Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Mercado de tecnologia sofre com falta de mão de obra

'Com o crescimento das indústrias de tecnologia, 260 mil vagas devem ser abertas até 2024'


postado em 23/08/2019 06:00 / atualizado em 23/08/2019 07:44

 (foto: Evylin Guede/Campus Party/Divulgação-15/12/14)
(foto: Evylin Guede/Campus Party/Divulgação-15/12/14)

O mercado de tecnologia está aquecido, mas há um problema no horizonte: a falta de mão de obra. Segundo estudo da Associação de Empresas Brasileiras de Tecnologia, faltam cerca de 80 mil profissionais na área de software.

Com o crescimento das indústrias de tecnologia, 260 mil vagas devem ser abertas até 2024. No entanto, a demanda cresce em velocidade maior do que a formação. A procura pelos cursos é baixa e a evasão de alunos é alta.

Os países que mais valorizam profissionais experientes
Os países da Ásia e Pacífico são os que mais valorizam quem é experiente. Segundo pesquisa da Alexander Hughes, multinacional de recrutamento executivo, 27% dos postos de liderança na região são ocupados por aqueles com idade entre 55 e 60 anos. E mais: 19% têm até 64 anos, 15% estão na faixa entre 65 e 70 anos e 15% se concentram acima dos 70 anos. Nos Estados Unidos, 60% dos cargos de líderes estão nas mãos de quem passou dos 55. A participação também é alta na América Latina, com 70%.

Para os bancos, não há crise
Por mais que o setor financeiro tradicional enfrente a concorrência das fintechs, falar em crise é despropositado. Nos próximos três anos, as receitas dos bancos devem crescer US$ 1 trilhão, segundo estudo realizado pelo Boston Consulting Group (BTG). Nas projeções da consultoria, o setor deverá movimentar US$ 5,4 trilhões no mundo – alta de 75%, na comparação com 2011. Pouco mais de um terço virá dos bancos asiáticos. Para se ter uma ideia, o PIB do Brasil não ultrapassa US$ 2 trilhões.

A carne é o novo petróleo?
A alta demanda internacional pela carne brasileira, especialmente por cortes mais nobres, fez o pecuarista Valdomiro Poliselli, fundador do Grupo VPJ, com sede em Jaguariúna (SP), e dono da rede de restaurantes Stockyards, chegar à conclusão de que “a carne é o novo petróleo do Brasil”. Com faturamento de R$ 130 milhões, Poliselli acredita na demanda principalmente da carne Angus. “Há grandes oportunidades dentro e fora do Brasil”, diz.

Renegociação de dívida bate recorde no Brasil
A plataforma de renegociação de dívidas Negocia Fácil atingiu, no primeiro semestre, a marca de R$ 300 milhões em créditos junto aos clientes endividados. Trata-se de um crescimento de 24% e a maior cifra desde o início das operações, em 2012. Entre janeiro e junho deste ano, foram mais de 890 mil acordos assinados. Segundo o diretor, José Moniz, os números devem acelerar nos últimos meses do ano, quando os consumidores costumam limpar o nome para voltar às compras de Natal.

RAPIDINHAS

• Assim como a dinamarquesa Lego, a alemã Faber-Castell, famosa por seus lápis de cor e giz de cera, quer ser relevante no mundo digital. A empresa promoverá workshops para o público adulto em seu espaço de Criatividade e Inovação, em São Paulo. Tudo para incentivar o uso de produtos e destacar as atividades digitais da empresa.

• O Google lançou, nos Estados Unidos, um serviço para ajudar estudantes a escolher universidades. Por meio do sistema, a pessoa obtém acesso rápido a informações sobre as instituições de ensino americanas, incluindo taxas de aceitação, custos e avaliações. O recurso também permite acesso a dados relacionados a bolsas de estudo, custos de moradia e livros.

• Segundo o Google, o projeto nasceu porque 63% dos americanos se dizem perdidos em seus primeiros momentos de escolha da vida acadêmica. Assim como o Google, a Apple também aposta no setor. A empresa lançou, nesta semana, para mais de 100 mil estudantes americanos, um aplicativo que permite o pagamento digital de refeições feitas nas universidades.

• A montadora japonesa Nissan está lançando, no Brasil, um carro 100% elétrico e que permite ao motorista usar apenas o pedal do acelerador. Segundo a empresa, o Leaf para quando se tira o pé do acelerador e o pedal do freio só é usado em emergências.

"Tentar ser quem não é dá muito trabalho, consome muita energia e, na verdade, não vai funcionar para sempre"

Reed Hastings, fundador do Netflix


2,95% - foi quanto cresceu, em julho, a arrecadação de impostos e contribuições, na comparação com o mesmo mês de 2018. Segundo a Receita Federal, é o melhor resultado desde 2011


Publicidade