Publicidade

Estado de Minas NATAL

Em busca do Sol: Natal, no RN, é para viver a paixão à primeira vista

O sexto menor estado brasileiro entre as 27 unidades federativas apresenta atrativos turísticos em ordem inversamente proporcional à área territorial que ocupa


postado em 03/03/2020 04:00 / atualizado em 03/03/2020 19:31

Dunas de Genipabu, paraíso tropical de frente para o mar de águas esverdeadas(foto: Vlademir Alexandre/MTur)
Dunas de Genipabu, paraíso tropical de frente para o mar de águas esverdeadas (foto: Vlademir Alexandre/MTur)
 
As primeiras horas de um turista em Natal, capital do Rio Grande do Norte, são suficientes para arrebatar corações forasteiros, seduzidos por paisagens exuberantes em que rios, mar, praias e matas compõem o cenário de uma viagem memorável.
 
Largos pneus movidos por motores nervosos fazem a areia voar num rastro brilhante. O vento carregado de maresia acaricia o rosto em que o sorriso oscila entre a euforia e um punhado de medo. O sobe e desce acelerado em meio às curvas sinuosas das dunas leva os mais velhos a regredir às emocionantes descobertas da remota infância, enquanto as crianças se sentem capturadas por um mundo de aventuras até então restrito aos filmes de heróis adultos.
 
O sexto menor estado brasileiro entre as 27 unidades federativas apresenta atrativos turísticos em ordem inversamente proporcional à área territorial que ocupa. Ao longo de aproximadamente 52.811km², o que equivale a 0,62% da superfície do Brasil, o potiguar — que em tupi-guarani significa “comedor de caranguejo” — tem o privilégio de desfrutar e oferecer aos visitantes cinco circuitos de passeios, cada um com características bastante peculiares: Costa das Dunas, Costa Branca, Agreste Trairi, Serrano e Seridó
 
Ponte Newton Navarro liga a capital ao litoral norte do RN(foto: Alexis Regis/MTur)
Ponte Newton Navarro liga a capital ao litoral norte do RN (foto: Alexis Regis/MTur)
 
 
“Essa classificação foi estabelecida a partir de estudos feitos por um grupo multidisciplinar,com o objetivo de mapear desde os aspectos históricos e culturais até as belezas naturais que tanto encantam as pessoas que viajam ao nosso estado. Temos atrativos que vão do litoral às serras mais interioranas”, explica Ana Maria da Costa, secretária de Turismo do Rio Grande do Norte.
 
Cartão-postal de Natal, o Morro do Careca, na Praia de Ponta Negra, é uma duna com aproximadamente 107 metros de altura(foto: Alexis Regis/MTur)
Cartão-postal de Natal, o Morro do Careca, na Praia de Ponta Negra, é uma duna com aproximadamente 107 metros de altura (foto: Alexis Regis/MTur)
 
ECONOMIA Com visitação anual estimada em cerca de 2 milhões de pessoas e acesso privilegiado para a Europa, pois se localiza no extremo leste do país — tornando a viagem mais curta (algo em torno de seis horas de voo) —, Natal é destino seguro para quem busca clima tropical e águas límpidas, além de uma culinária de extremo sabor. Entre os circuitos preferidos dos turistas, a rota da Costa das Dunas desponta como portal de acesso para quilômetros de praias. Ao todo, são 16 municípios que encontram no turismo uma das forças propulsoras da economia local, gerando emprego e renda por meio das redes hoteleira, de restaurantes e de outros inúmeros serviços aos visitantes — do transporte aos aluguéis de equipamentos esportivos.
 
Desfrute o passeio de barco até as piscinas naturais de Pirangi(foto: Ney Douglas/MTur)
Desfrute o passeio de barco até as piscinas naturais de Pirangi (foto: Ney Douglas/MTur)
 
 
ENCONTRO COM O LUXO Recém-inaugurado na Praia de Ponta Negra, o Vogal Hotel tem padrão cinco estrelas e se propõe a oferecer uma experiência luxuosa aos hóspedes. O empreendimento demorou mais de 10 anos para ter as obras concluídas e custou cerca R$ 85 milhões. Todos os quartos têm vista para o mar e há uma ampla área de convivência com piscinas, sauna e academia. O café da manhã tem cardápio variado e saboroso de frutas, sucos, massas e proteínas servidos em sequência. O espaço conta ainda com spa, o restaurante francês Le Château — onde a entrada de crianças não é permitida — e salas para eventos e reuniões corporativas. A diária mais em conta custa a partir de R$ 1.150, enquanto uma noite na suíte presidencial custa R$ 4.025. 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade