Publicidade

Estado de Minas NATAL

Encare dunas e aventuras nas areias de Genipabu

Com ou sem emoção, região ao Norte de Natal é destino para quem deseja encarar bancos de areia com muita adrenalina


postado em 03/03/2020 04:00 / atualizado em 03/03/2020 15:00

Fernando Brito
Especial para o EM
 
Prepare o seu coração: passeio de buggy nas dunas íngremes de Genipabu é para quem deseja encarar emoções fortes (foto: Grace Downey e Robert Ager/Divulgação)
Prepare o seu coração: passeio de buggy nas dunas íngremes de Genipabu é para quem deseja encarar emoções fortes (foto: Grace Downey e Robert Ager/Divulgação)
 

Ao custo de R$ 465 em veículo com capacidade para até cinco pessoas (incluindo o motorista), o passeio de buggy pelas dunas de Genipabu é um tópico obrigatório no roteiro de qualquer viajante a Natal. Com opção de fazer um circuito emocionante — com direito a derrapadas e arrancadas alucinantes — ou apenas uma travessia serena e relaxante, os turistas se encantam em paradas para banhos em lagoas, acessadas por meio das divertidas descidas de esquibunda (uma pequena prancha deslizando sobre a areia) ou aerobunda (uma espécie de tirolesa). Em meio a isso, impressiona a sagacidade do espírito empreendedor do potiguar, que, com computadores carregados por baterias de automóvel e câmeras de excelente qualidade, oferecem aos turistas, quase que em tempo real, imagens das peripécias nos suntuosos bancos de areia. As recordações custam a bagatela de R$ 15.
 
Atualmente, Natal conta com 720 condutores credenciados de buggy para atendimento aos turistas. Todos são submetidos a um treinamento específico para garantir segurança nos passeios e as rotas têm sentido único, com o objetivo de evitar acidentes. Antigamente, os veículos eram feitos de forma artesanal, com adaptações a partir dos chassis de Fusca ou Brasília. 
 
Hoje, a maioria dos veículos sai montada diretamente da fábrica Selvagem, sediada no município de Parnamirim, com carroceria original em plástico reforçado com fibra de vidro, motor Volkswagen 1.4 cilindradas refrigerado a água, flex, tração nas rodas traseiras, além de freios a disco na dianteira e tambor na parte de trás. Uma estrutura ideal e de baixo custo de manutenção para o ambiente praiano. Um 0km custa cerca de R$ 55 mil.
 
Por conta dos ventos, a região ao norte de Natal é boa para praticantes de parapente(foto: Humberto Sales/Divulgação)
Por conta dos ventos, a região ao norte de Natal é boa para praticantes de parapente (foto: Humberto Sales/Divulgação)
 
 
Desde 1988 no ramo, o ex-bancário Osmar Raposo, de 49 anos, se diz satisfeito em conduzir os turistas pelos passeios de buggy. “Sustentei minha família assim. Não posso reclamar da vida. Tenho um excelente escritório. Ocorreram períodos de maior ou menor lucratividade, mas, atualmente, temos uma associação bem-organizada e a tendência é de melhora para todos. Sinto-me recompensado em ver os visitantes felizes após o passeio”, comenta.

Como nem tudo é perfeito, o ponto negativo do passeio pelas dunas fica por conta da exploração do trabalho de animais. Em tempos de respeito às questões ecológicas, parece um tanto antiquado e fora de contexto observar turistas sobre o lombo de dromedários e jegues, submetidos o dia inteiro sob sol escaldante a lidar com humanos orgulhosos de esdrúxulas poses para fotos.

REFÚGIO No município de Extremoz, na região metropolitana da capital potiguar, o Aquário Natal é um exemplo de respeito aos animais e ponto de referência para pesquisa e educação ambiental. No local, sob orientação de guias treinados, diversas espécies aquáticas e terrestres são apresentadas ao público — tem até pinguins. O espaço atua ainda na reabilitação de inúmeros bichos encontrados nas praias e nas estradas do estado. Resgatados, recebem cuidados veterinários e, após um período de observação, são devolvidos à natureza. Um programão para fazer com a criançada. Os ingressos custam a partir de R$ 15 (meia-entrada).

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade