Publicidade

Estado de Minas TURISMO

Com hotelaria deficiente, Itapecerica regulamenta hospedagem em residências

Projeto visa atrair mais turistas ao município e gerar renda aos moradores, principalmente durante dois tradicionais festivais


22/04/2022 19:04 - atualizado 22/04/2022 19:25

Durante o Festival de Inverno de Itapecerica, boa parte da estrutura hoteleria é utilizada para equipes técnicas e artistas
Durante o Festival de Inverno de Itapecerica, boa parte da estrutura hoteleria é utilizada para equipes técnicas e artistas (foto: Divulgação/Prefeitura de Itapecerica)

Com a rede hoteleira deficitária, Itapecerica, no Centro-Oeste de Minas, aprovou a regulamentação de hospedagem remunerada em residências para dar suporte e ampliar as alternativas aos turistas. O projeto, aprovado por unanimidade pelos vereadores, vem como medida para firmar o município, que fica a cerca de 180 quilômetros de Belo Horizonte, no circuito turístico do estado.
 

Embora conhecida pelos tradicionais festivais, que atraem cerca de 10 mil pessoas por dia, a estrutura hoteleira ainda não é capaz de absorver a demanda. Em eventos como o Festival de Inverno, boa parte das reservas dos hotéis e pousadas da cidade de pouco mais de 21,7 mil habitantes são para equipes técnicas e artistas. 

“Temos recebido inúmeras reclamações de pessoas que querem vir para Itapecerica, mas não conseguem, neste período, a hospedagem”, afirma o prefeito Wirley Reis.

Esse tipo de hospedagem, que consiste na cobrança de estadia, por parte dos proprietários, em casas, apartamentos ou até mesmo em uma parte específica dos imóveis, se tornou popular no mundo todo pelo serviço ofertado por sites como AirBnb e Booking.com. 

A regulamentação, para integrar o projeto “Turista em Casa”, em Itapecerica, vai depender da obtenção do Registro de Hospedagem Caseira (RHC). “As pessoas que tiverem interesse de receber o turista e gerar renda em quatro dias, vamos treiná-las e elas vão alugar os quartos e servir o café da manhã”, explica Reis. Para obter o RHC, o imóvel deverá cumprir os requisitos fixados por ato administrativo do poder Executivo ainda a ser publicado.
 
A lei entra em vigor 30 dias após ser sancionada. A expectativa é que atenda a demanda do Festival de Gastronomia, marcado para o período de 16 a 19 de junho.
 

Fortalecimento hoteleiro


O município tem incentivado a criação de mais pousadas, mais hotéis. Entretanto, para isso, o prefeito reconhece que é necessário estabelecer um circuito cultural além das datas sazonais.

“A rede hoteleira é deficiente e precisamos melhorar. Mas ela só vai crescer a partir dos nossos investimentos na área turística”, reconhece.
 
Para isso, além de investimentos extras nos festivais já existentes, estão sendo construídos portais turísticos nas entradas. Também foi licitado o Complexo Cultural. Com investimento de R$ 1 milhão, será construído um espaço que irá agregar artesanato, agricultura e também gastronomia. A previsão é de ser inaugurado até o próximo ano.

*Amanda Quintiliano especial para o EM


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade