cada paciente) no serviço público.

Para nós, brasileiros, é normal ser atendido em um pronto atendimento, ser socorrido pelo SAMU, receber vacina, desenvolver vacinas, acolher todos sem pedir garantias de pagamentos. Inclusive os estrangeiros, todos são bem vindos nos cuidados do SUS, até mesmo aqueles que possuem os melhores planos de saúde privado ou mesmo grandes reservas financeiras.

O desafio do nosso ministro não é fácil, né? Vocês já trabalharam em um local ou projeto que só conseguiram ver a dimensão depois de muito tempo ou quando saíram? 

- O senhor vacinou contra gripe nos últimos anos? SUS;
- Algum dos seus subordinados nas forças armadas estiveram diante de picadas de animais peçonhentos como escorpiões, cobra e aranha e foi necessário soros e vacinas? SUS;
- Seus filhos possuem carteira de vacinação e controle epidemiológico e outras vacinas? SUS;
- Os alimentos que chegam no seu café da manhã são de qualidade e certificados pela vigilância sanitária, correto? SUS;
- Algum colega precisou de transplante de órgãos? SUS;
- Medicamentos de alto custo, quimioterapia e politicas nacionais de saúde? SUS;
- A maioria, senão todos os médicos que atenderam o senhor nos últimos 30 anos de alguma forma se capacitaram no SUS.

Na dúvida, SUS neles!

De forma nenhuma estou advogando a respeito de um sistema de saúde perfeito ou sem mazelas, mas sim afirmando como médico e trabalhador do SUS que este sistema é um dos grandes responsáveis pelo controle da saúde do país e internacionalmente reconhecido como um dos responsáveis por diminuir o caos da pandemia da COVID-19.

Se o seu ministério der conta do SUS, tenha certeza que o Brasil estará bem de saúde.

Tem alguma dúvida ou gostaria de sugerir um tema para este espaço? Escreva pra mim: ericksongontijo@gmail.com 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade